Autor : MARIA VALNICE DA SILVA

Modalidade : AT 09 - Educação e comunicação no Semiárido

Sala : SALA 02 - AT 09     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:Atualmente uma das principais pautas da educação brasileira refere-se a discussão sobre a uma Base Nacional Comum Curricular (BNCC) para as escolas. Os argumentos favoráveis a sua implantação estão relacionados com questões históricas, políticas, econômicas, sociais e geográficas e envolvem sujeitos e instituições diversas. A BNCC define direitos de aprendizagem e as competências a serem desenvolvidas pelos estudantes em cada modalidade da Educação Básica. Já existem leis e documentos direcionados para a Educação Básica respaldaldando a necessidade de uma Base para as escolas. Esta questão estar presente na Constituição Federal (CF/1988) e na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDBEN/1996). O texto da CF/1988 estabeleceu conteúdo mínimo nacional e conteúdo específico a nível local e regional. A LDBEN/1996 determinou a necessidade de uma base comum nacional equilibrada com conteúdo específico mediante a diversidade étnica, geográfica e cultural do Brasil. O Plano Nacional de Educação (PNE/2014) reiterou essa demanda por meio de metas e estratégias para serem alcançadas até o ano de 2024. A CF/1988 e a LDBEN/1996 regulamentou documentos para a Educação Básica como os Parâmetros Curriculares Nacionais (1997, 2000) e as Diretrizes Curriculares Nacionais (1998, 2010, 2011). Os Parâmetros são documentos de caráter não-obrigatório com referência para a elaboração do currículo de todas as etapas da Educação Básica. As Diretrizes, por sua vez, são normas obrigatórias que orientam o planejamento curricular das escolas e sistemas de ensino fixadas pelo Conselho Nacional de Educação (CNE). Portanto, esta pesquisa busca questionar argumentos que legitimam a ideia de uma BNCC para as escolas brasileiras. Neste sentido, a proposta deste estudo consiste em analisar as implicações da BNCC para o currículo da Educação Básica. O objetivo é discutir os diferentes argumentos que legitimam a consolidação da base. A pesquisa configura-se no modelo qualitativo, com procedimento documental e bibliográfico. Os documentos são as publicações oficiais sobre a Base, versões de 2015, 2016 e 2017. O referencial bibliográfico constitui-se de estudo de teórico como Young (2014), Mello (2014), Lopes (2015), Lopes; Macedo (2011), Macedo (2014), Pereira; Costa e Cunha (2015). Entre os argumentos dos defensores da Base como Young (2014), Mello (2014) estão o atendimento da legislação educacional e também a associação da BNCC com a qualidade. Estes argumentos são questionáveis pelos os autores contrários à ideia de Base como Lopes; Macedo (2011), Pereira; Costa e Cunha (2015). Estes autores afirmam que já existem leis e documentos como as DNCEM e os PCNEM que dão conta de atender a essa demanda do conteúdo mínimo nacional. Também que a melhoria da qualidade envolve interesses diversos e distintas demandas, como investimentos em política salarial, em política de formação continuada e melhoria na infraestrutura das escolas. Entretanto, a BNCC fica comprometida com a aprovação da Emenda Constitucional (EC 55/2016) que estabeleceu um limite para os gastos públicos pelos próximos 20 anos, inclusive os gastos com a educação. Por fim, os autores que argumentam a falta de fundamento para uma BNCC, consideram que a BNCC é um instrumento com finalidade de regular o currículo das escolas e por consequência, o trabalho dos docentes. Portanto, a BNCC traz implicações para o currículo da Educação Básica na medida que tenta regular o conhecimento por meio de conteúdos mínimos, competências, habilidades e desempenho nas avaliações.

Autor : THATIANNY JASMINE CASTRO MARTINS DE CARVALHO

Modalidade : AT 09 - Educação e comunicação no Semiárido

Sala : SALA 02 - AT 09     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:Esta produção tem como objetivo analisar a contribuição e relevância do lúdico como instrumento fundamental no processo da Educação de Jovens e Adultos (EJA). Partindo do pressuposto de que a alfabetização e o letramento são fundamentais para que o indivíduo possa exercer os seus direitos e deveres perante a sociedade, ressalta-se a necessidade de promoção de políticas educacionais que visem o fortalecimento da EJA, como única alternativa àqueles que não tiveram acesso à escolarização, por motivos de negação de oportunidades ou inadequação ao sistema escolar vigente. Nesse contexto, atividades lúdicas tornam-se potentes instrumentos de auxílio à aprendizagem, se organizadas de forma sistematizada e com objetivos definidos, de forma a oferecer aos educandos um espaço atraente e propício aos processos educativos. Os altos índices de analfabetismo no Brasil nos colocam em descompasso com as transformações políticas e sociais necessárias ao cenário pós-moderno. Essa realidade pode ser facilmente percebida em proporções ampliadas no Sertão do Semiárido Piauiense, região marcada pela seca, baixos índices pluviométricos, escassez de recursos hídricos e a atividade pecuária e agricultora, que, coloca o sertanejo como principal protagonista deste cenário. Esta pesquisa, por sua vez, aponta para esta realidade. Constrói-se no formato de pesquisa bibliográfica e relato de experiência, a partir de discussões empreendidas na disciplina Fundamentos de Educação de Jovens e Adultos, ministrada no curso de Licenciatura Plena em Pedagogia, na Universidade Federal do Piauí, campus Senador Helvídio Nunes de Barros. A pesquisa ressaltada pela experiência possibilitou compreender que o lúdico tem grande importância na construção do conhecimento na Educação de Jovens e Adultos e, nessa condição, resulta em aporte fundamental na superação de muitos obstáculos, principalmente o analfabetismo, na modalidade EJA, no semiárido piauiense. O referencial teórico que sustenta esta produção compreende-se nas obras de Soares (2003), Vietro (2013), Cunha (2013), dentre outros. Cabe ao professor, enquanto mediador do ensino, buscar meios para que o aluno obtenha êxito nos processos de aprendizagem, na tentativa de promover um ensino não infantilizado, respeitando a realidade dos alunos adultos. De acordo com os professores que atuam na Educação de Jovens e Adultos, ainda existem muitas dificuldades em trabalhar dessa maneira. Para além dos resultados positivos sobre a ludicidade na Educação de Jovens e Adultos, a experiência possibilitou firmar que o lúdico tem grande importância na construção do conhecimento, sobretudo daqueles que, por motivos quaisquer, não tiveram oportunidades educacionais ou o sistema tradicional de ensino lhes negou (ou nega) oportunidades inclusivas. Confirma-se a hipótese de que, para além da infância, a ludicidade possui outros espaços e atores, dentre eles, homens e mulheres sertanejos. Palavras-Chave: Lúdico, Educação de Jovens e Adultos, Sociedade.

Autor : NEIMARA COSTA DE LIMA SANTOS

Modalidade : AT 09 - Educação e comunicação no Semiárido

Sala : SALA 02 - AT 09     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:O professor deve compreender o significado teórico de sua prática, o significado social da mesma, e também deve estar sempre atuando com planejamento, flexibilidade e criatividade, se adequando sempre as novas metodologias que podem auxiliar no processo de ensino-aprendizagem. A escolha do tema dessa pesquisa resultou do interesse de conhecer como o ensino de Geografia está sendo ministrado no ensino básico, isso foi fortalecido durante o primeiro e segundo estágio supervisionado no ensino fundamental durante a graduação em Geografia, através de observações e coletas de dados referentes ao diagnóstico do professor colaborador e dos alunos, onde se percebe a visão que os alunos têm da Geografia como uma disciplina decorativa e menos importante que as outras e o modelo tradicional de ministrar os conteúdos, que ainda se encontra presente nas aulas de muitos professores. A presente pesquisa visou analisar a prática docente dos professores de Geografia do ensino fundamental da Escola Estadual Nossa Senhora de Fátima, localizada no município de Mossoró/RN, e sua influência no processo de ensino-aprendizagem dos alunos. Dessa forma, levantamos a seguinte questão: em que medida a prática docente dos professores de Geografia do ensino fundamental da escola pesquisada contribui no processo de ensino-aprendizagem dos alunos? A metodologia utilizada está baseada em uma pesquisa qualitativa, organizada através de uma pesquisa teórica e empírica, nesta foram utilizadas três técnicas de pesquisa: entrevista semiestrutura com os professores de Geografia, observação nas aulas e aplicação de questionários com os alunos. Constatamos quais eram as principais dificuldades do ponto de vista teórico-metodológico dos professores e como elas interferiam em suas práticas, como também conhecemos a visão dos alunos do ensino fundamental, em relação ao ensino de Geografia ministrado pelos docentes. Os dados obtidos resultaram algumas conclusões, pois mesmo em suas falas os professores demonstrando que utilizam o construtivismo no planejamento de suas aulas, percebemos a predominância de um ensino tradicional em sua prática, mesmo eles possuindo uma visão e concepção de ensino inovador, mas diante das dificuldades e desafios como os problemas na estrutura física da escola, ausência de materiais didático-pedagógicos, indisciplina e desinteresse por grande parte dos alunos, os docentes acabam se sentindo desestimulados para práticas pedagógicas inovadoras. A pesquisa também demonstra que o método de decorar ainda se encontra presente no momento do aluno estudar, fica evidente que as aulas de Geografia precisam despertar a atenção e a curiosidade dos alunos para que as lacunas sobre o conhecimento geográfico sejam preenchidas e isso pode partir da necessidade de renovação e reflexão da prática docente. O trabalho nos mostrou que existem inúmeros recursos e métodos que poderão auxiliar a prática, desde que ela seja repleta de pesquisa, e que o método de trabalho independente e a aula expositiva fazem parte e estão presente assiduamente nas aulas de Geografia. Então, se a visão que os professores da Escola Estadual Nossa Senhora de Fátima possuem de uma Geografia renovada, que estimula a construção do conhecimento, compreendendo o cotidiano vivido e um mundo repleto de contradições verificado durante a entrevista, fosse colocada em prática, provavelmente o processo de ensino-aprendizagem poderia acontecer com mais êxito passando de meras informações para a construção de ideias e conceitos a partir da íntima relação existente entre os sujeitos professor/aluno.

Autor : NEIMARA COSTA DE LIMA SANTOS

Modalidade : AT 09 - Educação e comunicação no Semiárido

Sala : SALA 02 - AT 09     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:Ressaltamos que antes da sistematização da Geografia no Brasil existiam um saber geográfico trabalhado nas escolas que era ensinado por profissionais que não eram geógrafos com forte influência do currículo da França, a exemplo do século XVI onde a mesma não correspondia uma disciplina independente. A Geografia a partir da sua institucionalização como ciência no século XIX passa por determinadas correntes de pensamento, todas pautadas em objetivos e métodos. Percebe-se que as aulas de Geografia precisam ser dinâmicas, atrativas, mesmo diante da crise pela qual a educação vivencia. Temos que utilizar nas aulas o novo, o que chama atenção e o que provoca curiosidade e fazer a diferença na vida e no futuro dos nossos discentes, mesmo que o momento e a própria mídia comercial por meio de discursos ideológico mostrem o contrário, sabemos que a Geografia ela sempre vai contribuir e fazer a diferença na formação do alunado. O objetivo desse trabalho é analisar sintaticamente o ensino de Geografia no Brasil, explanar a importância das correntes de pensamento Tradicional e a Crítica, como também argumentar como se deu o processo de formação dos professores de Geografia no país e identificar nesse contexto os períodos de crise da Geografia escolar. Os procedimentos metodológicos se encontram baseados em pesquisa teórica baseada na teoria de alguns autores que trabalham com o ensino de Geografia. De acordo com a pesquisa as correntes de pensamento Tradicional e Crítica influenciaram e ainda se encontram presentes no ensino de Geografia que é ministrado no ensino básico, como também os desafios e dificuldades vivenciados pelos professores de geografia atualmente já vem de muito longe, desde o surgimento da disciplina. A partir dessa pesquisa, podemos perceber como o ensino de Geografia está fundamentado no ensino básico e que existem inúmeros desafios que os professores de Geografia enfrentam no seu ambiente de trabalho, que como vimos na pesquisa afeta diretamente a relação de ensino-aprendizagem. A teoria nos mostrou que a corrente de pensamento tradicional, que teve uma reflexão diretamente no ensino básico ainda se encontra presente no ensino de Geografia. O ensino de Geografia torna-se cada vez mais relevante para explicar e compreender as contradições que são impostas na contemporaneidade, porque os conteúdos estão inseridos no cotidiano dos discentes, essa aproximação dos temas geográficos com o universo dos alunos é fundamental para o processo de ensino-aprendizagem, gerando no discente uma visão crítica e o posicionamento sobre as temáticas dessa área do conhecimento. Um ensino renovador baseado em uma Geografia construtivista pode fazer parte da prática docente e deve permanecer associado à busca incessante da formação continuada e a transformação no modo de ensinar. Vivemos um período de mudanças na educação por meio da Base Nacional Comum Curricular que afeta diretamente o ensino de Geografia, onde os conteúdos de fundamentais vão passar a ser secundários, sendo diluídos. A Geografia como a pesquisa nos mostrou é de extrema importância como disciplina, pois proporciona a passagem de um saber ingênuo ao crítico, aos poucos vai perdendo o seu espaço de disciplina obrigatória e os prejudicados são os licenciados, a sociedade e os próprios discentes que terão sua formação fragilizada.

Autor : JOANDERSON FERNANDES SIMÕES

Modalidade : AT 09 - Educação e comunicação no Semiárido

Sala : SALA 02 - AT 09     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:O presente artigo aborda a atividade laboratorial como atividade complementar em paralelo a formação curricular do geógrafo, bem como a necessidade da inserção de estudantes nos primeiros períodos do curso de graduação em geografia. Para alcançar os objetivos, a metodologia se deu por análises de amostras coletadas em campo e processadas em laboratório, as quais geraram quadros e gráficos que subsidiaram as análises. Percebe-se que com a presente ferramenta metodológica foi possível por em prática os conhecimentos teóricos adquiridos em sala de aula, assim sendo um aporte a mais e alternativo para a formação dos estudantes de geografia.

Autor : RAVENNA LINS RODRIGUES

Modalidade : AT 09 - Educação e comunicação no Semiárido

Sala : SALA 02 - AT 09     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:Nos últimos anos, as discussões a respeito dos problemas ambientais ganharam destaque e a preocupação com o meio ambiente elevou o crescimento de pesquisas nesta área. O acelerado avanço tecnológico e a liquidez do mundo moderno (BAUMAN, 2007) tem causado a obsolescência dos equipamentos eletrônicos num curto espaço de tempo, sendo pertinente pensar em medidas preventivas de impactos ambientais. A reflexão sobre as práticas sociais, em um contexto marcado pela degradação do meio ambiente e do seu ecossistema, envolve uma necessária articulação com a produção de sentidos sobre a educação ambiental. Segundo Mariosa (2017), a educação é a chave do desenvolvimento sustentável e autossuficiente. O presente trabalho teve como objetivo avaliar o desempenho de alunos participantes do projeto: E-Resíduos – Redução de resíduos de eletroeletrônicos aplicando o princípio dos 3R’s (Reduzir, Reciclar e Reutilizar), através de uma ferramenta gamificada de ensino utilizando uma abordagem lúdica de ensino-aprendizagem na regência de aulas realizadas em uma escola pública municipal de ensino fundamental situada na cidade de Sumé-PB. Por meio deste objetivo geral buscou-se atingir os seguintes objetivos específicos: proporcionar maior retenção de conteúdos ministrados em aulas, motivar e engajar os alunos através das capacidades intrínsecas dos games. Visando verificar a evolução do desempenho dos estudantes foi aplicado um questionário no início e no término do curso, com o objetivo de quantificar os conhecimentos iniciais e finais dos alunos sobre os conteúdos a serem abordados em sala de aula. Nesse contexto, o software Kahoot foi utilizado como instrumento de motivação, engajamento e avaliação durante as aulas. O Kahoot é um software de aprendizagem gratuito baseado em games, voltado para professores e alunos (KAHOOT, 2018). Para realização das metas estabelecidas foi selecionada uma turma do 9° ano, composta por 28 alunos, os quais foram divididos em quatro grupos. O Kahoot, foi utilizado inicialmente para elaboração das questões de múltipla escolha. O gameplay foi criado com 10 questões sendo três alternativas incorretas e uma alternativa correta sobre o conteúdo ministrado. A avaliação de ensino-aprendizagem derivou-se da ocorrência de aulas teóricas e aplicação de questionários. Os resultados obtidos através dos questionários aplicados ao início e término do curso mostraram uma evolução 18.39% no desempenho dos alunos. O aplicativo Kahoot foi de fácil aplicação e execução junto aos alunos e a ferramenta mostrou-se útil para auxiliar o acompanhamento do progresso dos alunos ao longo do processo de aprendizagem. Em todas as 10 questões de múltipla escolha dispostas no quiz da plataforma, os alunos obtiveram um percentual acima de 70%. Os resultados sugerem que o gameplay deixou o processo de aprendizagem mais atraente e duradouro, além de estimular a interação entre os estudantes. O interesse dos alunos foi visível colocando o aplicativo Kahoot em um patamar de estratégia válida para o processo de ensino e aprendizagem. Uma limitação é que o presente estudo foi realizado apenas em uma escola. Portanto, mais pesquisas futuras serão necessárias para testar diferentes grupos de alunos e investigar se a forma de avaliação e a contribuição de aplicativos e metodologias Team-Based Learning (TBL) ou Aprendizagem Baseada em Equipes (ABE) contribui efetivamente para o aprendizado.

Autor : MARIA GORETTI DA SILVA

Modalidade : AT 09 - Educação e comunicação no Semiárido

Sala : SALA 02 - AT 09     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:Este artigo aborda o tema Clube de Ciências. Trata-se de um trabalho que visa subsidiar jovens que cursam os anos finais do Ensino Fundamental (6º ao 9º anos) e Ensino Médio (1ª a 3º séries) na implantação de Clubes de Ciências nas escolas do município de Mossoró e região. Os Clubes de Ciências são associações que visam sistematizar, a partir da construção de um estatuto, as normas de funcionamento e a organização de jovens estudantes interessados no desenvolvimento da pesquisa científica. A implementação de Clubes de Ciências aponta para a perspectiva da socialização entre jovens, assim como para criação de situações favoráveis de estímulo à curiosidade e à pesquisa no cotidiano escolar. A proposta visa ainda formar cidadãos críticos e conscientes, que atuem na perspectiva de contribuir para progressos na qualidade de vida das comunidades as quais pertencem. O presente trabalho é o relato de uma experiência vivida na Semana de Ciência e Tecnologia do Semiárido: ciência para redução das desigualdades, junto a jovens estudantes das redes municipal, estadual e particular do Rio Grande do Norte. Fundamenta-se principalmente em autores como Santos e Santos (2008) e MANCUSO (1996). A experiência aconteceu nos moldes de minicurso intitulado “Clube de Ciências: perspectivas para o desenvolvimento da pesquisa”, quando foi feita com os participantes, tempestade de ideias, exposição sobre o que é um Clube de Ciências e oficinas de como implantar a associação. O minicurso teve como objetivo favorecer a ampliação do conhecimento científico de jovens estudantes e contou com a participação de 39 alunos de escolas de Mossoró e região, durante a VIII Feira de Ciência do Semiárido Potiguar, realizada pela Universidade Federal Rural do Semiárido (UFERSA). Os resultados apontam que em algumas cidades jovens já se reúnem no contraturno das aulas para fazer pesquisas e se aprofundarem em assuntos do cotidiano escolar e que, embora não se trate de Clubes de Ciências, essas reuniões acontecem periodicamente e alguns alunos chegam a dar aulas de laboratório para os demais alunos da escola. Os resultados apontam ainda para o interesse por parte dos jovens participantes do minicurso em criar Clubes de Ciências nas escolas aonde estudam. Conclui-se dizendo que o minicurso possibilitou observar que a implementação de espaços para trabalhos que permitem os alunos irem além do que foi estudado nas salas de aula, tende a proporcionar momentos de troca de experiências e de aprofundamento em temas de seus interesses por meio da pesquisa científica. Observa-se que a implantação de Clubes de Ciências pode implicar no desenvolvimento da consciência crítica e reflexiva, assim como no estímulo a atitudes cidadãs, além de possibilitar a interação entre pares.

Autor : SILVANO FIDELIS DE LIRA

Modalidade : AT 09 - Educação e comunicação no Semiárido

Sala : SALA 02 - AT 09     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:Resumo: A proposta de Educação Integral implantada pela Secretaria de Estado da Educação da Paraíba tem sido, nos últimos anos um divisor de águas no campo educativo, voltada para uma educação que aborde as dimensões cognitivas e subjetivas do sujeito. O objetivo deste é estudo é analisar como os estudantes percebem essa mudança em sua vida e qual o seu olhar sobre a proposta da Escola Cidadã Integral, para isso a pesquisa se dá a partir de entrevistas com alunos do Ensino Médio de duas escolas integrais que compõem a 4ª Gerência Regional de Ensino (Cuité), suas respostas e considerações sobre o tema ajudam a relacionar a proposta com as principais diretrizes do programa, dessa forma, ajuda a compreender quais os limites e as aproximações que as políticas educativas tem com os estudantes. Para a construção do conhecimento sobre o tempo não basta a observação, dessa forma, o texto é mediado por GUARÁ (2005) e (HORA; COELHO, 2004) num debate sobre currículo e trabalho docente, além disso, outros autores são evocados ao longo do texto, com o intuito de enriquecer o diálogo.

Autor : THATIANNY JASMINE CASTRO MARTINS DE CARVALHO

Modalidade : AT 09 - Educação e comunicação no Semiárido

Sala : SALA 02 - AT 09     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:A educação de pessoas adultas no cenário nacional, ganha destaque a partir do momento em que se constata que o número de analfabetos no Brasil é um problema crônico em virtude da ausência de políticas educacionais que possam refletir um comportamento diferente dos governantes e da organização do ensino como um todo. Nesse sentido, a presente proposição de trabalho aborda a educação do homem sertanejo analisando tal contexto na modalidade de ensino EJA – Educação de Jovens e Adultos. Defendida no artigo 37, da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional – LDB 9394/96, “[...] como destinada a todos que não puderam ter acesso ou continuar os estudos no ensino fundamental e médio, em idade adequada”. Nessa tessitura, como problema do estudo, indagamos: De que maneira a Educação de Jovens e Adultos pode contribuir para o bem estar do homem sertanejo, no Povoado de Fátima do Piauí?, localizado no município de Picos/PI, amanhada na extensa região do semiárido nordestino. Como objetivo geral, buscamos analisar como a Modalidade de Ensino Educação de Jovens e Adultos pode contribuir para a escolarização e bem estar do homem sertanejo. Para os delineamentos específicos, propõe averiguar o ensino formal de adultos no cenário do Sertão e identificar elementos que apontem a forma escolar do homem sertanejo como fator relevante para a qualidade de sua vida. O contexto apresentado é contemplado a relatos orais, narrados às histórias de vidas que representam resistência do vasto sertão. O estudo em curso partiu de uma pesquisa de abordagem qualitativa e descritiva, com a pesquisa de campo, utilizando como instrumentos de coleta de dados a entrevista semiestruturada e todos os achados escritos de forma legítima no diário de bordo. Refletidos nas contribuições metodológicas de Bardin (1977) para pensarmos sobre os resultados tecidos em análise de conteúdo. A pesquisa nos amparou a cerca de uma educação que não alcança todos os passos delimitados, ainda distante do seio de vida dos que dela anseiam. Os relatos tão sucintamente brotados revelaram uma prática educativa longínqua de toda a essência vestida aos habitantes de uma imensidão de nuanças douradas. Ao passo que buscaram, na vida madura, novas oportunidades na educação formal, no entanto, escassos foram os resultados conseguidos. Em presença de uma educação que não cercou as suas peculiares penúrias e todo o seu contexto de vida, que atentou contra o seu bem estar, à sua qualidade de vida e aos longos anos que poderiam ter sido consagrados à escolarização. Dessa forma, marcando destinos que poderiam ser movidos de forma menos dolente e reduzindo prejuízos sociais, econômicos e políticos. Palavras-chave: Educação de Jovens e Adultos, Educação no Sertão, Sertanejo, Semiárido. Referências BARDIN, Laurence. Analise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977. BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. LDB. Lei nº 9.394/96, de 20 de dezembro de 1996. Presidente da República Decreto. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/Ccivil_03/leis/L9394.htm. Acessado em: 10 de agost. de 2018.

Autor : LETICIA BARBOSA DE QUEIROZ

Modalidade : AT 09 - Educação e comunicação no Semiárido

Sala : SALA 02 - AT 09     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:Os espaços de formação fora da sala de aula despertam a mente e a capacidade de aprender, pois se caracterizam como espaços estimulantes que, se bem aproveitados, se classificam como um relevante cenário para a aprendizagem. A horta é um exemplo de estratégica didática que estimula o pensamento das crianças, em relação não só ao aprendizado de disciplinas básicas, mas também à preservação do meio ambiente. O objetivo deste trabalho foi verificar se a horta escolar é verdadeiramente efetiva quando se trata de ferramenta pedagógica para conteúdos e disciplinas do Ensino Fundamental na escola rural de Queimadas. A pesquisa foi realizada em uma escola do sítio Soares, no município de Queimadas. Foram utilizadas metodologias participativas com entrevistas e discussões envolvendo os professores, crianças e comunidade. Os resultados apontam dificuldades das professoras em contextualizar a horta em conteúdos passados em sala de aula. Este problema se deu a diversos fatores, entre eles está na formação docente, o qual é de suma importância para formar cidadãos sem lacunas e déficit de aprendizagem. A formação dos professores é vital para que o conhecimento que vai ser construído nas crianças, mediado pela interação professor-aluno, seja positiva, visto que o docente é considerado a ferramenta principal da construção e adesão dos conhecimentos gerais. A horta é uma ferramenta muito abrangente e tem sido usada para aprendizagem das cores, diferentes formas, texturas, formação de frases, até os jovens do ensino médio com conteúdo diversos. A maioria dos pais das crianças trabalha na agricultura e estas vivenciam essa experiência com eles, o que dificilmente acontece em zonas urbanas. Muitas crianças, mesmo morando na zona rural desconheciam algumas plantas, e quando observaram na horta, ficaram mais interessadas no conteúdo. As principais dificuldades relatadas foram em relação à dificuldade de se manter a horta devido aos fatores ambientais desfavoráveis; acúmulo de atividades sob a responsabilidade do corpo docente, o qual é pequeno. Além de a horta ser interdisciplinar, abrangendo a grande maioria dos conteúdos passados no ensino básico, é eficaz quanto à educação alimentar, além de induzir as crianças ao zelo pelo ambiente.

Autor : RAQUEL SOARES DA SILVA

Modalidade : AT 09 - Educação e comunicação no Semiárido

Sala : SALA 02 - AT 09     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:1. INTRODUÇÃO A Caatinga é o único bioma exclusivamente brasileiro e, proporcionalmente, o menos estudado. Ela vem passando por alterações e deterioração ambiental provocado pelo uso insustentável dos seus recursos naturais, e este tem sido responsável pela extinção de várias espécies abrigando uma fauna e flora únicas, não encontradas em nenhum outro lugar do planeta. Devido à importância de sua biodiversidade e ao pouco conhecimento sobre esta, existe uma lacuna sobre a necessidade em realizar esse trabalho. 2. OBJETIVOS O presente trabalho tem como objetivo realizar uma revisão bibliográfica sobre os levantamentos etnobotânicos de espécies utilizadas como ervas medicinais, por comunidades no semiárido brasileiro, e a partir disso identificar as espécies nativas da Caatinga que são utilizadas, a forma que são retiradas do meio ambiente e a maneira como é utilizada. METODOLOGIA Esta pesquisa bibliográfica foi desenvolvida por meio de uma revisão acerca das espécies vegetais utilizadas (plantas medicinais) em comunidades do semiárido brasileiro. Para tanto, foram analisados artigos científicos publicados no CONIDIS (Congresso Internacional da Diversidade do Semiárido) em sua primeira e segunda edição. A opção por tais bases de dados se deu em virtude de apresentarem conteúdo importante e de circulação nacional e internacional. Foi necessário ler os artigos relacionados ao uso de plantas medicinais para seus devidos usos, e compará-los entre si, avaliando a compatibilidade de informações de acordo com as variações existentes em cada um. As pesquisas foram realizadas por meio de questionários, com pessoas que moram no campo e que de alguma forma utilizam essas ervas, para o próprio uso ou para a comercialização. Durante as entrevistas foram coletados dados sobre os entrevistados, como idade, sexo e anos de trabalho com plantas medicinais. As entrevistas aconteceram em feiras livres com os próprios feirantes que as comercializavam, para obtenção de dados como o tipo de erva e a parte do vegetal mais utilizada, assim como a forma de consumo. 4. RESULTADOS Em seus resultados, os artigos mostram que as pessoas de mais idade detém maior parte do conhecimento sobre o assunto por estarem a mais tempo no mercado de trabalho. Assim, as plantas medicinais foram contabilizadas e apresentam-se em tabelas as mais comuns nesse meio, percebendo assim a grande variedade e quantidade de espécies. Um ponto importante é uso exagerado e mal manejado de algumas plantas, que podem causar até a morte do vegetal, tendo grande importância o papel de pesquisas nesse sentido, para aprimorar as técnicas utilizadas, pois algumas dessas espécies já são consideradas ameaçadas de extinção, e o contínuo uso pelo extrativismo pode realmente acarretar na extinção da espécie. Até por que de acordo com as entrevistas, os comerciantes dessas plantas não as cultivam e sim adquirem-nas por meio de outras pessoas. CONSIDERAÇÕES FINAIS Dessa forma, percebe-se a necessidade de pesquisar e registrar esses costumes que estão sendo perdidos, pois de alguma forma os jovens não estão recendo os ensinamentos dos mais velhos.

Autor : WESLEY GUILHERME IDELFONCIO DE VASCONCELOS

Modalidade : AT 09 - Educação e comunicação no Semiárido

Sala : SALA 02 - AT 09     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:No dia 29 de setembro de 2018, em pelo menos 62 cidades do Brasil e em mais 66 cidades de outros países, aconteceu o movimento Ele Não, capitaneado, majoritariamente, por mulheres e totalmente organizado via redes sociais (O GLOBO, 2018). A manifestação tinha como seu objetivo principal protestar contra a campanha do candidato à presidência pelo PSL Jair Messias Bolsonaro. Juazeiro do Norte, no Cariri, com concentração que teve início às 16 horas, aproximadamente 5 mil pessoas estavam presentes segundo a organização. A maioria eram mulheres, que através de faixas, cartazes e camisas, carregavam a frase “Ele Não”. (BADALO, 2018). O presente trabalho tem por finalidade realizar uma análise da cobertura fotográfica da manifestação, visto que os portais de notícias locais fizeram matérias textuais sucintas e que em pouco se diferenciavam, por outro lado, as imagens trouxeram uma informação mais completa sobre como aconteceu o protesto, afinal, fotografias realmente são experiência capturada, e a câmera é o braço ideal da consciência em seu modo aquisitivo (SONTAG apud BERGER, 2013). Pretende-se, então, analisar os componentes fotográficos destacados e assim relacionar com os autores consultados na revisão de literatura, compreendendo, assim, esses registros fotográficos sob a ótica teórica do fotojornalismo. Partindo do conceito de que a linguística é uma ferramenta metodológica que contribuiu para a análise de produtos textuais, pretende-se então fazer uso da semiótica que, por sua vez, no presente trabalho, será a forma de se analisar as fotografias, através de elementos como os gestos, e posições, sejam elas intencionais ou espontâneas, o enquadramento, foco, para estabelecer qual a significância que isso traz e qual o efeito que gera em quem observa essas imagens. Também faremos uso da metodologia de cunho bibliográfico, onde o pesquisador trabalha a partir das contribuições dos autores dos estudos analíticos constantes dos textos. (SEVERINO, 2007) A partir de obras relacionadas aos usos da fotografia e das discussões levantadas referentes aos usos do fotojornalismo. No total, a análise terá seu enfoque a partir de quatro fotografias que acompanham a matéria realizada pelo Portal Badalo, relacionando com a semiótica e os teóricos do fotojornalismo utilizados. Os resultados esperados consistem na comprovação da efetividade informacional das imagens nas notícias com foco na matéria analisada. Visto que a questão norteadora da pesquisa gira em torno de como a fotografia pode, mesmo que não propositalmente, informar mais completamente que a matéria textual. Assim, uma análise semiótica e bibliográfica de um movimento social de nível nacional, ocorrido no semiárido nordestino, que foi noticiado majoritariamente por fotos, contribui para os estudos da imagem e das significações a partir das reflexões propostas, visto que, diferentemente da memória, fotografias por si mesmas não preservam significado. Elas oferecem aparências - com toda a credibilidade e gravidade que normalmente atribuímos às aparências - apartadas de seu significado O significado é fruto das faculdades de compreensão (BERGER, 2013). As imagens analisadas questão foram enquadradas a partir do recorte dado para a análise, desse modo, direcionando-se para uma maior relação com a diversidade caririense registrada nas fotografias. A partir das questões levantadas e discutidas na pesquisa, espera-se a reflexão, que, por sua vez, se relaciona aos usos da imagem com cunho informacional a partir de um acontecimento nacional com enfoque em um afluente dele no âmbito regional. Outro ponto questionado e justificado no decorrer do trabalho completo é a relação do semiárido com o tema em questão, em quais pontos, a regionalidade passa a interferir e influenciar determinadas questões, desse modo, entrando em discussão também a diversidade cultural da região aliada à política local e nacional, assim, tornando-se um dos pontos relacionados com a pesquisa.

Autor : LUCAS HENRIQUE SILVA PINHEIRO

Modalidade : AT 09 - Educação e comunicação no Semiárido

Sala : SALA 02 - AT 09     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:Ao longo dos anos a internet se tornou a maior ferramenta de pesquisa e divulgação de conteúdo para divulgação de produtos, marcas, conteúdos acadêmicos ou atividades a serem realizadas por diversas entidades. Estudiosos dizem que a internet conectou milhares de pessoas, independente de classes sociais, onde estas procuram as mais diversas informações, relacionamentos, e entretenimento e assim tem comando nos diversos tipos de interações com pessoas e empresas. Hoje em dia, pessoas de todas as idades estão conectados a internet para diversos afazeres sejam eles a trabalho ou a lazer. Tais atividades que são ligadas a propagação, produção e utilização da informação, trabalham com uma parte importante para a ciência, desde a identificação do empecilho do processo criativo ou da categorização de novos saberes de fontes confiáveis. O Núcleo AGROFAMILIAR junto a UFRPE-UAG (Universidade Federal Rural de Pernambuco – Unidade Acadêmica de Garanhuns) está com um trabalho de comunicação social como projeto de extensão da UFRPE, onde há a gravação de vídeos que são produzidos em formato de entrevistas com parceiros do Núcleo AGROFAMILIAR que é relatado os trabalhos que são feitos na área da agroecologia, assim os vídeos são disponibilizados na plataforma de compartilhamento de vídeos YouTube, assim o presente trabalho tem como objetivo sistematizar como o conhecimento sobre a agroecologia pode ser feito por meio de redes sociais, tendo como conteúdo assuntos relacionados à temática, como por exemplo informações de defensivos naturais, hortas agroecológicas, sistemas florestais e entre outros. A metodologia será feita de forma quantitativa por meio de entrevistas com os alunos da UFRPE-UAG dos cursos de Agronomia, Engenharia de Alimentos, Medicina Veterinária, Pedagogia e Zootecnia. As entrevistas serão feitas por meio de um formulário online onde os dados serão importados para uma planilha online para ser analisados, interpretados e revelados em tabelas e gráficos. Espera-se que os alunos informem qual a melhor forma destes conhecimentos serem passados e compreendidos, podendo ser usado imagens ilustrativas com informações de técnicas agroecológicas, produtos digitais a serem fornecidos como material de estudos (Folders informativos, Cartilhas, Receitas), demonstrações práticas destes assuntos (Vídeos demonstrativos), como a agroecologia pode influenciar nas medidas que podem ser ou serão tomadas na vida profissional, resultando em profissionais que contenham um amplo conhecimento para utilização consciente de recursos e tenham uma visão crítica sobre as atitudes a serem tomadas. A comunicação sendo feita de forma eficiente pode auxiliar de diversas maneiras, potencializando o alcance entre as pessoas que fazem o compartilhamento da informação passada, sendo dessa forma que o Núcleo AGROFAMLIAR por meio do projeto TV AGROFAMLIAR – A Extensão Rural nos Meios de Comunicações Digitais tem como principal objetivo disponibilizar tais informações para a maior difusão do conhecimento agroecológico para alunos de graduação e consequentemente para a sociedade.

Autor : URANDY ALVES DE MELO

Modalidade : AT 09 - Educação e comunicação no Semiárido

Sala : SALA 02 - AT 09     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:O ensino emancipatório é contextualizado nos últimos anos como um tema importante, pois, de maneira globalizada vem relevantemente demonstrando princípios e bases fundamentais para as oportunidades de convivência no âmbito da alfabetização, escrita e aprendizagem, principalmente quando se busca incluir a formação de educandos, através de práticas pedagógicas. Isso, porque vem, diante dos docentes oportunizando o desenvolvimento para o ensino-aprendizagem de alunos no semiárido sofrido, ao mesmo tempo em que torna as características peculiares, apesar dos desejos de vencer os desafios pertinentes como prioridades maiores nas apreciações das estratégias, da relação com o meio ambiente e as culturas políticas, para o aprimoramento de melhorias na qualidade da educação brasileira. Nesta perspectiva, tem sido visto como um interesse crescente a realização de pesquisas sobre a educação emancipatória do país, sobretudo no que enfatiza suas riquezas, potencialidades, limites e características próprias, sendo possível todos (as) buscarem metas e movimentos sociais, para que o ensino emancipatório se torne mais satisfatório e qualitativo, sob uma nova visão de estruturação, um olhar crítico aos problemas pejorativos e uma adequação pedagógica nas culturas alfabetizadas do semiárido. Partindo-se desse olhar, o presente trabalho tem como objetivo analisar o ensino emancipador no semiárido brasileiro. Serão apresentados os principais avanços, desafios e problemas da educação contextualizada nas regiões semiáridas do Brasil. O trabalho foi realizado a partir dos estudos bibliográficos de: Adorno, Carvalho, Silva & De Araújo, Celelli e outros teóricos. Resultados apresentaram que práticas pedagógicas tidas, predominantemente não como facilitadoras pelos educadores para o ensino-aprendizagem, visam uma formação crítica-reflexiva nos educandos das regiões semiáridas. Concluir-se que o ensino emancipador abordado, de forma facilitadora pelos docentes contribui muito para a formação de educandos, dinamizando a formação leitora, os conhecimentos culturais e pedagógicos no contexto das sociedades semiáridas.

Autor : MANOEL IZIDORIO CABRAL NETO

Modalidade : AT 09 - Educação e comunicação no Semiárido

Sala : SALA 02 - AT 09     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:Juazeiro do Norte, localizada no semiárido cearense anualmente é palco de grandes romarias, segundo o site Romaria Brasil (2016) estima-se que aproximadamente 2,5 milhões de romeiros visitam a cidade durante as romarias que ocorrem durante todo o ano. Na cidade de Juazeiro do Norte, a fé, o sagrado e o milagre fazem parte da vida desses fiéis que desde o milagre da hóstia em 1989 e posteriormente em virtude da figura do Padre Cícero, que segundo Braga (2010) hoje é considerado santo protetor dos romeiros, tornou-se centro de peregrinação, transformando a cidade em um centro religioso e de artesanato. A partida inicial em estudar essa temática se deu por meio de indagações acerca de como as mídias digitais apresentam as romarias da cidade, visto que hoje estas são ponto fixo no calendário da cidade estima-se que .O objetivo do presente é realizar um apanhado de levantamentos bibliográficos apresentando um contexto histórico cultural e religioso da cidade de Juazeiro do Norte, através deste, realizar uma análise básica e exploratória nas reportagens da mídia digital em um portal de notícias local. O portal escolhido para análise é o portal Badalo.com, objetiva-se ainda identificar como esse meio de comunicação apresenta as romarias na cidade de Juazeiro do Norte. O presente tem como metodologia a pesquisa bibliográfica através de leituras das obras já existentes sobre a temática, segundo as autoras Marconi e Lakatos (2018) a pesquisa bibliográfica é uma pesquisa secundária e sua abordagem se dá por meio das literaturas já existentes sobre o assunto. A linha de pesquisa deste trabalho se dará por meio de um levantamento histórico acerca das romarias da cidade de Juazeiro do Norte, bem como seu contexto cultural e religioso, servirá de embasamento teórico. Será realizada posteriormente uma análise das matérias do site Badalo.com, o site Badalo é um portal digital regional hegemônico que faz levantamentos locais, estaduais e nacionais. Pretende-se com essa análise identificar a abordagem que esse meio de comunicação utiliza em suas matérias e reportagens acerca das romarias na cidade de Juazeiro do Norte. Pretende-se com os textos e análises realizadas no portal escolhido, compreender o papel das mídias digitais no contexto de representatividade religiosa e cultural, visto que as romarias são culturalmente e nacionalmente conhecidas pela mídia hegemônica e digital, realizando uma análise das matérias divulgadas pelo portal escolhido, para que possa se obter a fundamentação teórica necessária para possíveis novas investigações, com a finalidade de que os resultados obtidos possam ajudar de forma positiva quanto à realização de novas pesquisas. O intuito deste trabalho é abrir oportunidade para que sejam realizadas novas pesquisas teórico-analíticas na área de estudos sobre religiosidade, cultura regional e representatividade , abrindo assim, espaço para que se possa analisar mais portais, podendo posteriormente investigar notícias de TV através de telejornais bem como apresentar a abordagem utilizada por tais meios de comunicação, espera-se que o presente atinja seus objetivos uma vez que esta pesquisa é de caráter preliminar, abrindo assim espaço para que os autores se fundamentem e se estimulem à produção de obras acadêmicas na linha de estudos da mídia.

Autor : LEANDRO DE SOUSA ALMEIDA

Modalidade : AT 09 - Educação e comunicação no Semiárido

Sala : SALA 02 - AT 09     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:O presente trabalho relata uma experiência inovadora que contribuiu na formação literomusical de crianças e pré-adolescentes criativos/as (poetas/poetisas – criadores/as). As mesmas cursam a Oficina de Música em duas respectivas instituições educacionais de ensino não formal: Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV) e o Projeto Casa Mônica, ambas instaladas em comunidades com situações de vulnerabilidade social na Cidade de Sumé - PB. Através da obra literária concebida como Plataforma Obra-Game, O Homem do Violino (Kathy Stinson), inspirado na metodologia de Gamificação de Jane McGonigal (2012), foi um game que estimulou a prática de leitura e escrita criativas no cumprimento de cinco (5) fases, a saber: (1)Super Escrita Hipotética, (2)Hiper Leitura Viajante, (3)Mega Partilha de Poderes, (4)Ultra Escrita Criativa e (5)Master Performance Musical, pelo que culminou em uma performance musical coletiva para espectadores/as em um espaço público. Como está proposto em McGonigal (2012), a sistemática do jogo se formou na seguinte estrutura: regras, metas, feedback e voluntariedade. Sendo assim, no decorrer do cumprimento das fases, foram somados pontos, feito feedback de desempenho e vivenciado uma experiência interativa pelo engaje no jogo. A presente abordagem também é uma aplicação da metodologia LerAtos (CompCult/UFCG), que combina e articula poderes da leitura performática, da gamificação e da educação tutorial. Assim, o presente trabalho elevou o horizonte de possibilidades reflexivas e artísticas no âmbito da aula de música para caminhos dialógicos com outras artes, especificamente a literatura, apontando para caminhos literomusicais de ensino, assim como posto em Borges e Paz (2013). A presente pesquisa-ação/game expressou elevado grau de impactos de influencia e representação simbólica diante de critérios/indicadores submetidos em entrevista estruturada baseada no modelo Escala Likert a todos/as os/as quatorze (14) participantes antes e depois da experiência.

Autor : MARIA JEANE TORRES ALVES

Modalidade : AT 09 - Educação e comunicação no Semiárido

Sala : SALA 02 - AT 09     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo: Introdução Desde muito tempo, o processo de inclusão escolar tem sido incentivado nas escolas brasileiras, porém, o desenvolvimento ainda se ocorre lentamente. No semiárido paraibano esse ritmo lento se agrava, pois a região dispõe de poucos investimentos e recursos por parte das instituições de ensino para que a educação inclusiva se efetive. Tendo em vista essa dificuldade em se obter uma inclusão social concreta e eficaz, foi realizado o referido estudo sobre os obstáculos enfrentados rotineiramente por cuidadores da região. Objetivo Visando conhecer a percepção de cuidadores de alunos com deficiência sobre a inclusão social em duas escolas públicas na cidade de Patos, no sertão paraibano; conhecer os principais fatores que dificultam no processo da inclusão nas escolas participantes do estudo, fazendo um comparativo entre as mesmas e apontando suas respectivas características; e também sugerir ações que auxiliem no avanço da inclusão escolar no semiárido, de acordo com as objeções enfrentadas em cada escola. Ademais, destacar a importância do diagnóstico dos alunos com deficiência na eficácia do processo de educação inclusiva. Metodologia Para a realização do estudo, primordialmente, houve a elaboração de um questionário destinado aos cuidadores de duas escolas públicas situadas no semiárido paraibano, na cidade de Patos, que se prontificaram a participar da pesquisa. Nele, estavam perguntas referentes à capacitação dos cuidadores, infraestrutura oferecida pela escola, satisfação com o desenvolvimento dos alunos deficientes, percepção sobre inclusão social, vivência de exclusão social em sala de aula, função do cuidador e medidas adotadas quanto à grade curricular para a inclusão dos alunos com deficiência. Os questionários foram então aplicados aos cuidadores de maneira anônima nas duas escolas, caracterizando-as como escolas A e B, preservando assim suas identificações. Na escola A, cinco cuidadores responderam ao questionário, enquanto que na escola B, apenas quatro responderam. A partir disto, fez-se a montagem de gráficos e tabelas com as respostas obtidas, transformando-as em percentual a fim de facilitar a análise final dos resultados. Resultados e Discussão A partir da aplicação dos questionários, foram obtidas informações referentes à inclusão social nas escolas A e B. Foi verificado especialmente que a escola B mesmo possuindo maior percentual em relação a escola A em fatores como infraestrutura adequada, formação dos cuidadores, adaptação da grade curricular aos alunos com deficiência e satisfação com o desenvolvimento dos alunos deficientes, apresentou um percentual mais baixo quanto à inclusão dos alunos em sala de aula. Enquanto todos os entrevistados da escola A afirmaram que raramente observam comportamentos de exclusão social por parte dos alunos, na escola B, 50% dos cuidadores entrevistados declararam que muitas vezes presenciam essas situações. Além disto, em ambas as escolas, os cuidadores relataram ter ainda mais dificuldades na maneira de lidar com os alunos e suas deficiências pelo fato de alguns alunos não apresentarem laudos conclusivos, e, até mesmo nenhum tipo de informação sobre a(s) deficiência(s) destes. Considerações finais e Referências Mesmo com o significativo avanço da educação inclusiva, ainda existem diversos fatores que impedem a rapidez e eficácia do processo de inclusão escolar. Tomando como base as escolas estudadas, é de grande importância que o investimento na infraestrutura e capacitação fornecida aos cuidadores e alunos com deficiência seja contínuo e melhor feito. Além disso, deve existir uma melhor facilidade no que diz respeito ao diagnóstico dos alunos, tornando assim a evolução da educação inclusiva.

Autor : MARIA ALVENI BARROS VIEIRA

Modalidade : AT 09 - Educação e comunicação no Semiárido

Sala : SALA 02 - AT 09     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:Refletir sobre os saberes e as práticas tradicionais do povo habitador do semiárido piauiense, significa questionar quais sociabilidades educativas e expressões culturais lhes conferem o sentimento de pertencimento a região. Significa, também, discutir as possibilidades de inserção de tais conhecimentos nas políticas públicas de desenvolvimento para a região assim como nos currículos escolares do ensino fundamental. Nesse trabalho, objetivamos apresentar as atividades extensionistas realizadas por um grupo de professores e alunos das Universidades Federal e Estadual do Piauí, Campus de Picos, que tem como finalidade inicial realizar um inventário dos sujeitos, saberes e práticas tradicionais de uma parte do semiárido piauiense, situada nos espaços fronteiriços com o Ceará, Pernambuco e Paraíba, assim como analisar as dinâmicas socioculturais que envolvem os processos de aprendizagem, preservação e transmissão dessa modalidade de conhecimento. Trata-se da apresentação de um trabalho coletivo que se realiza com a finalidade acadêmica de ressignificar o fazer pedagógico e o fazer pesquisa e extensão nos cursos de Pedagogia das Universidades Federal e Estadual do Piauí/ Campus de Picos, ao colocar em evidência na cena educacional questões pertinentes às manifestações culturais da sociedade na qual se encontram inseridos, buscando, na medida do possível, equiparar cultura local e cultura acadêmica. Para a feitura do presente texto, fundamentamos nossas análises nos aportes teóricos e metodológicos da História Cultural em suas interfaces com a História da Educação, fazendo uso da História Oral como técnica principal da coleta de dados e da História de Vida como instrumento de compreensão da trajetória dos partícipes enquanto sujeitos inseridos em um espaço geográfico definido, vivenciadores de acontecimentos e fenômenos sociais, históricos e culturais da sua temporalidade. No que tange as análises teóricas aqui apresentadas, estas se encontram articuladas a partir de um entendimento amplo de educação definido por Thomas (2000) como parte essencial do conjunto de valores que caracterizam a formação cultural de uma sociedade, sem perder de vista as distinções, os conflitos sociais e suas diferentes formas de manifestação. Também fizemos uso da noção de Práticas Culturais delineada por Chartier (2001) como os modos de fazer dos sujeitos históricos por nos permitir reconhecer, junto aos partícipes, uma identidade social e uma maneira própria de estar no mundo. Por conseguinte, interpretamos como saberes tradicionais um conjunto de saberes que transmitidos através da tradição oral (ou das práticas seculares) em comunidades rurais e urbanas situadas no semiárido piauiense ainda conseguem fazer parte das práticas costumeiras e das transmissões empíricas. Os inventários realizados até o presente momento parecem indicar que o semiárido piauiense é desconhecido de grande parte da população do Estado. Até mesmo quem nele habita, fala do semiárido como um espaço distante de suas vivências cotidianas, parece não haver uma identificação (ou consciência) do sujeito com a história e a cultura local. Os indícios nos permitem inferir que a ausência de um mapeamento histórico cultural dos sujeitos, dos saberes e das práticas tradicionais e sua organização sistemática em forma de livros didáticos e paradidáticos, documentários, cartilhas, não permitem uma maior divulgação dos mesmos entre as novas gerações.

Autor : LAVINIA MARIA SILVA QUEIROZ

Modalidade : AT 09 - Educação e comunicação no Semiárido

Sala : SALA 02 - AT 09     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:Este artigo traz resultados de uma pesquisa realizada com docentes do ensino fundamental da rede pública sobre sentidos de currículo. O foco da pesquisa foi analisar os elementos apresentados pelos docentes que contribuem para os sentidos de currículo na escola, bem como as relações com o contexto escolar que possibilitam a construção de tais elementos. A discussão sobre o conceito de currículo, principalmente no diálogo com Lopes e Macedo (2011), mostrou a impossibilidade de uma definição a priori de currículo, admitindo que o termo não pode ser considerado como algo fixo, determinado a priori, estando mais relacionado com o ambiente escolar e com as concepções e interesses docentes. O conceito de currículo, assim, vai sendo significado, construído provisoriamente, representando as demandas de um determinado grupo, em certo momento, em relação com as questões da própria escola e da comunidade escolar.

Autor : JOSÉ CLEBSON DOS SANTOS

Modalidade : AT 09 - Educação e comunicação no Semiárido

Sala : SALA 02 - AT 09     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:O trabalho em foco tem como objetivo expor reflexões sobre as variedades linguísticas trabalhadas em sala de aula a partir da Literatura de Cordel. A investigação tem como cooperadores estudantes do EJAI- Educação de Jovens e Adultos na Escola João batista Pereira da Silva, do município de Arapiraca – Alagoas. O estudo com a Literatura de Cordel torna-se relevante por esse tipo de texto fazer parte da realidade cultural dos alunos da região nordeste e porque, subjacente ao estudo das variedades linguísticas dessa literatura, está à reflexão de que mesmo aqueles que fazem uso da norma não culta são também produtores de cultura e de saber. Vale ressaltar que pesquisas desenvolvidas após ter cursado a disciplina de Linguagem Popular Regional do Curso de Pós graduação, com enfoque no eixo temático da Sociolinguística aplicada ao contexto escolar que proporcionou discussões sobre preconceito linguístico, estigmatização a algumas formas linguísticas e estudos dos aspectos formais do cordel.

Autor : PAULA BLANDY TISSOT BRAMBILLA

Modalidade : AT 09 - Educação e comunicação no Semiárido

Sala : SALA 02 - AT 09     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:A constituição federal desde 1988 diz que educação é um dever do estado e direito do povo, porém apenas em 2008 a Lei de diretrizes e Bases da educação brasileira estabeleceu especificidades para educação da população do campo. Reflexo da enorme disparidade entre a qualidade da educação oferecida à população campesina e urbana. Em contrapartida as Universidades Federais brasileiras primam por excelência no ensino, se destacando como exemplo no cenário de produtividade mundial, tendo como norteador o princípio da indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão, previsto na constituição federal. É impreterível que as ações de extensão estejam voltadas para sociedade e principalmente atuando junto à educação de base, em áreas que foram historicamente negligenciadas e ainda são, no que se refere a qualidade educacional, como a educação do campo no Brasil. O trabalho objetiva fomentar a atuação da universidade na educação básica da comunidade rural do semiárido norte rio-grandense. As ações de intervenção escolar ocorreram na Escola municipal Manoel Mariz, zona rural do município de Serra Negra do Norte-RN, por docentes e discentes do Programa de pós-graduação em Biologia Parasitária (P.P.G.B.P.). O conteúdo ministrado teve enfoque parasitológico relacionado com a região. As intervenções foram planejadas meses antes, por integrantes do P.P.G.B.P. na UFRN, idealizando metodologias de ensino lúdicas para o ensino de parasitologia de acordo com o nível de escolaridade dos alunos. Em Serra Negra as intervenções educativas foram realizadas em 3 etapas: 1- Aplicação das ações educativas na escola; 2- Aula na Estação Ecológica de Serra Negra do Norte (ESEC do Seridó); 3- Coleta de amostra de fezes para exames parasitológicos das crianças. As ações de intervenção na escola acontecem desde 2014, colocando em pauta os temas enteroparasitoses, dengue, chagas, raiva, leishmaniose e esquistossomose, que são inerentes ao contexto rural e consideradas doenças negligenciadas. As aulas na ESEC do Seridó proporcionam aos alunos o conhecimento da fauna e flora da caatinga, realizando trilhas ecológicas e promovendo a compreensão do papel da Estação Ecológica do Seridó para a conservação da natureza. Os exames de fezes geram laudos para as crianças, as quais através do agente de saúde o recebem juntamente com o medicamento para combater a infecção, além disso os alunos obtêm orientações sobre como prevenir as parasitoses e como ocorre a infecção. A integração de discentes da Universidade Federal de área urbana com a escola municipal rural permite a percepção de uma realidade de educação no Brasil muito diferente da que eles usufruem, pois a grande maioria dos estudantes são advindos do ensino particular urbano, sendo de grande valor didático pedagógico para os discentes conhecer o que é uma escola rural e como ocorre o processo pedagógico nesse cenário. Os discentes fazem as vezes de professores nas intervenções educativas, porém saem com uma experiência única em educação rural no Brasil, compreendendo suas particularidades por vivenciá-las na prática. A universidade deve servir para a sociedade como um agente de transformação social, realizar ações educativas em ambientes que a educação foi historicamente negligenciada é uma forma de subverter a estrutura da educação de baixa qualidade para comunidade campesina. Percebe-se claramente o sentimento de desalento entre estudantes de escolas de comunidades rurais com relação ao acesso no ensino superior, fomentando o pensamento que aquele espaço não lhes pertence, uma vez que geralmente ninguém da sua família o teve. Inserir a universidade nesse contexto faz essa perspectiva começar a mudar, o que podemos notar entre os alunos que relatam o desejo de estudar em uma universidade após as intervenções educativas, despertando nos alunos do campo desde cedo que o acesso ao ensino superior público, gratuito e de qualidade é direito e não esmola.

I CONGRESSO NACIONAL DA DIVERSIDADE DO SEMIÁRIDO

Semiárido brasileiro: diversidade, tendências, tensões e perspectivas