Autor : LUÍZA ARAÚJO DA COSTA XAVIER

Modalidade : AT 12 - Saúde: ciência e saberes no semiárido

Sala : SALA 05 - AT 12/ AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:Introdução: Ao longo da vida, o ser humano consome direta e/ou indiretamente inúmeras substâncias tóxicas, naturais e sintéticas, que podem gerar efeitos deletérios tanto nos ecossistemas quanto à saúde das populações expostas (POSE-JUAN; FERNANDEZ-CRUZ; SIMAL-GÁNDARA, 2016). Neste contexto, o município de Lajes Pintadas/RN, Brasil (LP), possui características geológicas particulares que podem influenciar negativamente na qualidade ambiental e, consequentemente, na saúde da população (CAMPOS et al., 2013). A análise de percepção de risco, além de ser o primeiro passo para entender as problemáticas de interesse ambiental e sanitário, torna-se um instrumento fundamental para subsidiar informações de interação mútua entre homem e ambiente no cenário a ser estudado. Objetivos: Este trabalho teve como objetivo avaliar a percepção da população de LP em relação à exposição a contaminantes ambientais, levando em consideração o cenário. Metodologia: Foram realizadas um total de 223 entrevistas com os residentes – crianças, adultos e idosos – da zona rural e urbana de LP a partir de um questionário semiestruturado com 70 perguntas. Nesta entrevista, buscou-se investigar aspectos sócio-demográficos, sanitários, de percepção ambiental e determinantes de exposição à contaminantes. Os discursos das questões abertas foram interpretados com base em análise de conteúdo. A análise inferencial foi realizada mediante a análise da distribuição de frequência por meio de tabelas de contingência utilizando o teste qui-quadrado. Os dados foram analisados por meio do programa SPSS Statistics versão 20. Resultados: Dentre os participantes do presente estudo, mais de 60% não possuem educação básica, e o nível de instrução mostrou ser um fator determinante na percepção dos riscos associada a uma determinada problemática ambiental (OR 13,84 / IC 95%: 1,76-108,61). Além disso, aqueles que residem em LP há mais de 30 anos apresentaram quase 2 vezes mais chances de identificar danos ambientais do que aqueles que estão no município a menos tempo (OR 1,78 / IC 95%: 1,00 - 3,21). Cerca de 40% são agricultores e 35% desempenham função do lar, sendo pesticidas e saneantes os produtos químicos mais citados em relação à exposição ocupacional. A geração de lixo e esgoto, poluição do ar por cerâmicas e queima do lixo foram os problemas mais citados. Mesmo assim, a percepção sobre a qualidade de vida em LP foi positiva, pois 70% afirmaram que se trata de um ambiente saudável para viver. Considerações finais: LP apresenta condições socioeconômicas que a torna vulnerável às problemáticas ambientais ali estabelecidas. Mesmo a maioria da população não apresentando conhecimento sobre a radiação natural, existe uma percepção clara da presença de um problema que está causando danos à saúde dos moradores. A análise do risco e desta percepção irá possibilitar o gerenciamento dos problemas identificados por meio da adoção de medidas mitigadoras que venham a minimizar os impactos à saúde de populações que residem em áreas com elevada radioatividade natural. Referências: CAMPOS, T. F. C. et al. O gás radônio e a radiação natural em terrenos metagraníticos e pegmatíticos?: o caso do município de Lages Pintadas ( Rio Grande do Norte , Brasil ). v. 26, n. 2, p. 45–52, 2013. POSE-JUAN, E.; FERNANDEZ-CRUZ, T.; SIMAL-GÁNDARA, J. State of the art on public risk assessment of combined human exposure to multiple chemical contaminants. Trends in Food Science and Technology, v. 55, p. 11–28, 2016.

Autor : RAYZA HELEN GRACIANO DOS SANTOS

Modalidade : AT 12 - Saúde: ciência e saberes no semiárido

Sala : SALA 05 - AT 12/ AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:Introdução: A Caatinga apresenta-se como um bioma promissor para o estudo de plantas com possíveis fontes de moléculas com atividade farmacológica devido suas condições edafoclimáticas. Nas últimas décadas observa-se um grande interesse pelo potencial terapêutico das plantas medicinais (YUNES et al., 2001). A família Myrtaceae compreende cerca de 150 gêneros, com aproximadamente 3.600 espécies. Uma das características marcantes desta família é a presença em seus órgãos vegetativos e reprodutivos, de estruturas secretoras de óleos essenciais (CRONQUIST, 1981). A maior parte da atividade antimicrobiana de óleos essenciais parece estar associada aos compostos fenólicos (SIMÕES; SPITZER, 2000), onde o efeito antimicrobiano está relacionado, principalmente, à alteração da permeabilidade e integridade da membrana celular bacteriana (LAMBERT et al., 2001). Objetivo: O gênero Calyptranthes encontra-se pouco explorados, principalmente no que diz respeito a potencialidade dos óleos essenciais frente as atividades biológicas das espécies. Diante disso, o objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito microbiano do óleo essencial de Calyptranthes spp. frente as cepas bacterianas Gram-positivas e Gram-negativas incluindo algumas resistentes. Metodologia: As espécies foram coletadas no Vale do Catimbau (Buíque – PE) e os óleos essenciais (OEs) foram extraídos por hidrodestilação com água destilada, utilizando aparelho tipo Clevenger por 4 horas. A concentração inibitória mínima das diferentes concentrações do óleo essencial diluídos em Tween 80 à 2% será determinada pela técnica de microdiluição em caldo Mueller-Hinton (NCCLS/CLSI, 2009). Os inóculos serão preparados nos mesmos meios, a densidade ajustada para o tubo 0,5 da escala McFarland (108 para bactérias) e diluídas 1:10 para o procedimento de microdiluição. As microplacas serão incubadas a 37°C por 24 horas. O CIM será realizado em duplicata e definido como a menor concentração do óleo essencial que não demonstra crescimento bacteriano visível. Resultados: Os óleos essenciais de espécies da família Myrtaceae têm apresentado resultados satisfatórios a diversas atividades realizadas, inclusive nas atividades microbianas frente a bactérias de interesse médico (SCHAPOVAL et al., 1994; SALVAGNINI et al., 2008; VICTORIA et al., 2012). O óleo essencial teve a sua atividade antimicrobiana testada pelo método de microdiluição seriada contra seis bactérias, sendo três gram-positivas: Staphylococcus aureus e três gram-negativa: Klebsiella pneumoniae, Escherichia coli e Proteus mirabilis (cepas ATCC (American Type Culture Collection)). Duas das espécies de S. aureus (705 e 683) são resistentes a uma grande parte dos antimicrobianos β-lactâmicos e a Glicopeptídeos, Licosaminas, entre outros. Não foi possível visualizar atividade bactericida e bacteriostática para o óleo essencial foliar de Calyptranthes spp. nas concentrações testadas (100; 50; 25; 12,5; 6,25; 3,125; 1,5625; 0,781250; 0,390625 µg/ml) o que não indica que esta espécie não possua atividade bacteriana. Se faz necessários a realização de outros testes com concentrações maiores do que as que foram testadas afim de que seja comprovado o seu potencial frente as cepas bacterianas. Considerações finais: Devido ao aumento da resistência dos microrganismos às drogas disponíveis há a procura de novas alternativas terapêuticas, sendo os óleos essenciais e seus constituintes um alvo promissor para o encontro de novos fármacos com atividade antimicrobiana. Dessa forma, sugere-se novos testes a fim de identificar a atividade bacteriana do OEs de Calyptranthes spp. e com isso, se comprovado a atividade do óleo, contribua para o desenvolvimento de novos produtos naturais no tratamento de doenças decorrentes de infecções bacterianas.

Autor : MAIRA HONORATO DE MOURA SILVA

Modalidade : AT 12 - Saúde: ciência e saberes no semiárido

Sala : SALA 05 - AT 12/ AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:O crescente interesse por novos produtos naturais que possam agir como fármacos, utilizados pelo homem para os mais diversos fins terapêuticos, faz da Caatinga um alvo das atividades de bioprospecção, visando também maior conhecimento sobre as bioatividades das espécies nativas e de bioconservação desse bioma. Os óleos essenciais (OE’s) são frações voláteis naturais que conferem os aromas característicos percebidos em algumas espécies vegetais e têm dispertado um interesse considerável para utilização médica por todo mundo em virtude de sua complexa composição e seus efeitos farmacológicos (SANTOS, 1997). A Caatinga apontada como rica em espécies endêmicas e bastante heterogênea corresponde a um habitat tipicamente ocupado pelas Euphorbiaceae. Dentre os gêneros dessa família destaca-se Croton L. por ser o segundo maior e mais diverso, com cerca de 1.200 espécies (CORDEIRO et al., 2016). Com isso, o objetivo deste trabalho foi verificar o potencial antioxidante dos OE’s foliares de Croton adamantinus MÜLL ARG. Folhas foram coletadas de uma mesma população no Vale do Catimbau, Buíque-PE no ano de 2016, sendo voucher depositado no Herbário UFP da Universidade Federal de Pernambuco sob o número 82.885. Os OE’s foliares de Croton adamantinus foram obtidos por hidrodestilação, utilizando aparelho tipo Clevenger, por um período de três horas (PEREIRA et al., 2011). Em seguida, o óleo foi coletado e seco com sulfato de sódio anidro (Na2SO4) e mantido em refrigerador (-5 ºC) num frasco de vidro âmbar para os ensaios biológicos. O rendimento do óleo essencial foi definido como o quociente do peso do óleo recolhido e o peso seco do material vegetal extraído (SANTOS et al., 2014) OE foi testado quanto a sua capacidade em estabilizar o radical livre DPPH e sua Capacidade Antioxidante Total (CAT%). O teor de óleo essencial analisado apresentou 0,68% de rendimento, corroborando com Ximenes et al. (2013) que obteve rendimento semelhante (0,60%) para ramos frescos de C. adamantinus com as mesmas condições de extração de OE. Quanto à habilidade do OE foliar de C. adamantinus em estabilizar o radical livre DPPH, o mesmo apresentou IC50 de 12,91 μg/ml. Diferentemente do apresentado por Brito (2014) para OE foliar de C. linearifolius que obteve IC50 acima de 81,50 μg/ml. O que demonstra sua alta capacidade antioxidante, já que esse valor assemelha-se ao baixo IC50 apresentado pela quercetina (3,192 μg/ml) em teste realizado com DPPH, utilizando a mesma como controle positivo (BRITO, 2014). Difere também, segundo Bastos (2014), do IC50 de OE de C. nummularius (62,52 mg/ml). Já quanto a capacidade antioxidante total, Croton adamantinus foi capaz de captar cerca de 91,68%± 0,05 do fosfomolibdênio. Devido à importância dos antioxidantes, por serem substâncias capazes de neutralizar os danos provocados pelo processo natural de oxidação nos organismos vivos, que se faz necessária investigação da caracterização química do OE foliar de Croton adamantinus para identificação dos compostos majoritários responsáveis pela ação antioxidante apresentada.

Autor : ELYS KARINE CARVALHO DA SILVA

Modalidade : AT 12 - Saúde: ciência e saberes no semiárido

Sala : SALA 05 - AT 12/ AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:Introdução. Os Estados do Nordeste apresentam uma vegetação característica, estudos realizados por Albuquerque e Maia (2004) mostram que essa formação vegetal apresenta uma grande importância biológica e potencial econômico. A Anadenanthera colubrina é uma planta bastante usada na medicina popular como antidiarreico e no tratamento das infecções pulmonares e vias respiratórias. A prática do uso de plantas medicinais pode se tornar perigosa quando realizada sem orientação, pois muitas podem apresentar difícil identificação, composição química variável e relativa toxicidade. Por causa disso, o teste de hemólise in vitro vem sendo empregado rotineiramente em estudos de toxicidade de plantas medicinais. Objetivos. Determinar o potencial citotóxico dos extratos metanólico e aquoso de galhos da Anadenanthera colubrina (VELL.) Brenan por ensaios in vitro de atividade hemolítica. Metodologia. Os galhos da Anadenanthera colubrina foram coletados no Parque Nacional do Catimbau, Pernambuco, Brasil. Para o teste de citotoxicidade foi realizado o ensaio de atividade hemolítica segundo a metodologia de Oliveira et al. (2012). O sangue utilizado para o experimento foi obtido a partir da coleta em tubo de citrato de um voluntário saudável e não fumante, após assinatura do documento de consentimento. Após centrifugação a 3000 rpm por 6 min, os eritrócitos foram lavados com tampão fosfato-salina e ressuspendidos com a mesma solução. Em seguida, adicionou-se 1,1 mL da suspensão de eritrócitos e 0,4 mL dos extratos. Após incubação de 60 min, os tubos foram centrifugados e o sobrenadante foi utilizado para medir a absorbância da hemoglobina liberada em um comprimento de onda de 540 nm. O resultado foi expresso em relação à atividade do Triton X- 100 e do tampão fosfato-salina. Resultados e Discussão. A hemólise é caracterizada por ruptura do eritrócito com liberação de hemoglobina. No experimento com os extratos foi observado a formação de precipitado de células, demonstrando que as amostras testadas não promoveram a hemólise dos eritrócitos em todas as concentrações testadas (1000 µg/mL; 500 µg/mL; 250 µg/mL; 125 µg/mL; 62,5 µg/mL; 31,25 µg/mL e 15,625 µg/mL), o que foi comprovado com a leitura da absorbância. Embora tenha sido observada na análise fitoquímica anteriormente realizada a presença de compostos, como os fenóis, conhecidos por serem responsáveis por causar atividade hemolítica, pois podem oxidar a hemoglobina, as concentrações presentes nos extratos testados não foram suficientes para causar hemólise. Ensaios de atividade hemolítica realizados por Colacite (2015) constataram que a A. colubrina mostrou-se tóxica apenas na maior concentração testada (4000 μg/mL), enquanto nas demais (2000 µg/mL, 1000 µg/mL e 500 µg/mL) apresentou baixa toxicidade, corroborando com os resultados obtidos no presente estudo. Considerações finais. Com base nos resultados obtidos, os dois extratos demonstraram ser farmacologicamente promissores, sendo uma possível fonte de fitoterápico, pois não causaram hemólise, logo não apresentam citotoxicidade significativa neste parâmetro. Sugere-se mais testes afim de verificar a toxicidade aguda.

Autor : WISLA KÍVIA DE ARAUJO SOARES

Modalidade : AT 12 - Saúde: ciência e saberes no semiárido

Sala : SALA 05 - AT 12/ AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:O consumo de carne moída bovina é um hábito de muitos brasileiros, pois esse produto é mais prático e na maioria das vezes mais barato ocupa boa parte do consumo diário da classe média do país, onde podem ser feito vários tipos de pratos. As vendas de carnes moídas apresentam condições higiênico-sanitárias precárias, em função disso, é de grande importância o uso dessas práticas para prevenção da saúde humana, por meio de doenças de origem alimentar. Objetivou-se avaliar a qualidade microbiológica de carne bovina moída de um frigorífico localizado no Sertão da Paraíba e as condições higiênicas sanitárias do moinho. Foram realizadas três coletas de 100 g de carne bovina moída durante três semanas consecutivas em um frigorífico localizado no Sertão paraibano. Juntamente com a coleta da carne, realizou-se a técnica de amostragem Swab no moinho utilizado pelo estabelecimento, a fim de avaliar a carga microbiana presente. As amostras foram submetidas, semanalmente após cada coleta, à caracterização microbiológica quanto a quantificação de coliformes totais e coliformes termotolerantes, e presença/ausência de Salmonella spp e Escherichia coli. Antes da terceira coleta foram aplicadas medidas para melhorar as condições higiênico-sanitárias do estabelecimento e para avaliar se houve diferença entre as amostras anteriores. Observou-se que as amostras da carne moída e do moinho apresentaram presença de Salmonella sp e Escherichia coli nas duas primeiras semanas. Os resultados de coliformes totais e termotolerantes foram elevados para ambos parâmetros, tanto na carne (1.100 NMP/g) quanto no moinho (>1.100 NMP/g discordando do preconizado pela RDC nº 12 (2001). Porém, observando a necessidade de práticas que melhorassem a qualidade microbiológica das amostras analisadas, aplicaram-se medidas para melhorar as condições higiênico-sanitárias e então coletou-se novamente as amostras, sendo esta a terceira semana de coleta. Todas as amostras apresentaram valores mais reduzidos nos parâmetros de coliformes totais e coliformes termotolerantes, sendo 43 NMP/g e 36 NMP/g para a carne moída e 64 NMP/mL e 38 NMP/mL, para as amostragens do moinho, respectivamente. Foi verificada a ausência de Salmonella spp e Escherichia coli para todas as amostras da terceira coleta.Infere-se que nas duas primeiras semanas a carne moída comercializada em um frigorífico do Sertão da Paraíba estava inapta para o consumo devido principalmente a presença de Salmonella spp, evidenciando condições higiênico-sanitárias deficientes. Após a aplicação das práticas higiênicas a carne mostrou-se apta, enaltecendo a importância dos órgãos de Vigilância Sanitária para implantar medidas de melhoria das condições de produção, manuseio e venda deste produto.

Autor : WISLA KÍVIA DE ARAUJO SOARES

Modalidade : AT 12 - Saúde: ciência e saberes no semiárido

Sala : SALA 05 - AT 12/ AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:INTRODUÇÃO A região Nordeste ocupa lugar de destaque na exploração de caprinos correspondendo 93,2% do rebanho nacional e apresenta-se como atividade promissora, sendo a maioria dos rebanhos localizados principalmente em zonas semiáridas (IBGE, 2017). O leite de cabra vem tomando lugar de destaque por possuir características importantes do ponto de vista nutricional, sendo uma referência na recomendação de consumo na alimentação humana e por isso, vem ganhado espaço no mercado consumidor. O leite caprino apresenta-se ainda como uma nova fonte de geração de alimentos e renda essencialmente para produtores rurais. Os parâmetros físico-químicos tem sido um dos principais fatores que promove a aceitação desse leite. OBJETIVOS Considerando a importância do leite de cabra, bem como a necessidade de informações sobre sua adequação à legislação, objetivou-se caracterizar quanto aos parâmetros físico-químicos o leite de diferentes raças caprinas do Cariri paraibano. METODOLOGIA Foram adquiridas em fazendas localizadas no Cariri da Paraíba, cinco amostras de leite de diferentes raças caprinas, sendo essas, Parda Sertaneja, Moxotó, Murciana, Alpina Francesa e Saanen. Após a coleta, as amostras foram acondicionadas em caixas térmicas contendo gelo e transportadas imediatamente para o Laboratório de Tecnologia de Grãos e Cereais da Universidade Federal de Campina Grande, Campus de Pombal-PB. Os leites de diferentes tipos de raças caprinas foram analisados físico-quimicamente quanto aos parâmetros de gordura (%), extrato seco total (%), extrato seco desengordurado (%), cinzas (%), pH e acidez titulável (ºD). RESULTADO E DISCUSSÃO Observou-se que todas as raças apresentaram pH entre 6,3 e 6,6 com valor médio de 6,5. Segundo a Instrução Normativa nº 37 (Brasil, 2000) é preconizado para acidez de leite, valores entre 13 e 18 ºD, no presente estudo apenas o leite da raça Saanen obteve um valor superior ao padrão (20 ºD), as demais raças atingiram resultados dentro da faixa permitida. O teor de gordura das diferentes raças variou entre 3,3 a 4,3%, com valor médio de 3,7%. Quanto aos valores de cinzas, que corresponde ao conteúdo mineral do leite, todas as raças apresentaram valores superiores à quantidade mínima permitida (0,70%) pelo padrão (BRASIL, 2000) com valores entre 0,73 e 0,87%. As análises de extrato seco total apresentaram variação de 9,77 a 12,77% (valor médio de 11,00%). O extrato seco desengordurado variou de 6,06 a 8,37%, com valor médio de 7,07%, porém o padrão mínimo permitido é de 8,20%. CONSIDERAÇÕES FINAIS Diante do exposto, infere-se que os leites de diferentes raças caprinas do Cariri paraibano, apresentaram diferenças frente às análises físico-químicas, contudo ainda podem ser considerados uma boa opção de consumo, uma vez que foi exposto valores condizentes com o permitido pela legislação vigente na maioria dos parâmetros físico-químicos analisados.

Autor : ELYS KARINE CARVALHO DA SILVA

Modalidade : AT 12 - Saúde: ciência e saberes no semiárido

Sala : SALA 05 - AT 12/ AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:A Caatinga apresenta riqueza em plantas que, como estratégia de sobrevivência, produzem um número maior de metabólitos secundários. Estes são de grande importância, uma vez que possuem efeitos biológicos sobre várias patologias, sendo importantes fontes de pesquisa para produção de fitofármacos. Algumas moléculas produzidas durante condições adversas, como compostos fenólicos e suas diferentes classes, possuem atividade antioxidante, diminuindo o estresse oxidativo e como consequência, mutações no DNA (GODIC et al., 2014). As plantas do gênero Anadenanthera pertencem a família Fabaceae e são muito usadas na medicina popular como antidiarreico e no tratamento das infecções pulmonares e vias respiratórias. Dessa forma, o presente trabalho teve como objetivo determinar a caracterização fitoquímica dos extratos metanólico e aquoso de ramos da Anadenanthera colubrina e comparar seus resultados com ensaios in vitro do seu potencial antioxidante. As plantas foram coletadas em Buíque-PE, processadas e depositadas no Herbário do Instituto Agronômico de Pernambuco. Os extratos foram caracterizados pelo método de Cromatografia em Camada Delgada (CCD). A dosagem de Fenóis foi feita de acordo com o método de Folin-Ciocalteu (2007) e os resultados foram expressos em miligrama Equivalente de Ácido Gálico por grama do extrato. Os flavonóides foram mensurados através da metodologia de Woisky e Salatino (1998). Os resultados foram expressos em miligrama Equivalente da Quercetina por grama do extrato. Para atividade sequestradora de radical livre foi usado o radical estável DPPH. O resultado foi expresso como IC50 (Concentração Inibitória de 50%). O ensaio de ABTS foi realizado de acordo com Re et al. (1999). A eliminação dos radicais foi estimada em porcentagem. O método de fosfomolibdênio foi realizado seguindo a metodologia de Prieto et al. (1999). Os resultados foram expressos em relação ao ácido ascórbico. Como resultado, o CCD mostrou que o extrato aquoso apresenta maior presença de metabólitos testados. A média do teor de compostos fenólicos do extrato aquoso (218,22 mg EAG/g1) foi maior do que a média do extrato metanólico (104,06 mg EAG/g1). A concentração de flavonóides nos valores de 1,31 mg EQ/g1 para o extrato metanólico e 2,88 mg EQ/g1 para o extrato aquoso não foi significativa em comparação com os valores da quercetina (99,18 mg EQ/g1). No teste de DPPH, o extrato aquoso (290,46 µg/mL) apresentou melhor IC50 em comparação com o extrato metanólico (391,19 µg/mL). Os experimentos mostraram que o extrato aquoso apresentou 82,99% de inibição do radical ABTS e o extrato metanólico apresentou 82,2%, enquanto o Trolox, utilizado como padrão, apresentou 70,91% de inibição. No teste de fosfomolibdênio, o extrato aquoso (137,65%) apresentou maior atividade em relação ao extrato metanólico (34,35%) e ao ácido ascórbico (100%). Com base nos resultados obtidos no presente estudo, concluiu-se que os extratos metanólico e aquoso dos ramos da Anadenanthera colubrina apresentaram uma considerável atividade antioxidante e possuem quantidades substanciais de compostos fenólicos. Assim, esta espécie pode ser considerada uma boa fonte de antioxidantes. Além disso, apesar dos dois solventes serem capazes de extrair compostos biológicos, o extrato aquoso apresentou melhores resultados nos testes, por isso, pode ser considerado um melhor líquido extrator. E, por fim, são necessários mais estudos para isolar os compostos bioativos responsáveis pelos resultados positivos obtidos para avaliar mais detalhadamente sua capacidade antioxidante.

Autor : THIAGO DE SÁ SENA

Modalidade : AT 12 - Saúde: ciência e saberes no semiárido

Sala : SALA 05 - AT 12/ AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:O setor da construção civil é uma indústria de elevados riscos, sendo assim as empresas desse setor buscam a cada dia mais a segurança para seus trabalhadores. A despeito dos custos acrescentados com as medidas de segurança, aderir a esses procedimentos finda por diminuir os custos adicionais, porventura, da mão de obra ausente ou custos com reparo de danos causados a funcionários que não executam suas atividades conforme as normas de segurança, tanto por falta de treinamento quanto por não aplicação do treinamento (ALMEIDA, 2016). Os riscos ergonômicos no setor da construção civil são desde complicações relacionadas à coluna vertebral, pele, audição e lesões, bem como os efeitos de trabalho exposto ao sol, ruído, vibrações, produtos químicos, eletricidade, dentre outros fatores, chegando até ocorrência de acidentes (BORBA e SOARES, 2013). Este estudo tem como principal objetivo montar um panorama da situação dos riscos ergonômicos na microrregião do Curimataú Oriental, no município de Araruna, Paraíba, através da análise comparativa do grau de risco ergonômico de atividades corriqueiras de serventes e pedreiros de uma obra na fase inicial e final por meio de dados gerados pelo programa computacional Ergolândia. Além de se classificar como um estudo de aspectos qualitativo, quantitativo e descritiva, visto que averigua a intensidade de determinadas atividades e detalha os prováveis pontos que necessitam de melhorias para um melhor bem-estar físico do trabalhador. As ferramentas de análise utilizadas foram um questionário com as possíveis queixas para serem assinaladas; observação da execução das tarefas diretamente no canteiro de obra e fotos para o registro das posturas. Todas as ferramentas auxiliaram no momento de alimentar o programa Ergolândia, no qual foi utilizado o modelo OWAS (Ovako Working Posture Analysin System) para processamento dos dados e determinação do grau de risco ergonômico postural envolvido em cada atividade realizada pelos operários tanto na fase inicial quanto na fase de acabamento da obra. O modelo OWAS classifica as atividades em quatro tipos de riscos, no qual o primeiro grau de risco na postura dispensa cuidados; no segundo, a postura deve ser revisada; no terceiro, a postura merece atenção a curto prazo; e no quarto, a postura merece atenção imediata, necessitando correções urgente. Por último, comparou-se o grau de risco envolvido em cada atividade da obra conforme sua fase a fim de saber a fase que apresentou maior grau de risco ao trabalhador. Dos resultados obtidos, verificou-se que todas as atividades apresentam grau de risco entre o um e o três, ou seja, que precisam de algumas correções e atenção em curto prazo, e outras poucas se quer necessitam de cuidados. Na análise comparativa entre os graus de risco ergonômicos nas fases inicial e final, obteve-se que as duas fases apresentam quase os mesmos graus de risco postural, visto que as mesmas características de risco ergonômico, transporte de materiais e a mudança de altura de trabalho, continuam afetando a coluna, braços e pernas, são aspectos mais críticos no desgaste das articulações, e que acompanham os operários no decorrer da obra do início ao fim. Porém, com apenas algumas medidas mitigadoras, os riscos envolvidos reduziriam bastante para algumas atividades, como manter a postura ereta no assentamento de tijolos e dobrar os joelhos ao invés da coluna ao agachar-se para pegar material, da mesma forma para pintura e aplicação de massa corrida na fase de acabamento. Concluiu-se que os trabalhadores da construção civil na região analisada estão sujeitos a graves riscos posturais, os quais mudam de região anatômica conforme o tipo de atividade executada. Entretanto, através da adoção de boas práticas, treinamento ergonômico e as correções adequadas, esses riscos podem ser suavizados.

Autor : ANA BEATRIZ SILVA DA COSTA

Modalidade : AT 12 - Saúde: ciência e saberes no semiárido

Sala : SALA 05 - AT 12/ AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:De acordo com Resolução CONAMA n° 358/05, os resíduos químicos que apresentam risco a saúde ou ao meio ambiente, podem ser encaminhados para aterros licenciados, ou, no caso dos líquidos, podem ser lançados na rede coletora de esgoto, desde que atendam respectivamente as diretrizes dos órgãos ambientais. Partindo dessa premissa, o objetivo desse trabalho foi avaliar se as pessoas que aguardavam consulta médica na Unidade Básica de Saúde de Parnamirim estavam descartando os resíduos hospitalares de suas residências de forma correta, de acordo com as normas vigentes. Diminuindo, dessa forma, os impactos ambientais e de saúde, bem como se a população recebia alguma orientação por parte da Unidade Básica de Saúde do Centro de Parnamirim quanto aos cuidados com o descarte de medicamentos e se os pacientes eram orientados a fazer a devolução de restos medicamentosos naquela Unidade de Saúde. E, ainda, avaliar se os resíduos hospitalares daquela Unidade Básica de Saúde eram descartados de forma correta. A metodologia utilizada consistiu de pesquisas bibliográficas, legislativa e de campo. Na pesquisa de campo foram feitos registros, através de descrição e entrevistas sobre as condições de descarte de resíduos hospitalares. Sendo assim foi realizada uma de visita a Unidade Básica de Saúde do Centro de Parnamirim para coleta de dados, através de aplicação de dois questionários: um dirigido à diretora do Posto de Saúde e outro aos pacientes que se encontravam na Unidade, aguardando consulta médica. Através das respostas proferidas foi avaliado se o descarte dos resíduos utilizados pela população e pela Unidade de Saúde atendiam as determinações da Lei nº 12.305/10. Foram entrevistadas 20 (vinte) pessoas sendo 15 (quinze) mulheres e 5 (cinco homens) na Unidade de Saúde Básica de Saúde Centro de Parnamirim. De acordo com os entrevistados, eles nunca receberam nenhuma orientação sobre o descarte adequado dos medicamentos após utilizá-los em domicílio. Sendo assim, os resíduos medicamentosos eram descartados no lixo comum das residências. Além disso, foi relatado pela gestora que o posto de saúde não recebe resíduos dos medicamentos distribuídos para a população. Já em relação ao lixo hospitalar da Unidade de Saúde (seringas, gazes, esparadrapos, etc) foi relatado que ficam armazenados em coletores apropriados, separados dos resíduos comuns. Ainda, segundo a diretora, a Prefeitura de Parnamirim contratou uma empresa especializada que vai ao local fazer a coleta de forma apropriada, de acordo com os padrões exigidos na legislação. Dessa forma, verificou-se que apenas o lixo da Unidade Básica de Saúde é descartado de forma correta. Diante da pesquisa realizada, observou-se a necessidade de conscientização da população em relação ao descarte de resíduos de medicamentos de forma adequada. Ademais, percebeu-se que essas orientações poderiam ser dadas pelos profissionais de saúde nas Unidades Básicas de Atendimento ao entregar os medicamentos à população o que não ocorre na prática.

Autor : ANDREZA FERREIRA GUEDES

Modalidade : AT 12 - Saúde: ciência e saberes no semiárido

Sala : SALA 05 - AT 12/ AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:O Brasil tem uma rica história de uso de plantas medicinais no tratamento dos problemas de saúde da população, uso este construído com base na experiência e transmitido de forma oral (BRUNING et al., 2012). No Estado da Paraíba a utilização de plantas medicinais com fins terapêuticos ainda é bastante comum, principalmente no meio rural e no urbano de baixo poder aquisitivo (MARINHO., 2006). Estudos etnobotânicos nesta região devem ser incentivados visando uma melhoria do tão precário quadro da saúde da população, conciliando a experiência popular com o conhecimento científico, para que se tenha uma fitoterapia segura e eficaz. Em se tratando da universidade e tendo em vista o papel que ela representa na formação do indivíduo e a sua potencialidade de estimular a criação de conceitos, assim como sua atitude questionadora e crítica em relação à realidade, o presente trabalho objetivou investigar o nível de conhecimento, crença e utilização de plantas medicinais entre participantes de um simpósio, organizado por uma universidade. Essa pesquisa foi desenvolvida em um minicurso intitulado: Utilização de plantas medicinais (Fitoterapia), ministrado durante o IV Simpósio Patoense de Biologia, no município de Patos-PB, organizado pela Universidade Estadual Vale do Acaraú. Trata-se de uma pesquisa descritiva com abordagens quantitativa e qualitativa. Os dados foram coletados durante o minicurso. O instrumento usado para a coleta de dados foi um questionário estruturado composto por duas partes: dados sociais dos participantes e questões, objetivas e subjetivas, referentes ao conhecimento e à utilização de plantas medicinais. Em seguida foi ministrada uma palestra sobre a importância do uso correto de plantas medicinais para a saúde do usuário e formas de preparo de fitoterápicos. Os dados obtidos com a aplicação dos formulários foram armazenados em um banco de dados desenvolvido no programa Microsoft Excel® (2016). Foram utilizados gráficos contendo frequências relativas e uma tabela com as plantas utilizadas e suas indicações terapêuticas. A população foi constituída por 34 participantes do minicurso, com idade de 16 a 49 anos. Destes, 27 eram do sexo feminino e 7 do sexo masculino. Todos sabiam o que é uma planta medicinal e acreditavam na cura de enfermidades através da fitoterapia. Foram citadas 21 espécies de plantas medicinais distribuídas em 16 famílias botânicas. As plantas medicinais mais citadas foram erva cidreira (21,1%), chá verde (5,2%), macela (8%), romã (8%), hortelã (8%) e camomila (8%). A erva cidreira (Lippia alba (Mill) N. E. Brown) apresentou as seguintes indicações terapêuticas: diarreia, digestão, afecções estomacais, aperiente, calmante, dor de cabeça e dores musculares. A própria residência (61,76%) foi o local mais próximo onde os entrevistados podiam encontrar plantas medicinais. O chá (43,33%) e o xarope (33,33%) foram os remédios caseiros mais utilizados pelo público-alvo e o aprendizado sobre o uso de plantas medicinais foi adquirido principalmente através da família (56,61%). Com essas informações é possível notar que os entrevistados detêm um conhecimento popular acerca do uso de plantas medicinais e a crença e a prática da medicina caseira são transmitidas ao longo das gerações. Nenhum informante citou a Universidade como fonte de aquisição de conhecimentos sobre esse tema. Demonstrando assim que as Instituições de Ensino Superior não têm contribuído, de forma significativa, na difusão de conhecimentos científicos sobre a utilização de plantas medicinais. Contudo, faz-se necessário a participação das instituições de ensino na divulgação do uso correto de plantas medicinais, buscando assim melhores condições de vida para população.

Autor : MAIRA HONORATO DE MOURA SILVA

Modalidade : AT 12 - Saúde: ciência e saberes no semiárido

Sala : SALA 05 - AT 12/ AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:Os óleos essenciais (OE’s) são frações voláteis naturais que conferem os aromas percebidos em algumas espécies vegetais e têm dispertado um interesse considerável para utilização médica por todo mundo em virtude de sua complexa composição e seus efeitos farmacológicos (SANTOS, 1997). A Caatinga apontada como rica em espécies endêmicas e bastante heterogênea corresponde a um habitat tipicamente ocupado pelas Euphorbiaceae. Dentre os gêneros dessa família destaca-se Croton L. por ser o segundo maior e mais diverso, com cerca de 1.200 espécies (CORDEIRO et al., 2016). Um dos fatores influenciados pela sazonalidade climática presente na Caatinga é a produção de óleos essenciais. Com isso, o objetivo deste trabalho foi verificar o efeito sazonal sobre o rendimento e o potencial antioxidante dos OE’s foliares de Croton argyrophyllus Kunth. Folhas foram coletadas de uma mesma população no Vale do Catimbau, Buíque-PE entre as estações seca e chuvosa do ano de 2016, sendo voucher depositado no Herbário UFP da Universidade Federal de Pernambuco sob o número 82.882. Os OE’s foliares de Croton argyrophullus foram obtidos por hidrodestilação, utilizando aparelho tipo Clevenger, por um período de três horas (PEREIRA et al., 2011). Em seguida, o óleo foi coletado e seco com sulfato de sódio anidro (Na2SO4) e mantido em refrigerador (-5 ºC) num frasco de vidro âmbar para os ensaios biológicos. O rendimento do óleo essencial foi definido como o quociente do peso do óleo recolhido e o peso seco do material vegetal extraído (SANTOS et al., 2014) OE foi testado quanto a sua capacidade em estabilizar o radical livre DPPH e sua Capacidade Antioxidante Total (CAT%). O teor de óleo essencial analisado não apresentou diferença estatística significativa dos rendimentos do OE’s entre as estações, indicando não haver variabilidade sazonal quantitativa na produção de OE em folhas desta população. Portanto, a coleta de OE neste órgão vegetal pode ser realizada em qualquer época do ano visando à obtenção deste extrativo Quanto à habilidade do OE foliar de C. argyrophyllus em estabilizar o radical livre DPPH, o mesmo apresentou IC50 de 3,99 μg/ml na estação seca. Diferentemente do apresentado por Brito (2014) para OE foliar de C. linearifolius que obteve IC50 acima de 81,50 μg/ml. O que demonstra sua alta capacidade antioxidante, já que esse valor pode ser comparado ao IC50 apresentado pela quercetina (3,192 μg/ml) em teste realizado com DPPH, utilizando a mesma como controle positivo (BRITO, 2014). Difere também, segundo Bastos (2014), do IC50 de OE de C. nummularius (62.52 mg/ml). Já quanto a capacidade antioxidante total, houve efeito da sazonalidade sobre o OE de Croton argyrophyllus, pois foi capaz de captar cerca de 68%± 0,07 do fosfomolibdênio na estação chuvosa, enquanto que na estação seca, cerca de 64%± 0,20. Devido à importância dos antioxidantes, por serem substâncias capazes de neutralizar os danos provocados pelo processo natural de oxidação nos organismos vivos, que se faz necessária investigação da caracterização química do OE de Croton argyrophyllus para identificação dos compostos majoritários responsáveis pela ação antioxidante apresentada.

Autor : ANNE MICHELINE SOUZA GAMA

Modalidade : AT 12 - Saúde: ciência e saberes no semiárido

Sala : SALA 05 - AT 12/ AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:Um fato lamentável sobre nosso país é que boa parte da população brasileira não possui o hábito da leitura. E isso acaba se refletindo nas futuras gerações que passam a não gostar de ler podendo inclusive desenvolver dificuldades de leitura e escrita. Amiúde, as crianças passam horas em frente a televisão, computadores, videogame, celular entre outras mídias digitais, todavia por não conviverem com leitores e nem receberem quaisquer estímulos nesse sentido depreciam o ato de manusear um livro e lê-lo. Tais constatações são visíveis nos indivíduos que não apresentam nenhuma dificuldade de desenvolvimento cognitivo, para os quais o ato de ler ou não ler um livro é uma opção. O contato com a literatura para os que apresentam algum transtorno mental (sofrimento psíquico) torna-se algo que parece ainda mais inatingível. Partindo-se dessa premissa surgiu a sensibilidade e necessidade de trabalho com esse público. O presente objetiva apresenta, através de pesquisa bibliográfica e projeto realizado em instituição de atendimento psicossocial infanto-juvenil, a importância da literatura como um instrumento para estimular o desenvolvimento cognitivo e simbólico em portadores de transtornos mentais, bem como seu papel educativo ao apresentar representações do semiárido para conhecermos as especificidades dessa região. Utilizamos como fonte o livro Seara Vermelha de Jorge Amado, através do qual realizamos rodas de contação de história, conversas terapêuticas e atividades como desenhos, pinturas e colagens em oficinas de simbolização e aprendizagem no CAPSi Viva Gente, Campina Grande/PB. Como resultado, constatamos a grande importância do hábito da leitura no que concerne desenvolvimento das crianças e adolescentes, bem como seus fins terapêuticos e didáticos, servindo a literatura como instrumento motivador no trabalho psicopedagógico para melhor atender as necessidades dos nossos usuários, sendo facilitadora no desenvolvimento cognitivo e da linguagem, expressão corporal, capacidade de concentração, entre outros aspectos. Destacamos o estímulo às associações e dessa maneira construir e reconstruir conhecimentos adquirindo novos e ampliando os que já possuíam, sobretudo com relação aos saberes e vivências da região semiárida e êxodo rural da mesma. Utilizamos como referências SOUZA (1996) e SANTOS (2002) acerca dos problemas de aprendizagem; e CALDIN (2001), FLECK (2007), PIENTA (2013) sobre o papel da literatura para fins terapêuticos e educativos.

Autor : THIAGO WILLAME BARBOSA ALVES

Modalidade : AT 12 - Saúde: ciência e saberes no semiárido

Sala : SALA 05 - AT 12/ AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:Introdução: A esquistossomose mansônica é uma doença parasitária causada por helmintos da espécie Schistosoma mansoni. Sua transmissão ocorre principalmente por veiculação hídrica, infestados por cercárias, as quais são eliminadas por caramujos do gênero Biomphalaria, hospedeiros intermediários desses helmintos. Esse parasita está localizado principalmente em regiões tropicais, sendo endêmico no Brasil, estendendo-se dos estados do Maranhão a Minas Gerais, distribuindo-se em toda costa litorânea nordestina e seguindo o trajeto de importantes bacias hidrográficas. Na região Nordeste, a esquistossomose tem caráter endêmico, onde se sabe pouco do seu perfil epidemiológico, destacando o estado da Paraíba. Objetivos: Diante desse contexto, levando em consideração a escassez de estudos sobre esquistossomose no Nordeste e no estado da Paraíba e a importância que esta temática apresenta, para o desenvolvimento de indicadores e políticas públicas que possam contribuir para a melhoria da saúde da população nordestina e paraibana, o presente trabalho teve por objetivo fazer um levantamento epidemiológico para conhecer o panorama da esquistossomose na região Nordeste do país, dando foco ao estado da Paraíba, entre os anos de 2013 a 2017. Metodologia: Tratou-se de um estudo epidemiológico, do tipo documental e retrospectivo, em que houve a recuperação de dados secundários a partir do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN). Foram avaliadas as variáveis: ano, estado de notificação, municípios com o maior número de notificações, sexo, faixa etária, escolaridade e raça, na qual houve a utilização do número absoluto e frequência relativa, possibilitando a construção de tabelas e gráficos. O programa estatístico utilizado para o desenvolvimento de gráficos e a realização dos cálculos foi o software Statistical Package for Social Sciences (SPSS), versão 13.0. for Windows. Resultados e Discussão: Entre os anos de 2013 a 2017, foram acometidos por esquistossomose no Brasil, 27.802 indivíduos, sendo o ano de 2013, aquele que apresentou o maior número de casos (23,8%). O Nordeste brasileiro foi a segunda região, com o maior número de agravos para essa parasitose, com 22,6% dos casos notificados, perdendo em número de notificação para a região Sudeste (74,4%). A Paraíba, foi o quarto estado nordestino com o maior número de notificações, com 7,5% dos casos. Dentre as cidades paraibanas, as que obtiveram o maior número de notificação de casos de esquistossomose, foram Pedras de Fogo-PB (25,5%), Baía da Traição-PB (10%) e Barra de Santana-PB (9,5%). Indivíduos do sexo feminino foram os mais acometidos na Paraíba, com 52,2% dos casos. A faixa etária, escolaridade e raça predominante de infectados na Paraíba, foi de adultos (75,6%), escolaridade baixa (35,4%) e cor parda (60%). Considerações finais: Os resultados expostos neste estudo, podem servir como direcionamento para o desenvolvimento de políticas públicas de saúde voltadas para a população pouco escolarizada, do sexo feminino e economicamente ativa. Demostrando que a prevenção é de extrema importância, com o acompanhamento dos casos confirmados, tratamentos dos mananciais infectados, capacitação dos profissionais de saúde e investimento no aprendizado da população, como também investimento em saneamento básico.

Autor : FRANCISCO PATRICIO DE ANDRADE JÚNIOR

Modalidade : AT 12 - Saúde: ciência e saberes no semiárido

Sala : SALA 05 - AT 12/ AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:Introdução: O sistema nervoso central é composto por diversas barreiras de proteção, como a pele, os ossos, o líquido cefalorraquiadiano e as meninges, sendo que estas últimas podem ser comprometidas pelo aparecimento da meningite, que é conceituada como processo inflamatório nas meninges causada por agentes biológicos e não biológicos, destacando-se as bactérias, fungos, vírus, parasitos, substâncias químicas e impactos mecânicos na região do crânio. No Brasil, mesmo apresentando-se como uma doença endêmica, pouco ainda se conhece acerca do seu perfil epidemiológico em diversas localidades do Brasil, destacando o estado do Rio Grande do Norte e mais especificamente, sua capital, Natal. Objetivos: Nesse contexto, levando em consideração a escassez de estudos sobre meningite na cidade de Natal-RN e a importância que esta temática apresenta para o desenvolvimento de indicadores e políticas públicas que possam contribuir para a melhoria da saúde da população natalense, o presente trabalho teve como objetivo evidenciar o perfil epidemiológico de acometidos por meningite na capital potiguar entre os anos de 2010 a 2017. Metodologia: Tratou-se de um estudo epidemiológico, do tipo documental e retrospectivo, em que houve a recuperação de dados secundários a partir do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde do Brasil (DATASUS). Foram avaliadas as variáveis: ano, sexo, faixa etária, escolaridade e etiologia da doença, na qual utilizou-se o número absoluto e frequência relativa possibilitando a construção de tabelas e gráficos. O programa estatístico utilizado para o desenvolvimento de gráficos e a realização dos cálculos foi o Microsoft Excel 2010. Resultados: Entre os anos de 2010 a 2017, foram acometidos por meningite, em Natal-RN, 812 indivíduos, sendo o ano de 2011, aquele que apresentou o maior número de casos (19,8%). Indivíduos do sexo masculino foram os mais acometido com 57,4% dos casos. A faixa etária predominante de infectados foi entre 20 a 39 anos (25,5%) que pode ser justificada devido a questões laborais, sobretudo, de locais potencialmente contaminados como hospitais ou ainda devido a esses indivíduos terem de desenvolver o labor em sítios com grande aglomerado de pessoas, contribuindo para a fácil disseminação de patógenos. A baixa escolaridade foi mais comumente observada, entre os pacientes com meningite, com cerca de 28,3%, o que pode estar relacionado ao pouco acesso a informação, e consequente desconhecimento acerca da importância e de quais são as medidas preventivas para impedir um possível desenvolvimento de meningite; a meningite do tipo bacteriana foi a mais frequente (35,1%). Considerações finais: Os resultados expostos neste estudo, podem servir como direcionamento para o desenvolvimento de políticas públicas de saúde voltadas para todos os públicos, mas principalmente para a população pouco escolarizada, economicamente ativa e do sexo masculino. Além disso, o conhecimento da prevalência em anos consecutivos e da etiologia mostra-se importante na construção de estratégias para melhoria de medidas de contenção de casos, no aumento da cobertura vacinal e das medidas profiláticas.

Autor : THIAGO WILLAME BARBOSA ALVES

Modalidade : AT 12 - Saúde: ciência e saberes no semiárido

Sala : SALA 05 - AT 12/ AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:Introdução: A raiva é uma infecção zoonótica que atinge o sistema nervoso central, sendo causada por um vírus de RNA pertencente ao gênero Lyssavirus. Sua transmissão para o homem ocorre pela inoculação do agente infeccioso presente na saliva e secreções do animal infectado, principalmente pela mordedura. Toda a classe Mammalia (mamíferos) está susceptível ao vírus da raiva, porém duas ordens (Carnivora e Chiroptera), são considerados reservatórios primários, tendo importância para a saúde pública. No Nordeste brasileiro a raiva é endêmica, sendo registrado casos de raiva humana em todas unidades federativas dessa região. Objetivos: Diante desse contexto, levando em consideração a escassez de estudos sobre a raiva humana no Nordeste brasileiro e a importância que esta temática apresenta, para o desenvolvimento de indicadores e políticas públicas que possam contribuir para a melhoria da saúde da população nordestina, o presente trabalho teve por objetivo fazer um levantamento epidemiológico para conhecer o panorama da raiva humana na região Nordeste do país, entre os anos de 2001 a 2017. Metodologia: Tratou-se de um estudo epidemiológico, do tipo documental e retrospectivo, em que houve a recuperação de dados secundários a partir do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN). Foram avaliadas as variáveis: ano, estado de notificação, sexo, faixa etária, escolaridade, raça e animal agressor vacinado na qual houve a utilização do número absoluto e frequência relativa, possibilitando a construção de tabelas e gráficos. O programa estatístico utilizado para o desenvolvimento de gráficos e a realização dos cálculos foi o software Statistical Package for Social Sciences (SPSS), versão 13.0. for Windows. Resultados e Discussão: Entre os anos de 2001 a 2017, foram registrados 148 casos de raiva humana no Brasil, dos quais 72,6% ocorreram no Nordeste do pais, sendo essa região a mais endêmica de todo território brasileiro. Dentre os anos analisados, observou-se que o ano de 2005, foi que registrou o maior número de casos no Nordeste, com 28,2%, seguido pelos anos de 2003 e 2001, com 16,5% e 11,8% respectivamente. O Maranhão foi o estado mais endêmico da região nordestina, com 52,9% das notificações de raiva humana, seguido pelos estados do Ceará (17,6%), Bahia (8,2%), Piauí (5,9%), Alagoas (5,9%) e Pernambuco (4,7%). Os indivíduos do sexo masculino foram os mais acometidos, com 64,7% dos casos. A faixa etária adulta, escolaridade baixa e raça parda foram as de maior prevalência no estudo, com 35,3%, 56,5% e 63,5% respectivamente. Os cães são incriminados como espécie com o maior número de agravos, com 36,5%. Considerações finais: Os resultados expostos neste estudo, podem servir como direcionamento e desenvolvimento de políticas públicas de saúde voltadas para a população pouco escolarizada, do sexo masculino e economicamente ativa. Demostrando que a capacitação dos cidadãos, implantação de um mapeamento epidemiológico da raiva animal e humana na região nordestina e a criação de um Centro de Controle de Zoonoses nas cidades satélites de cada região, ira facilitar a vigilância dos casos humanos e animais, gerando melhoria na aplicação do protocolo profilático do atendimento antirrábico humano.

Autor : FRANCISCO PATRICIO DE ANDRADE JÚNIOR

Modalidade : AT 12 - Saúde: ciência e saberes no semiárido

Sala : SALA 05 - AT 12/ AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:Introdução: A tuberculose é uma doença infecciosa causada pelo agente etiológico Mycobacterium tuberculosis que afeta principalmente os pulmões, entretanto, em pacientes que apresentam o seu sistema imunológico debilitado, esta bactéria pode ganhar a corrente sanguínea e atingir outros órgãos. Mesmo apresentando grande importância para a saúde pública, o perfil de acometidos por esse tipo de enfermidade ainda é pouco investigado na literatura, fazendo com que diversas cidades brasileiras não tenham informações suficientes para produzir políticas públicas mais específicas para o combate desta bacteriose. Dentre estas cidades, pode-se destacar Natal, a capital do estado do Rio Grande do Norte. Objetivos: Nesse contexto, levando em consideração a escassez de estudos sobre tuberculose na cidade de Natal-RN e a importância que esta temática apresenta para o desenvolvimento de indicadores e políticas públicas que possam contribuir para a melhoria da saúde da população natalense, o presente trabalho teve como objetivo evidenciar o perfil epidemiológico de acometidos por tuberculose na capital potiguar entre os anos de 2010 a 2017. Metodologia: Tratou-se de um estudo epidemiológico, do tipo documental e retrospectivo, em que houve a recuperação de dados secundários a partir do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde do Brasil (DATASUS). Foram avaliadas as variáveis: ano, sexo, faixa etária, zona de habitação/residência, coinfecção com vírus da imunodeficiência adquirida (HIV) e se possuía diabetes. A partir desses dados, utilizou-se o número absoluto e frequência relativa que possibilitaram a construção de tabelas e gráficos. O programa estatístico utilizado foi o Microsoft Excel 2010. Resultados: Entre os anos de 2010 a 2017, foram notificados e confirmados 5.086 casos de tuberculose na capital potiguar, sendo o ano de 2011 aquele que apresentou o maior número de casos com 13,9%. Em relação ao sexo, indivíduos do sexo masculino foram os mais acometidos, com 69,2% dos casos, enquanto que a faixa etária majoritariamente atingida foi de a de 20 a 39 anos com 43,6% e zona de habitação dos acometidos foi principalmente a urbana com 94,1%. A tuberculose está principalmente relacionada a pacientes que apresentam-se imunocomprometidos ou até mesmo que possuam imaturidade imunológica (crianças e recém-nascidos), de forma que pode ser evidenciada em portadores do vírus da imunodeficiência adquirida em estado de Aids e em diabéticos, sobretudo, descompensados, dessa forma foi evidenciado que dentre os acometidos por tuberculose, 14,4% apresentavam-se coinfectados com HIV, enquanto que 9,1% eram diabéticos. Considerações finais: No ano de 2011 foi observado o maior número de casos de tuberculose. Em relação ao perfil de acometidos, evidenciou-se o predomínio de indivíduos do sexo masculino, com 20 a 39 anos de idade, residentes da zona urbana, em que pequena parcela destes apresentaram-se diabéticos ou portadores de HIV. O alto percentual de infectados em Natal mostra a necessidade de se intensificar o enfrentamento da doença na população com medidas como diagnóstico precoce, detecção de coinfecções e comorbidades que podem levar ao adoecimento, quimioprofilaxia, vacinação e melhorias de condições sociais.

Autor : RAYZA HELEN GRACIANO DOS SANTOS

Modalidade : AT 12 - Saúde: ciência e saberes no semiárido

Sala : SALA 05 - AT 12/ AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:Introdução: Atualmente, o interesse e pesquisa de novas substâncias bioativas derivadas de produtos naturais está crescendo, fato atribuído à constante necessidade de tratamentos mais eficazes e acessíveis e de fácil obtenção (SILVA-CARVALHO et al., 2015), entre essas substâncias se encontram os óleos essenciais (OEs). A família Myrtaceae compreende cerca de 150 gêneros, com aproximadamente 3.600 espécies. Uma das características marcantes desta família é a presença em seus órgãos vegetativos e reprodutivos, de estruturas secretoras de óleos essenciais (CRONQUIST, 1981). Os compostos bioativos geralmente apresentam toxicidade, principalmente em altas doses. Desta forma, a avaliação do potencial tóxico em um organismo animal menos complexo pode ser usada para um monitoramento simples e rápido (MACIEL, 2002). Objetivo: O presente estudo teve como objetivo a realizar ensaios de citoxicidade de óleo essencial foliar de Calyptranthes spp. ocorrentes no Vale do Catimbau – Buíque/PE com o modelo do microcrustáceo Artemia salina Leach para determinar a concentração letal para 50% dos indivíduos (LC50 μg/mL). O microcrustáceo Artemia salina Leach (Artemiidae) é um invertebrado de ecossistema aquático salino usado em ensaios laboratoriais de toxicidade e outras ações de estimativa de dose letal. Metodologia: As espécies foram coletadas no Vale do Catimbau (Buíque – PE) e os óleos essenciais (OEs) foram extraídos por hidrodestilação com água destilada, utilizando aparelho tipo Clevenger por 4 horas. Óleo essencial foliar de Calyptranthes spp. foi avaliado em um teste para letalidade a larvas de Artemia salina. A Toxicidade do óleo essencial (OE) foi testada usando uma diluição seriada de 1000, 500, 250, 125, 62,5 e 31,25 μg/mL de soluções de água do mar com Tween 80. Dez náuplios foram usados em cada teste e sobreviventes contados após 24 h. Três repetições foram utilizadas para cada concentração, sendo também uma série paralela de testes conduzidos com o branco controle. Doses letais do óleo essencial foram determinadas usando o programa GraphPad Prism de software LC50, com base na análise probit de Finney método (FINNEY, 1971). A toxicidade foi medida em termos de LC50 (letal concentração de 50% de metanauplios) e de acordo para Dolabela (1997). Resultados: Calyptranthes spp. apresentou um rendimento percentual médio de óleo essencial (OE) foliar de 0,32715 ± 0, 053 na estação chuvosa. Estudos de toxicidade utilizando Artemia salina foram sugeridos em muitos compostos com atividade biológica para determinar sua potencial aplicação terapêutica (PARRA et al., 2001). Calyptranthes spp. foi testada quanto a sua toxicidade sobre Artemia salina para determinar a concentração letal para 50% dos indivíduos (LC50 μg/mL) e apresentou LC50 de 29,21 µg/ml que, de acordo com Ramos et al. (2009), caracteriza-se como um óleo de alta toxicidade. Quanto menor o valor de LC50, mais tóxico é o composto frente a um organismo-teste, e maior é sua atividade citotóxica, sugerindo maior potencial como antitumoral. Embora possuam trabalhos com o gênero Calyptranthes com suas frações de extratos testadas quanto sua toxicidade utilizando Artemia salina como modelo (CONRADO et al., 2011; COE et al., 2010), estudos com os óleos essenciais deste gênero são escassos. Considerações finais: O óleo essencial de Calyptranthes spp. demostrou ser farmacologicamente promissor, sendo uma possível fonte de substâncias biologicamente ativa com propriedades tóxicas, apresentando alta toxicidade de acordo com o LC50 calculado por meio do teste de toxicidade utilizando Artemia salina como modelo. Com isso, é necessário que haja um cuidado e orientação da população quanto ao uso dessa espécie, pois seu uso em altas concentrações pode ser prejudicial. Sugere-se mais testes afim de verificar a toxicidade aguda e o seu real potencial antitumoral, uma vez esse ensaio de toxicidade pode ter uma boa correlação com atividade citotóxica em alguns tumores humanos (McLaughlin et al., 1998).

Autor : LEIDIANA ELIAS XAVIER

Modalidade : AT 12 - Saúde: ciência e saberes no semiárido

Sala : SALA 05 - AT 12/ AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:A bebida láctea é um produto obtido a partir do soro de leite, fermentados ou não, adicionado de ingredientes, sendo a base láctea correspondente a, no mínimo, 51% da massa do produto (BRASIL, 2004). Na tentativa de satisfazer os consumidores cada vez mais exigentes, têm sido desenvolvidas bebidas lácteas achocolatadas com diferentes concentrações de sacarose, no entanto dependendo do teor de açúcar, ocorrem alterações na matriz alimentar influenciando diretamente na aceitação do produto. Neste contexto, um procedimento rápido e eficiente para avaliar estas mudanças, é a utilização de um método discriminativo de comparação pareada, onde consiste no ato de fazer escolhas entre alternativas. Um par de amostras é apresentado para comparação com base em alguma característica de qualidade sensorial especificada, como por exemplo, sabor doce, salgado, amargo e azedo (LAWLESS & HEYMANN, 2010). Desta forma objetivou-se comparar o teor de doçura entre duas marcas comerciais de bebida láctea achocolatada, aplicando o método de comparação pareada direcional. Foram selecionadas duas marcas de bebidas lácteas sabor chocolate adquiridos em um supermercado de grande porte na cidade de Pombal-PB. As bebidas obtidas foram acondicionadas em caixas isotérmicas e transportadas ao Laboratório de Análise Sensorial, da Universidade Federal de Campina Grande- Campus Pombal. Foram selecionados 70 julgadores não treinados, com faixa etária entre 18 a 27 anos. Para o teste de comparação pareada, as amostras de bebidas lácteas foram servidas em temperatura à 10ºC, apresentadas em copos plásticos descartáveis (50 mL) codificados com números aleatórios de três dígitos, acompanhados de biscoito tipo água e sal, copo com água e ficha de avaliação. Em relação à análise sensorial, o método de comparação pareada demonstrou que 63% dos provadores indicaram que a marca A apresentou sabor com teor de doçura ideal, considerada mais aceita. Avaliando a marca B, 37% dos julgadores retrataram nas fichas que apresentavam um sabor mais adocicado quando comparado à marca A. Conforme a avaliação na tabela monocaudal, para um total de 70 testes aplicados, utilizando um nível de significância a 5% (p

Autor : BRENDA KERCYA DA SILVA FARIAS

Modalidade : AT 12 - Saúde: ciência e saberes no semiárido

Sala : SALA 05 - AT 12/ AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:Introdução: Conhecida popularmente por cajueiro em todo o Brasil, Anacardium occidentale é uma planta pertencente a família Anacardiaceae, é uma árvore encontrada predominantemente no nordeste, que se caracteriza por apresentar entre 12 a 14 metros de altura, ter como fruto a castanha e como pseudofruto o pedúnculo floral. No semiárido nordestino, este vegetal apresenta importância econômica e é amplamente utilizado como planta medicinal para diversos fins, destacando-se o tratamento de processos inflamatórios. Sendo assim, a pesquisa sobre o uso de A. occidentale é de grande relevância para produção de novos medicamentos. Objetivo: Realizar levantamento bibliográfico sobre o uso de A. occidentale por diferentes populações para o tratamento de inflamações e relacionar essa atividade terapêutica a possíveis metabólitos secundários. Metodologia: O presente estudo trata-se de uma revisão bibliográfica do tipo integrativa, na qual artigos, monografias, dissertações e teses publicadas em língua portuguesa foram recrutados, utilizando como delimitadores e palavras-chaves: 1) Anacardium occidentale; 2) Cajueiro; 3) Atividade antiinflamatória; 4) Planta do semiárido. Foram incluídos estudos que em seu conteúdo trouxessem informações relevantes acerca do uso de A. occidentale por diferentes populações para o combate de inflamações e que tivessem sido publicados entre 2009 à 2018. Estudos que não atenderam o tempo cronológico delimitado ou que evidenciaram o uso do cajueiro pela população para outros fins terapêuticos, foram excluídos. Os materiais foram recuperados a partir das bases de dados: LILACS (Litertura Latino-Americana em Ciência da Saúde), SciELO (Scientific Eletronic Library Online) e Bancos de Teses e Dissertações de Universidades Públicas. A última atualização ocorreu em 27/09/2018. Resultados: A partir da pesquisa, 51 estudos foram obtidos, entretanto somente 12 foram selecionados para a composição dos resultados. Foi possível observar que em diversos municípios e estados brasileiros, as mais diversas populações vêm utilizando o cajueiro para o tratamento de inflamação, sendo cerca de 66,6% (n=8) na região Nordeste. O órgão mais utilizado da planta foi a casca evidenciada em 83,3% (n=10) dos estudos, seguido de flores com 16,6% (n=2) e entrecasca com 16,6% (n=2). O efeito terapêutico pode de fato estar ocorrendo devido a existência de alguns metabólitos secundários, destacando-se os flavonoides. Estes fitoconstituintes são compostos polifenólicos que apresentam diversas ações biológicas descritas na literatura. Dentre elas, a capacidade de reprimir a inflamação, através da inibição de mediadores inflamatórios como TNF-α, IL-1, histamina, prostaglandinas PGE2 e PGE2a, bem como por meio da modulação das ciclo-oxigenases 1 e 2 (COX-1 e COX-2). Considerações finais: De acordo com os dados obtidos, foi possível inferir que o uso de Anacardium occidentale contribui para o controle de inflamações, principalmente pela presença de flavonoides. Entretanto, faz-se necessário a realização de mais estudos de prospecção fitoquímica, com finalidade de explorar o perfil farmacológico de outros grupos de metabólitos secundários existentes na planta, que podem apresentar tanto atividade antiinflamatória, quanto outra de interesse para a saúde.

Autor : EMANUEL NETO ALVES DE OLIVEIRA

Modalidade : AT17 - Interdisciplinaridade e Semiárido

Sala : SALA 05 - AT 12/ AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:O leite é o produto, sem outra especificação, oriundo da ordenha completa e ininterrupta, em condições de higiene adequadas, de vacas sadias, bem alimentadas e descansadas. Esse produto, apresenta uma rica composição nutricional, e por isso, faz-se necessário o emprego de técnicas que prolonguem sua vida útil. Entre os tratamentos térmicos mais utilizados para a conservação do leite, destaca-se a pasteurização e esterilização. O rótulo não exerce função de conservação do produto, mas é o principal agente visual que induz o consumidor levar o produto para casa, chamando sua atenção conforme o formato, cores, figuras, informações, entre outros elementos essenciais. Deste modo, objetivou-se com esta pesquisa avaliar as Informações Nutricionais e Distribuições Obrigatórias da rotulagem de leites UHT, comercializados no mercado varejista do município de Pau dos Ferros – RN. O estudo foi realizado no mercado varejista do município de Pau dos Ferros – RN, com 10 amostras de leite de diferentes marcas. A análise dos rótulos das embalagens de leite procedeu por preenchimento de planilha individual para cada amostra, com base nas legislações vigentes: Resolução RDC n° 259/02; Resolução RDC n° 359/03 e Resolução RDC n° 360/03. Todos os rótulos analisados foram de embalagens de procedência de empresas nacionais, mas que comercializam em sua maioria o produto dentro e fora do país. As amostras foram representadas pelas letras que vão de A até J, para uma posterior comparação mais facilitada entre as marcas analisadas, sem expor as empresas produtoras. De acordo com a Resolução nº 259, de 20 de setembro de 2002, as informações desde “denominação de venda do alimento; lista de ingredientes, conteúdo líquido, identificação de origem, identificação de lote, prazo de validade, conservação do produto, ausência de glúten e nome do país de origem” são obrigatórias em todos os rótulos de alimentos. Verificou-se que os resultados obtidos para todos os rótulos analisados são satisfatórios e dentro do exigido pela legislação vigente para leite UHT. Já as informações nutricionais foram dispostas de forma vertical em todos os rótulos (100%). No tocante a conter as informações necessárias, 100% das amostras continham todas as informações, com exceção de colesterol que somente 20% apresentaram essa informação, e ferro, o qual nenhuma amostra (100%) apresentou a informação. Conclui-se que a maioria dos rótulos de leite UHT, comercializados na cidade de Pau dos Ferros-RN, apresentaram-se parcialmente desconformes com a legislação, principalmente em relação as Informações Nutricionais. Por isso, sugere-se uma maior fiscalização por parte dos órgãos competentes, em busca de sanar os problemas apresentados e melhor informar os consumidores sobre o produto que compram e consomem.

Autor : EMANOEL FERREIRA CARDOSO

Modalidade : AT17 - Interdisciplinaridade e Semiárido

Sala : SALA 05 - AT 12/ AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:Ainda em níveis insatisfatórios, a reciclagem vem se tornando um método eficaz e bastante defendido para o reuso ou a recuperação dos resíduos sólidos (AZEVEDO, 2016). A construção civil, por sua vez, tem grande potencial para absorver materiais reciclados das indústrias, com isso, reduzindo os custos das obras, pela abundante variedade de matéria-prima e pelo grande número de materiais diferenciáveis aplicados na construção (JOHN, 2005). O desenvolvimento de materiais corretos de maneira ecológica e a melhor adequação dos processos é uma necessidade para minimizar os problemas ambientais no mundo e o desenvolvimento de compósitos está exercendo bem esta função. Nesse sentido, objetivou-se a produção de elementos construtivos leves a partir de matrizes cimentícias com incorporação de resíduos industriais de EVA e fibras de sisal brasileira da espécie Agave sisalana, bem como avaliar as adições pozolânicas para formação da matriz cimentícia de revestimento auto-adensável e reologia da pasta utilizada nos compósitos produzidos. Utilizaram-se para este experimento, resíduo de EVA triturados no moinho, placas produzidas no traço 1:6 (cimento: agregado EVA), em volume, com cimento Portland do tipo CP II-F-32, com fator água-cimento fixadas em 0,55, tijolo moído proveniente de resíduos da construção civil, e a metacaulinita do Brasil e como aditivo superplastificante, o do tipo MSET. Para a formação do compósito foram adicionadas fibras de 1 cm de comprimento à matriz de revestimento, por apresentar melhor trabalhabilidade e resistência na composição das placas. O método escolhido para a análise de comportamento de fluxo das pastas foi o do Cone de Marsh.Para se determinar a melhor mistura para elaboração da pasta matriz de revestimento auto-adensável foram estudados diversos pontos como substituição pozolânica na matriz cimentícia, variando as dosagens de tijolo moído e da metacaulinita incorporados a matriz cimentícia. No caso especifico do material composto de cimento e resíduo de calçados a base de EVA, foi aferida a resistência a compressão de 2,25 MPa, no traço 1:6, lhe inserindo como material propício a aplicação como concreto leve para diversas aplicações. Com a curva de distribuição granulométrica das adições pozolânicas, tanto da metacaulinita, como também do tijolo moído, observou-se o poder da metacaulinita em absorver água pela finura do material, maior área de exposição aos componentes da mistura e, conseqüentemente, maior teor de aditivo superplastificante a ser incorporado para que a mistura se torne auto-adensável. O método de produção, já que a metacaulinita era um material industrializado, pode ter influenciado na distribuição das partículas e na maior homogeneização da amostra. Pelo estudo da fluidez e trabalhabilidade, no ensaio de cone de Marsh, as pastas com até 40% de adições minerais, com intuito de incrementar o poder ozolânico para a resistência da pasta cimentícia, poderiam empiricamente, serem utilizadas. O traço utilizado (1:6) permite oas condições para a fabricação dos elementos construtivos para fins de isolamento (forro), com boa resistência ao manuseio e com deformação plástica bastante acentuada após início da fissuração da matriz. Os resultados comprovam uma elevada atividade pozolânica e grande potencialidade para o uso em misturas com cimento Portland, tanto com as adições de tijolo moído, quanto de metacaulinita. Além de, em ambas as adições, houve redução dos teores de hidróxido de cálcio, decorrentes da hidratação do cimento Portland. Os ensaios de reologia do material indicaram que o tijolo moído mostrou-se mais eficiente que a metacaulinita para o mesmo teor de substituição e que, a porcentagem de 2,1% de aditivo superplastificante e a mistura M 80Ci 10TM 10MC foi considerada ideal para tornar a matriz resistente e auto-adensável (até 20% de substituição pozolânica). REFERÊNCIAS AZEVEDO, N. O. Estudo das propriedades mecânicas de misturas asfálticas puras e modificadas com politeraftalato de etileno (pet). Trabalho de Conclusão de Curso, UEPB, Campina Grande, 2016. JOHN et al., Durability of slag mortar reinforced with coconut fibre. Cement and Concrete Composites. Oxford, v27, p.567-574, 2005.

Autor : ANA HOSANA DA SIVA

Modalidade : AT17 - Interdisciplinaridade e Semiárido

Sala : SALA 05 - AT 12/ AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:Realizou-se um estudo farmacobotânico das folhas de Poincianella pyramidalis (Tul.) L.P. Queiroz, espécie nativa e endêmica do Brasil, visando reconhecer caracteres úteis para a sua identificação e delimitação, de modo a oferecer subsídios para o controle de qualidade desta espécie. Realizaram-se estudos morfológicos e anatômicos dos folíolos por meio de secções paradérmicas e transversais, à mão livre, coradas com safranina e safrablue, observadas e fotografadas ao microscópio óptico. P. pyramidalis é uma espécie arbórea, com folhas compostas, bipinadas, com 5 a 8 folíolos, obovados, base cuneada, ápice obtuso a emarginado, margem inteira, peciólulo cilíndrico, pubescente. Em relação a anatomia, os folíolos são hipoestomáticos, com estômatos anomocíticos, anisocíticos e paracíticos; paredes anticlinais retas em ambas as faces. O indumento é pubescente, formado por tricomas tectores unicelulares e tricomas glandulares pedunculados. Em secção transversal, a epiderme é unisseriada revestida por cutícula lisa e espessa. O mesofilo é dorsiventral, a nervura principal é biconvexa, formada por um único feixe colateral central, envolto por uma calota esclerenquimática. O pecíolo é arredondado, o peciólulo exibe contorno alongado, ambos formados por um único feixe vascular concêntrico, circundado por uma espessa bainha esclerenquimática no pecíolo. Idioblastos cristalíferos com drusas ocorrem em quantidade significativa na região floemática. A anatomia da epiderme e vascularização da nervura e peciólulo são caracteres diagnósticos para reconhecimento de P. pyramidalis.

I CONGRESSO NACIONAL DA DIVERSIDADE DO SEMIÁRIDO

Semiárido brasileiro: diversidade, tendências, tensões e perspectivas