Autor : MANOEL IZIDORIO CABRAL NETO

Modalidade : AT17 - Interdisciplinaridade e Semiárido

Sala : SALA 06 - AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:O sotaque é uma marca cultural linguística pode ser definido, segundo o dicionário Michaelis (2018) como o modo de articular os sons, palavras ou frases, peculiar de uma região. Na fase inicial do aprendizado de uma língua estrangeira, o sotaque pode se tornar um obstáculo para a pronúncia ideal do novo idioma. O sotaque cearense, objeto de análise deste trabalho, possui características fonológicas singulares, uma vez que o cearense é conhecido por “falar cantando” e por traços como a transformação da fricativa surda em laringal, a exemplo de “corra” e “mermo” e da supressão, a exemplo de “fulerage”. (RODRIGUES, 2012) Os principais propósitos visados por essa pesquisa é a influência regional na linguagem durante o período inicial da aprendizagem de uma língua estrangeira, a escolhida para o estudo de caso é a inglesa. Objetiva-se mostrar a interferência do “cearês” na pronúncia de termos da língua estrangeira, onde os alunos possuem mais dificuldade e estabelecer um comparativo com estudantes de outras regiões brasileiras, onde as entonações nas palavras mudam, e verificar se as dificuldades permanecem, se são nas mesmas palavras e se as razões são as mesmas, aliando tudo isso à um referencial teórico sobre estudos semelhantes ou associados tematicamente. A metodologia adotada é a análise dos resultados da pesquisa empírica qualitativa, onde alguns dos alunos do Complexo Cultural Schoenberg, das turmas iniciais, participarão da pesquisa, a partir disso, com os resultados prontos, faremos um levantamento bibliográfico sobre o tema visto que pesquisa nenhuma parte hoje da estaca zero. A citação das principais conclusões a que outros autores chegaram permite salientar a contribuição da pesquisa realizada, demonstrar contradições ou reafirmar comportamentos e atitudes. Tanto a confirmação, em dada comunidade, de resultados obtidos em outra sociedade quanto a enumeração das discrepâncias são de grande importância. (MARCONI; LAKATOS; 2012, p. 114-115). A pesquisa com sondagem de conteúdo envolve análise das mensagens, dos enunciados dos discursos e da busca do significado dessas mensagens, as linguagens, a expressão verbal, os enunciados, são vistos como indicadores significativos, indispensáveis para a compreensão dos problemas ligados às práticas humanas e a seus componentes psicossociais. (SEVERINO, 2007). A comunicação se dá por várias formas, mas nem sempre ela acontece de forma efetiva, ocorrem os ruídos comunicacionais, que são erros na transmissão de mensagens e indesejáveis em uma comunicação, motivo pelo qual, na teoria da comunicação, não existe positividade na presença de ruídos (LEFEVRE; LEFEVRE; MARQUES; 2007). Com essa pesquisa, espera-se observar a existência desse obstáculo na pronúncia devido ao sotaque, em quais palavras isso ocorre e a intensidade dessa dificuldade em se pronunciar tais vocábulos - no caso, palavras com “th”. O presente trabalho possibilita também, a partir dos resultados obtidos e da devida análise, o estabelecimento de uma ligação mais estreita entre o ensino de línguas estrangeiras e o processo comunicacional, como a pronúncia altera a forma como a mensagem processada. Baseando-se nas respostas reveladas pelos alunos, a discussão gira em torno desses elementos, que podem servir para o desenvolvimento de mais pesquisas do gênero. A partir do que foi discutido, percebe-se também que a dificuldade é encontrada principalmente em adultos, visto que o processo de culturalização da língua está mais cristalizado, diferentemente do que acontece com as crianças, onde o sotaque ainda se configura como um aprendizado recente e, portanto, mais fácil de ser revertido ou mais difícil de deixar marcas ao se falar outro idioma. Pesquisas como essa são importantes pelo seu caráter interdisciplinar e por análises de objeto empírico possuírem um peso considerável para a ciência e a pesquisa tanto na área da linguística como na da comunicação e a pedagogia.

Autor : DANIEL COSTA DA SILVA

Modalidade : AT17 - Interdisciplinaridade e Semiárido

Sala : SALA 06 - AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:O concreto é um dos materiais da construção civil mais utilizados no mundo inteiro e pode ser definido como um material homogêneo que é resultado da mistura de cimento, água, agregados miúdos e graúdos, além de aditivos responsáveis por garantir características específicas ao concreto (BATTAGIN, 2009). A execução de forma apropriada do concreto ocorrerá a partir do estudo do seu traço, além de um manuseio correto e da realização adequada da cura, garantindo então uma maior vida útil e um melhor desempenho do concreto na estrutura em que será utilizado. O traço do concreto pode ser definido como a indicação da quantidade de materiais que passarão a constituir o concreto. O traço demonstrará a quantidade de agregado miúdo (areia) e agregado graúdo (brita) em relação a uma unidade de cimento. Um traço de 1:3:5 corresponderá, por exemplo, a uma proporção de 3 partes de areia e 5 partes de brita para 1 parte de cimento. A falta ou excesso de qualquer um dos três elementos do concreto poderá ocasionar o surgimento de diferentes problemas no concreto armado, sendo de extrema importância a indicação correta da quantidade de cada material. O estudo foi realizado no munício paraibano de Araruna, que está inserido na microrregião do Curimataú Oriental. A importância dessa escolha dá-se pela chegada do Campus VIII da Universidade Estadual da Paraíba que proporcionou um relativo crescimento no ramo da construção civil local, que é justificada pelo aumento de procura de moradia provinda dos estudantes e trabalhadores da referida instituição. A preocupação com o traço do concreto é justificada a partir da ideia de que a fabricação do concreto armado na cidade de Araruna é realizada in loco, através de conhecimentos oriundos da experiência vivida pelos trabalhadores locais, que na maioria das vezes não possui auxílio ou conhecimento técnico. Essa fabricação é realizada de modo empírico, sem consulta as prescrições estabelecidas em normas e sem controle estatístico de consistência. Esse artigo possui como objetivo principal caracterizar a necessidade de determinação do traço correto para que se obtenha a resistência ideal para a estrutura em construção e dessa forma venha a se evitar problemas estruturais e patológicos. A metodologia do artigo se deu a partir da verificação da resistência à compressão de corpos de prova de concreto fabricados com os traços calculados corretamente e incorretamente. Os resultados obtidos demonstraram diferenças altamente significativas nas resistências do material, que afetariam diretamente na vida útil e desempenho da estrutura. Enquanto a média das resistências dos corpos de prova com traço calculado de forma incorreta foi de apenas 13,2 Mpa, a média alcançada com o traço correto foi de aproximadamente 25 Mpa. Dessa forma, verifica-se a importância da presença de profissionais qualificados até em obras de pequeno e médio porte para que haja então uma orientação aos trabalhores da construção civil com relação a todos os problemas estruturais e patológicos causados pela perda de resistência do concreto armado fabricados com o traço incorreto.

Autor : FERNANDA FERNANDES GURGEL

Modalidade : AT17 - Interdisciplinaridade e Semiárido

Sala : SALA 06 - AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:Introdução: A seca é um fenômeno climático cíclico, característico da região semiárida do Nordeste brasileiro, que ocasiona desequilíbrio ambiental e impacta a vida humana, principalmente na zona rural, cuja população é mais vulnerável socialmente e marginalizada (MATEDI; BUTZKE, 2001). Há diversos estudo sobre o tema, a partir das diversas áreas do conhecimento, todavia poucos estão voltados para os aspectos psicossociais do fenômeno. A escassez de pesquisas na Psicologia e, consequentemente, de produção de conhecimentos aplicados à realidade rural, são reflexo da recente presença da profissão e de instituições formadoras em tal contexto. Objetivos: O trabalho em questão tem como principal objetivo conhecer as implicações psicossocioambientais da seca na vida dos agricultores familiares da cidade de Santa Cruz/RN. Como objetivos específicos busca compreender a vivência de tais trabalhadores do campo frente à seca, além de conhecer o significado psicológico atribuídos à água em tais contextos, bem como reconhecer a relação entre aspectos da fé do sertanejo e a seca. Metodologia: A pesquisa, exploratória e qualitativa (GONZÁLEZ-REY, 2012), encontra-se em andamento. Estão previstas duas fases para coleta de dados: (1) entrevistas semiestruturadas e (2) grupos focais, com participantes selecionadas a partir da primeira fase. As participantes foram escolhidas por acessibilidade, obedecendo os seguintes critérios de inclusão: ser agricultor(a) familiar residente na cidade de Santa Cruz/RN; ter vivenciado algum período de seca; ser maior de 18 anos; e ser alfabetizado. Por se tratar de uma pesquisa qualitativa, não há definição prévia do número de participantes, tomando como critério para sua definição a saturação da informação. Resultados: Foram realizadas 10 entrevistas com participantes de uma Associação de Agricultores Familiares da área periurbana da cidade de Santa Cruz/RN. Faz parte da estratégia de pesquisa que as entrevistas sejam realizadas no contexto de trabalho das participantes, em ambiente por elas selecionados. Os resultados preliminares mostraram que dentre os elementos naturais relacionados ao fenômeno da seca, a água assume papel relevante para a vida humana, sendo frequentemente associada a palavras com significado positivo como: “vida”, “tudo”, “esperança”, “felicidade”. Os relatos também apresentam a água como elemento fundamental para a realização de diversas atividades domésticas (cozinhar, lavar roupa e tomar banho). Todas as entrevistadas são católicas (7) ou evangélicas (3). Em geral, estabelecem relação causal entre a ocorrência da seca e castigos provenientes de pecados humanos. Também explicam a chuva como “vontade divina”, cabendo às pessoas apenas a oração e o não pecado. Considerações finais: Diante da relevância do tema, espera-se que as reflexões produzidas possam mobilizar a comunidade local, gerando o entendimento dos elementos que interferem na dinâmica cotidiana da agricultura familiar frente à seca, envolvendo afetos, significados e práticas de apropriação do urbano e do rural. Como contribuição para a Psicologia, existe a expectativa de que sejam produzidos conhecimentos que subsidiem a perspectiva socioambiental, formando profissionais mais aptos a atuar no contexto rural comunitário, atentos a uma ética ambiental, voltados para a realidade do seu entorno e capazes de interagir sem estranhamento com equipes multiprofissionais. Referências: GONZÁLEZ-REY, F. Pesquisa qualitativa e subjetividade. São Paulo: Cengage Learning, 2012. MATTEDI, M. A.; BUTZKE, I. C. A relação entre o social e o natural nas abordagens de hazards e de desastres. Ambiente & Sociedade, (9), 93-114, 2001.

Autor : CINTHIA MARIA DE ABREU CLAUDINO

Modalidade : AT17 - Interdisciplinaridade e Semiárido

Sala : SALA 06 - AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:O concreto é um material que merece destaque em uma construção devido sua vasta utilização, que está intimamente ligada as suas propriedades como impermeabilidade, plasticidade e características como a disponibilidade e baixo custo dos materiais (PEDROSO, 2009). A produção desse material é feita pela mistura em proporções adequadas de cimento, agregados, água e, em alguns casos aditivos (FREITAS, 2012). Para garantir a qualidade do concreto é necessário realizar o controle tecnológico, que envolve diversos ensaios. Um dos ensaios mais simples e difundidos é o abatimento de tronco de cone (slump test) que mede a trabalhabilidade do material, permitindo que se controle a uniformidade (GEYER e SÁ, 2006). Fundamentado nos resultados produzidos a partir desse ensaio, a pesquisa buscou averiguar a consistência entre a parte de cálculo e execução do concreto por meio da comparação entre o abatimento do concreto produzido pelo traço com o adotado nos cálculos. Para atingir o objetivo, foi adotado uma metodologia em duas etapas, sendo a primeira a parte teórica e segunda a parte prática. Inicialmente foi realizado um estudo bibliográfico a respeito dos métodos utilizados no cálculo do traço do concreto, sendo o método escolhido o da ACI, devido a sua abrangência e por ser um dos métodos mais empregados na construção civil. Após a determinação do traço, foi realizado o slump test, o ensaio foi executado no laboratório de materiais da Universidade Estadual da Paraíba (campus VIII). Os procedimentos do ensaio seguiram as recomendações da ABNT NBR NM 67:1998. Inicialmente foi feito a preparação do concreto, posteriormente foi colocado a mistura no cone em duas camadas, cada uma com compressão de 25 golpes e por último foi feito a retirada do cone e medido o deslocamento do material. Os resultados foram obtidos para duas resistências características, uma de 15 MPa e uma de 25 MPa. Primeiramente foi calculada a resistência de dosagem do concreto aos 28 dias com um desvio padrão de 4,0, assim para 15 MPa obtendo a resistência de dosagem de 21,5 MPa, já para 25 MPa resultou em uma de dosagem 31,6 MPa. As características dos agregados utilizadas no cálculo da dosagem foram adotados com base em os resultados experimentais e bibliográficos, sendo assim уr,cim= 3,0 kg/dm³; уr,areia= 2,60 kg/dm³; уr,brita= 2,65 kg/dm³; уa,areia= 1,40 kg/dm³; уa,brita= 1,30 kg/dm³; Mcomp= 1.550,00 kg/m³; MF= 3,0; Dmáx= 19mm. . No caso da consistência do concreto fresco para 15 MPa foi adotado um abatimento de 40 a 60 mm e para 25 MPa foi de 60 a 80 mm. Com os valores e a aplicação das fórmulas foi obtido um traço para 15 MPa de 1:2,88:3,14:0,64 e para 25 MPa de 1:1,89:2,89:0,54. Os traços foram utilizados para produção do concreto, sendo essa porção produzida submetida ao slump test. Os valores obtidos no ensaio foram para de 15 de 10 mm e para de 25 de 25 mm. Ao comparar o abatimento considerados no cálculo do traço com o da execução do ensaio, é verificado distinção entre os procedimentos. Essa diferença mostra uma inadequação do traço do concreto o que ocasiona em uma resistência diferente da pretendida, caso esse concreto seja utilizado de forma errada no concreto de projeto causará na estrutura o aparecimento de patologias e até o desmoronamento. Para evitar esse tipo de problema é necessário fazer uma correção do traço, para isso a literatura indica vários métodos sendo um deles o ACI/ABCP que ajusta o fator água cimento. Assim, é possível vê a ligação entre parte técnica e executiva da engenharia, atentando a questão que mesmo com os procedimentos corretos em certos casos não é obtido exatidão entre partes, necessitando ajustes.

Autor : CYNTHIA ARIELLY ALVES DE SOUSA

Modalidade : AT17 - Interdisciplinaridade e Semiárido

Sala : SALA 06 - AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:O uso de bioestimulante nas culturas acelera a germinação das sementes que possuem dormência e contribui morfologicamente para o desenvolvimento vegetativo das plantas. O trabalho tem como objetivo avaliar o crescimento e desenvolvimento de mudas de melancia, submetidas a diferentes concentrações salinas e com a aplicação de bioestimulante, na cidade de Pombal-PB. No período de novembro a dezembro de 2018. Foi utilizado cinco níveis salinos do solo: 0,6; 1,6; 2,6; 3,6; 4,6 dS m -1 e a presença e ausência de bioestimulante, com 4 repetições, distribuídos em FatoriaL 5 x 2, totalizando 40 parcelas. O delineamento foi em blocos casualizados, analisando as variáveis: altura das plantas, número de folhas, diâmetro do caule, área foliar, massa fresca da parte aérea, massa fresca da raiz, massa fresca total, massa seca da parte aérea, massa seca da raiz e massa seca total. Os dados são avaliados pela análise de variância, quando significativos para o fator quantitativo será realizado a Regressão Polinomial e o teste de Tukey (p>0,05) para o fator qualitativo. É esperado que esta pesquisa determine que a presença do bioestimulante proporcione um maior crescimento e desenvolvimento das mudas de melancia pela atenuação dos efeitos dos sais do solo nos maiores níveis.

Autor : LEONARDO BRUNO MORAIS VIEIRA DA SILVA

Modalidade : AT17 - Interdisciplinaridade e Semiárido

Sala : SALA 06 - AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:O Brasil apresenta infraestrutura de transporte com predominância do modal rodoviário. Segundo dados de 2017 da Confederação Nacional de Transportes (CNT), o Brasil conta com uma malha de 210.618,8 km de estradas pavimentadas. Em contrapartida, dados da CNT revelaram que a malha pavimentada é de apenas 12,2% do total e destas, 61,8% estão em condições regular, ruim ou péssima. Não obstante, o cenário nordestino não é diferente do panorama brasileiro, sobretudo, nas rodovias situadas no interior dos estados. Para tanto, é importante determinar a condição e diagnóstico preciso das patologias encontradas, favorecer a tomada de decisão pelos Governos. Assim, o presente trabalho tem como finalidade apresentar um diagnóstico das patologias encontradas na rodovia RN-263, assimilando pontos onde há maior ocorrência de patologias com as suas possíveis causas, problemas de sinalização (horizontal e vertical) e por fim a apresentação de um plano de manutenção de modo simplificado para a recuperação de pontos críticos. O trecho, objeto de pesquisa, está situado no interior do estado do Rio Grande do Norte, no município de Angicos, foram analisados 6 km a partir do início da rodovia partindo da BR-101. Angicos faz parte da mesorregião Central Potiguar e faz limite com os municípios de Ipanguaçu (oeste), Lajes, Fernando Pedroza e Santana dos Matos (sul), Afonso Bezerra e Pedro Avelino (norte) e Itajá (Sul e oeste). O município tem sua população estimada em 11.549 habitantes para o ano de 2018 (IBGE, 2016). A RN-263 é uma rodovia de pista simples do estado do RN. Pela sua localização geográfica e funcionalidade é considerada uma rodovia de ligação da BR-101 com extensão aproximada de 120 km. As patologias na superfície da rodovia analisadas foram feitas por meio da observação sistemática, pois são de classe superficial, sua terminologia é normatizada pelo do Departamento Nacional de Infraestrutura dos Transportes (DNIT 005/2003-TER). O período de análise concentrou-se no período entre outubro e novembro de 2017. Durante a realização do trabalho foram notados diversos tipos de manifestações patológicas durante todo o trecho analisado, tais ocorrências afetam aspectos de segurança para o tráfego de veículos na região. Aliado a esses fenômenos, a falta de sinalização vertical e horizontal, falta ou degradação do meio fio e ausência de um sistema de drenagem implicam em maiores danos na rodovia. A principal manifestação patológica encontrada foram panelas, que iam de pequenos tamanhos (o que indica surgirem a pouco tempo), panelas de tamanho moderados e inclusive panelas que mesmo com reparo continuavam a prejudicar o trânsito. Um fato a ser destacado durante a avaliação é a presença de desgaste e trincas tipo couro de jacarés próximos a lombadas, possivelmente ocasionados pelo esforço repetitivo de frenagem e aceleração nesses pontos. Ainda durante o levantamento foram observados a presença de trincas do tipo vertical e horizontal, fissuras, exsudação, remendos e ondulação. Feito o diagnóstico das patologias encontradas durante o trecho estudado, percebe-se a maior ocorrência de patologias nos pontos de maior circulação de automóveis, situado no centro do município. As patologias hoje presentes não comprometem totalmente o movimento de veículos, porém, se não observado seu estado atual é um problema que tende a se agravar. É de suma importância para a gestão à compreensão de técnicas adequadas para manutenção de pavimentos, de modo a serem implementadas com qualidade a fim de prevenir o retorno dessas patologias, o que geraria um custo ainda maior com manutenção.

Autor : JAILSON DE OLIVEIRA

Modalidade : AT17 - Interdisciplinaridade e Semiárido

Sala : SALA 06 - AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:1. Introdução: A educação ambiental consiste na forma mais adequada de cuidarmos ou, porque não dizer, salvar a vida do nosso planeta terra. O processo de criar estratégias para fazê-la chegar principalmente a criança na mais tenra idade movimenta todas as escalas da estrutura educacional no Brasil (KANDLER, 2009). O contato com o meio ambiente, como o solo, no preparo dos canteiros e a descoberta de inúmeras formas de vida que ali existem, o encanto com as sementes que brotam a prática diária do cuidado, o exercício da paciência e perseverança até que a natureza nos brinde com a transformação de pequenas sementes em verduras e legumes viçosos e coloridos. Estas vivências podem transformar pequenos espaços da escola em cantos de muito encanto e aprendizado para todas as idades. 2. Objetivos: O presente trabalho objetivou-se desenvolver em crianças a consciência dos problemas ambientais e estimulá-las a buscar soluções para estes, utilizando a horta inserida no ambiente escolar como ensino-aprendizagem. Os objetivos específicos foram desenvolver o interesse consciente pelas relações ambientais, promover a sustentabilidade; incentivar a participação das crianças no processo agroecológico através da horta escolar e contribuir para a formação de cidadãos pensantes, saudáveis e ecológicos. 3. Metodologia: O projeto foi realizado com 100 crianças estudantes do Centro Municipal de Educação Infantil Antônio Rodrigues Pereira, localizado no município de Piranhas, região semiárida e no alto sertão de Alagoas, entre março a setembro de 2018. Inicialmente foi realizado palestras e oficinas didáticas com as crianças envolvendo a Educação Ambiental, Alimentar e Agroecológica, incluindo temas como: meio ambiente, poluição e reciclagens de produtos utilizados no dia-a-dia, alimentação saudável, valores nutricionais, formas ecológicas de preparar o solo para a produção de alimentos, apresentação de hortaliças e seus benefícios para saúde. Além disso, foi implantada uma horta na escola, na qual obteve participação das crianças em diversas etapas, como: plantações, irrigação e colheitas. Houve a aplicação de questionários visando conhecer os costumes diários de todos participantes do projeto referente a alimentação e cuidados com o meio ambiente. 4. Resultados: O projeto possibilitou o contato direto dos alunos com a terra, podendo preparar o solo, conhecer e associar os ciclos alimentares de semeadura, plantio, cultivo, ter cuidado com as plantas e colhê-las, além de ser um momento em que os alunos aprenderam a respeitar o meio ambiente. A implantação do espaço de conscientização no espaço escolar foi fundamental para o aprendizado, despertando a curiosidade e possibilitando maiores conhecimentos por parte das crianças envolvidas na ação. Com a participação das crianças desde o plantio até a colheita, foi realizado o cultivo de diversos espécies, como: coentro, couve, beterraba, quiabo e tomate. Ao mesmo tempo em que adquiriam conhecimentos na área ambiental, as crianças também aprenderam a importância de se alimentarem de forma saudável. De acordo com os resultados obtidos através dos questionários, revelou-se que a maioria das crianças consomem vegetais ao menos em uma das refeições diárias, porém poucas possuem acompanhamento de especialistas na área nutricional. 5. Conclusão: As hortas escolares são instrumentos que, dependendo do encaminhamento dado pelo educador, podem abordar variados conteúdos curriculares de forma significativa e contextualizada, promovendo vivências que resgatam valores. O projeto proporcionou a conscientização dos estudantes nas questões ambientais e alimentares, utilizando os conhecimentos obtidos para o cultivo da horta no espaço escolar, levando a teoria para a prática. 6. Referências: KANDLER, R; Educação Ambiental: Horta escolar, uma experiência em educação. Ágora, v.16, n.2, 2009.

Autor : DENISSON LIMA DO NASCIMENTO

Modalidade : AT17 - Interdisciplinaridade e Semiárido

Sala : SALA 06 - AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:1. Introdução A horta no contexto escolar auxilia como uma ferramenta alternativa para ajudar e contribuir nas atividades integradoras nos componentes curriculares dos alunos no ensino fundamental. Essas atividades permitem relacionar a educação ambiental com educação alimentar e valores sociais, tornando assim possível a participação dos sujeitos envolvidos, desenvolvendo uma sociedade sustentável através de atividades voltadas com a interdisciplinaridade (OLIVEIRA et al., 2018). Nesse sentido, se torna importante que a educação seja de qualidade para que possa ter o comprometimento com a formação de cidadão que estejam preparados para os anos futuros. 2. Objetivos O presente trabalho teve como objetivo geral promover atividades didático-pedagógicas utilizando a horta escolar como ferramenta pedagógica para o ensino-aprendizagem. Os objetivos específicos são: relacionar e propiciar a construção do conhecimento dos recursos: solo-água-planta; incorporar a alimentação saudável e ambientalmente sustentável como eixo gerador da prática pedagógica; envolver estudantes e docentes nas atividades relacionadas à horta; ajuda a desempenhar o papel de cidadão na construção de sua formação. 3. Metodologia O projeto foi desenvolvido com 56 estudantes do 5º ano da Escola Municipal de Ensino Fundamental Professora Maria Sônia Brito Rodrigues, localizada no Município de Piranhas, microrregião do estado de Alagoas. A participação da comunidade escolar foi de grande valia, foram desenvolvidas atividades como: reunião com o corpo docente (professoras) gestores (direção e coordenação) para exposição do trabalho que seria realizado, com os discentes foram etapas como: palestras expositivas (poluição ambiental: o lixo, importância da água e alimentação saudável) oficinas temáticas, dias de campo, implantação e condução da horta por parte dos envolvidos no projeto que possibilitou aos mesmos o conhecimento de todas as etapas do cultivo das hortaliças (produção de mudas, transplantio e plantio direto, tratos culturais, colheita e higienização dos vegetais) que foram implantadas na horta, para proporcionar o enriquecimento na merenda escolar e trabalhando também a conscientização dos alunos com relação aos bons hábitos alimentares. 4. Resultados Com a inclusão de uma horta escolar, pode ampliar a construção do ensino das ciências que lide com abordagens multidisciplinares. Sendo de grande importância de aproveitar o espaço escolar com a implantação de uma horta trazendo benefícios e permitindo aos discentes e docentes a vivenciarem na prática assuntos correlacionados aos conteúdos ministrados em sala de aula como português, matemática, ciências, geografia e artes em que se ressaltasse o trabalho de forma interdisciplinar. Além do mais, com esse processo de implantação das hortaliças, contribuiu para uma postura mais ecologicamente correta, tanto por parte dos discentes quanto dos docentes, tendo em vista não só em reconhecer a importância dos recursos naturais como também nos princípios da sustentabilidade. 5. Considerações Finais Dessa forma, essa ação possibilitou melhorias nas condições ambientais e sociais dos alunados em despertar ainda mais a curiosidade em algo novo como também dinamizar o conteúdo passado em sala de aula, sendo assim, propiciando de maneira prática um aprendizado significativo. A horta inserida na escola proporcionou hábitos alimentares mais saudáveis para os alunos, além de que a escola pode retirar da horta um complemento para a alimentação da merenda escolar. 6. Referências OLIVEIRA, F. R.; PEREIRA, E. R.; PEREIRA JUNIOR, A. Horta escolar, educação ambiental e a interdisciplinaridade. Revista Brasileira de Educação Ambiental, São Paulo, v. 13, n. 2, p. 10-13. 2018.

Autor : WALTER LEANDRO CANDEIA NETO

Modalidade : AT17 - Interdisciplinaridade e Semiárido

Sala : SALA 06 - AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:: Os insetos herbívoros estabelecem uma estreita interação com sua as plantas hospedeiras, já que nessa acontece todo o seu desenvolvimento e também é onde ocorre sua alimentação (BERNAYS; CHAPMAN, 1994). Detectar como os insetos enfrentam as características químicas e físicas das plantas pode auxiliar no entendimento das interações entre ambos, no desempenho dos insetos e até mesmo da sua distribuição nos habitats, tanto em escala temporal como espacial. Este trabalho teve como objetivo verificar a viabilidade do uso de Turnera subulata e Passiflora foetida como plantas hospedeiras e suas consequências no desempenho de E. hegesia. As plantas hospedeiras P. foetida e T. subulata, assim como os ovos de E. hegesia foram coletadas no campus da UFCG, CSTR e em Quixaba, PB. 18 ovos foram colocados em T. subulata e 20 em P. foetida. Os ramos foram mantidos em garrafas com água, cobertos com uma malha de voal e mantidas no Laboratório de Ecologia e Interações de Insetos da Caatinga (LEIIC), onde foram diariamente vistoriados. O laboratório teve um controle de luminosidade com o fotoperíodo de 12horas, temperatura de 24 ºC+ 1 e umidade relativa do ar entre 45 e 60%. Somente oito ovos eclodiram em P. foetida, permanecendo neste estágio de dois a cinco dias e somente quatro sobreviveram. Resultados preliminares apontam que dos sobreviventes um imaturo demorou quatro dias para fazer a ecdise do primeiro para segundo instar e três levaram cinco dias. Destes indivíduos somente um passou para o terceiro ínstar, ocorrendo à morte logo em seguida. Desta forma, houve 100% de mortalidade das larvas criadas em P. foetida. Dos 20 ovos colocados em T. subulata sete eclodiram, permaneceram no estágio de ovo de dois a cinco. O primeiro ínstar demorou de dois a cinco dias e somente três imaturos passaram para o segundo ínstar cuja muda demorou de três a seis dias. Os três imaturos fizeram a ecdise para o terceiro ínstar em cinco e seis dias, para o quarto ínstar de quatro à sete dias e para o quinto levaram de cinco à dez dias. Nove dias foram necessários para a metamorfose e emergência, totalizando em média 41 dias de ovo à adulto. Houve 16% de sobrevivência em T. subulata. A envergadura da asa dos adultos emergidos foi em média 30,42 mm similar a obtido por Tourinho e Freitas (2009). No presente estudo não houve sobrevivência de E. hegesia em P. foetida diferente do que ocorreu na Jamaica onde esta borboleta utiliza como hospedeiras T. subulata, P. foetida e P. suberosa (SCHAPPERT; SHORE, 1998). O fato desta planta ser aceita na Jamaica pode ser explicada pela especialização local (KERPEL; MOREIRA, 2004). É possível que a amplitude da dieta da população desse estudo seja menor do que das borboletas da Jamaica, a qual se trata de uma população insular isolada, possivelmente em um passo evolutivo diferente da população de Patos, PB, embora, novos estudos com número de indivíduos satisfatório estão sendo desenvolvidos e são necessários para tais afirmações.

Autor : RAFAELLA DE SOUSA SILVA

Modalidade : AT17 - Interdisciplinaridade e Semiárido

Sala : SALA 06 - AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:A proposta desse texto é dar condição de existência a um relato de experiências. Para tanto, farei uma curta apresentação das intenções que me levaram a cursar a disciplina Etnografia Aplicada a Pesquisa Educacional na Universidade de São Paulo, como requisito de obtenção de créditos para o Doutorado em História Social, e nesse percurso, contarei um pouco da cientista social que já se interessava pelo cenário da escola, e a que venho me tornando após o contato com as literaturas, discussões, e propostas construídas durante esse curso. Com isso, trago como sugestão, que é possível olhar diferente a sala de aula da escola pública no semiárido, quando se vive uma experiência qualitativa de entrada em campo em uma escola pública paulista, que carrega consigo uma constituição cultural que comunga com a megalópole da qual faz parte, mas me diz em muitos sentidos que é possível falar de escolas e dizer instituições diferentes, mas é também sugestivo dizer de diferentes formas uma ideia dela mesma, algo que conta, fala e constrói a ideia de escola, mesmo nas suas muitas faces. Para tanto, a problemática dessa escrita é analisar as possibilidades que surgem de olhar a escola e seus sujeitos a partir de novos sentidos, provocados por um momento que me fez despir-se de mim enquanto professora, e passar a atuar como pesquisadora em uma escola pública da cidade de São Paulo. Esse exercício de viver esse outro cenário, me provocou a pensar a escola interiorana da cidade de Cubati-Paraíba, na qual sou professora de História há quinze anos. Ou seja, a partir do exercício de campo que desenvolvi na Escola Estadual de Ensino Médio Professor Zezuíno Clemente (nome fictício). Uma escola com cerca de 1282 alunos e 14 salas de aula, fora sala da direção, dos professores, de secretaria, laboratório de informática, quadra, cozinha, sala de leitura, biblioteca, refeitório, dois pátios descobertos e dois banheiros que ficam no pátio do refeitório, espaços que ganharam alguns sentidos a partir das práticas e usos sociais que consegui observar durante um pouco mais de dois meses de permanência na escola, em visitas quase diárias as quais intercalava com as aulas e atividades acadêmicas. No total foram 28 visitas a escola e o que considero uma vigésima nona, foi o dia que fui convidada a passar uma tarde na casa de duas alunas. A proposta que lancei mão e apresentei na escola, foi construída no primeiro dia de visita, por ter chegado no horário aproximado ao intervalo e observado alunos e alunas conversando e caminhando nos corredores. Ao perceber esse momento como uma possibilidade de diálogo, propus ir à escola no turno da manhã, no horário do intervalo das aulas (9:30 às 9:50 horas), observar como aqueles jovens praticam esse momento, e ao surgir oportunidade, ter conversas informais sobre seus anseios, as relações que estabelecem com a escola, o que pensam da mesma, e como se dão suas relações de sociabilidades. Era a oportunidade que sempre desejei, de ler a escola a partir dos alunos e alunas, sendo essa instituição nova para mim, assim como seus transeuntes. Desde já, é possível colocar que essa experiência me modificou enquanto professora, pesquisadora e pessoa, me fez recordar que ao ir em uma escola, ao construir uma etnografia, não deve se cultivar uma interferência no lugar por parte do pesquisador, mas uma interferência no pesquisador, que estando em contato com esse mundo outro, conhecendo espaços, pessoas e práticas que em grande medida são estranhas a ele, por mais próximas que pareçam, modifica-se por não sair de lá o mesmo.

Autor : MONIQUE DA SILVA ALBUQUERQUE

Modalidade : AT17 - Interdisciplinaridade e Semiárido

Sala : SALA 06 - AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:A disseminação do tratamento de efluentes domésticos é um ponto crucial no desenvolvimento dos municípios, auxiliando na melhoria da saúde pública e qualidade de vida (JORDÃO E PESSÔA, 2005). O reator UASB pode ser considerado uma tecnologia viável a ser inserida neste contexto, devido às suas características, desde que o sistema possua uma operação condizente com o recomendado em normas e na literatura específica. Além disso, o reator apresenta eficiência crescente quando implantado em regiões de clima quente (VON SPERLING, 2005; METCALF & EDDY, 2016), o que é mais um incentivo para a utilização da tecnologia em áreas com clima semiárido. Logo, este trabalho objetiva modelar o efeito da temperatura nesses reatores, em escala real, no tratamento de efluentes domésticos para estimativa da eficiência de remoção de matéria orgânica em termos de DQO, comparando-se a confiabilidade do modelo gerado a partir de dados experimentais demonstrativos da falta de manejo adequado quanto à operação e aquela observada a partir do modelo gerado com base em dados em que a operação foi aparentemente condizente com o estabelecido nas normas e literatura específica, de forma a demonstrar a viabilidade da utilização da tecnologia em regiões de clima semiárido. A presente pesquisa foi conduzida em duas fases, quais sejam: (1) parametrização dos modelos, caracterizada pelo levantamento bibliográfico de modelos matemáticos já propostos, baseados na temperatura e revisão bibliográfica para geração do banco de dados, e a modelagem matemática e (2) modelagem matemática, caracterizada pela geração dos modelos matemáticos em termos de DQO em função da temperatura, tendo como cerne o trabalho computacional intenso. Foram gerados dois modelos. O primeiro abordou todos os pontos levantados, incluindo os com nítida interferência da falta de operação adequada. Para a elaboração do segundo modelo, considerou-se os dados em condições de operação adequadas. Observando os coeficientes de determinação (R²), constatou-se a relação de influência da inadequada operação do sistema e a sua eficiência, gerando um melhor ajuste da curva no modelo sem tal interferência, fato comprovado pelo aumento considerável do R² entre as equações. Segundo Von Sperling (2005), a tecnologia apresenta elevada eficiência de remoção de matéria orgânica, asseverando a necessidade da adequada operação do sistema. Ressalta-se que os dados passaram por análise estatística. Os resultados do p-valor obtido para a Equação 02 foi de 1,74 x 10-12, demonstrando a confiabilidade do modelo ao nível de significância de 5%. Assim, os valores de eficiência estimados com base no modelo proposto possuem baixíssima probabilidade de serem oriundos de outros fatores, se não da interferência da temperatura no sistema. Reatores UASB devem ser dimensionados a partir da estimativa da eficiência de remoção de material carbonáceo com base na temperatura do afluente. A operação inadequada e sua interferência negativa pôde ser demonstrado na eficiência do tratamento do efluente. O modelo gerado com influência de fatores operacionais, apresentando R² muito baixo, evidenciou problemas operacionais interferentes na eficiência de remoção de material carbonáceo, com valores da ordem de R²= 0,11, enquanto que o modelo gerado sem essa interferência apresentou R²=0,89, e p-valor de 1,74 x 10-12, demonstrando a confiabilidade do modelo ao nível de significância de 5%.

Autor : JOSÉ LUCAS DOS SANTOS OLIVEIRA

Modalidade : AT17 - Interdisciplinaridade e Semiárido

Sala : SALA 06 - AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:O Desenvolvimento Sustentável surgiu a partir da necessidade de mudança nos padrões de vida que foram construídos pela sociedade humana, consolidados, principalmente, no consumo excessivo e na degradação ambiental. Desde então, foram realizadas conferências mundiais acerca da temática, com finalidade de buscar alternativas para promover um modelo de desenvolvimento que atenda às necessidades ambientais, sociais e econômicas. Nesse contexto, a Educação Ambiental emerge também da importância de se estabelecer uma relação equilibrada e ambientalmente sustentável entre as sociedades humanas e o meio ambiente, por meio de um processo educativo. Este trabalho teve por objetivo conhecer a percepção de moradores de um bairro urbano em Patos, Paraíba, sobre o Desenvolvimento Sustentável e a Educação Ambiental. Para a obtenção de dados, foi utilizado um questionário, que conteve três questões abertas e sete questões objetivas construídas no modelo da escala de Likert, onde para cada questão havia cinco possibilidades/níveis de resposta, variando de muito pouco a sempre. Foram entrevistados 30 moradores escolhidos de forma aleatória. Dentre as questões do questionário, foi perguntado aos moradores: 1. O que você entende por Desenvolvimento Sustentável?; 2. O que você entende por Educação Ambiental?; 3. Considero que o Desenvolvimento Sustentável é importante para a conservação do meio ambiente; 4. Acredito que a Educação Ambiental pode sensibilizar as pessoas para que adotem atitudes mais sustentáveis em relação ao meio ambiente. Os resultados reportaram que a grande maioria dos entrevistados (76,7%) não souberam responder o que seria o Desenvolvimento Sustentável, dentre os que afirmaram saber, 23,3% disseram que entende o Desenvolvimento Sustentável como um desenvolvimento econômico que respeita o meio ambiente em algum nível. A Educação Ambiental é entendida pela maioria dos entrevistados como uma Educação que ensina sobre o meio ambiente (60,0%), ou que contribui para resolver problemas e impactos ambientais (26,6%). 13,4% não soube responder a essa pergunta. 23,3% dos entrevistados afirmou que o Desenvolvimento Sustentável contribui pouco para a conservação ambiental, embora 43,3% acredite que pode contribuir muito. Boa parte dos moradores (70,0%), acredita que a Educação Ambiental pode, em algum nível, contribuir para que a população possa ser sensibilizada e mudar suas atitudes em relação ao meio ambiente. Embora os moradores tenham apresentado uma visão e conhecimento limitado sobre o que é o Desenvolvimento Sustentável e como ele pode auxiliar na conservação ambiental, a Educação Ambiental se mostrou ser melhor compreendida por eles, onde a grande maioria relaciona de alguma forma a importância da Educação Ambiental para mudanças na realidade ambiental. É importante que abordagens sobre a ideia de Desenvolvimento Sustentável sejam ampliadas para todos os ambientes, incluindo comunidades urbanas, tendo em vista que a percepção correta sobre essa proposta de desenvolvimento pode contribuir para um ambiente futuro mais equilibrado e um desenvolvimento mais sustentável. Além disso, a Educação Ambiental é fundamental nesse e em outros processos de construção de valores e atitudes que respeitem a integridade e, demonstrem a necessidade de conservação do meio ambiente para a vida.

Autor : THAYNÁ KELLY FORMIGA DE MEDEIROS

Modalidade : AT17 - Interdisciplinaridade e Semiárido

Sala : SALA 06 - AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:Esse estudo apresenta uma revisão bibliográfica sobre dados etnobotânicos de plantas medicinais, de acordo com o conhecimento tradicional de saberes das comunidades locais do semiárido paraibano. Os dados foram coletados por meio de consultas a periódicos e artigos científicos em bases de dados com acesso online, como o SciELO e Google acadêmico, que pesquisaram sobre plantas medicinais e/ou Etnobotânica. Considerou-se a literatura publicada entre 2008 e 2018, na língua portuguesa. Foram encontrados, no total, 22 artigos publicados e destes, 10 versavam sobre levantamentos etnobotânicos sobre o semiárido paraibano, destacando o uso medicinal de plantas da Caatinga. Observou-se que o uso das plantas para cura de enfermidades no semiárido paraibano é uma alternativa frequente entre as comunidades tradicionais. As pesquisas etnobotânicas ocorreram em municípios paraibanos como São José de Espinharas, Mãe D'Água e Puxinanã. As espécies utilizadas com maior frequência pelas comunidades locais foram a Aroeira, Hortelã-Grosso e Favela, considerando as folhas e o caule, como as partes mais usadas para fins terapêuticos. Observou-se que as pessoas com idades mais avançadas possuíram maior entendimento sobre as plantas em comparação com os mais jovens, destacando nessa pesquisa à utilização da flora medicinal sob forma de chás. Os saberes das comunidades do semiárido paraibano promoveu a identificação de inúmeras espécies de plantas para uso terapêutico, bem como os seus efeitos e o preparo de medicamentos. O estudo demonstra a cultura e a prática da população a partir da grande diversidade de espécies para fins terapêuticos na Caatinga.

Autor : GERBESON CARLOS BATISTA DANTAS

Modalidade : AT17 - Interdisciplinaridade e Semiárido

Sala : SALA 06 - AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:O principal marco brasileiro concernente à gestão dos resíduos sólidos urbanos é a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS). Dentre os principais avanços, a PNRS compartilha as responsabilidades do ciclo geração/destinação dos resíduos com todos os segmentos da sociedade civil, bem como, reconhece o papel do catador como ator social central no processo de gerenciamento dos resíduos, obrigando os gestores públicos a oferecer as condições necessárias para o fomento de organizações solidárias, oportunizando emprego e renda aos catadores. Todavia, apesar dos avanços legais, têm-se observado poucas ações concretas que os retirem da situação de vulnerabilidade no qual estão imersos. Nesse contexto, o objetivo do presente trabalho é estudar a percepção de catadores de materiais recicláveis organizados quanto à sua condição de vida após entrada na associação. Para isso, foram analisadas quatro dimensões: moradia, emprego, lazer e expectativas futuras. A associação estudada está localizada em um município da microrregião Seridó, interior do Estado do Rio Grande do Norte. Inicialmente, foi realizado uma consulta prévia aos membros associados acerca da possibilidade do estudo, de modo que se fixou os compromissos éticos da pesquisa. Em seguida, foi realizada uma entrevista com todos os associados, abrangendo as quatro dimensões supracitadas. Posteriormente, foi aplicado um formulário a respeito da estrutura e organização do trabalho implementada na associação. Como artifícios metodológicos, o estudo adotou pesquisa de natureza qualitativa por meio das técnicas de observação direta intensiva e do Discurso do Sujeito Coletivo. A pesquisa ocorreu durante o mês de novembro de 2016, abrangendo todos os 11 catadores. Como breve apresentação, a maioria dos entrevistados são mulheres com ensino fundamental e faixa etária distribuída entre 26 a 54 anos, com média de 41 anos. Em relação à moradia, nenhum catador possui casa própria, de modo que 72,7% moram de aluguel e o restante, dividem a mesma moradia com os pais ou tem o espaço cedido pelos mesmos. No que concerne ao emprego, a maioria afirmou que, apesar de gostar do que faz, o emprego na associação não garante uma renda suficiente para viver. Por esta razão, 63,6% realizam outros trabalhos para complementar a renda. Quanto ao lazer, 72,7% afirmaram não possuir, de modo que nas horas livres apenas descansam, enquanto o restante, afirmou utilizá-lo plantando. Já no que concerne às expectativas futuras, os catadores afirmaram que gostariam de ganhar mais para comprar a casa própria (72,7%), dar conforto aos filhos (18,2%) ou não serem descriminados pelas pessoas (9,1%). Desse modo, mesmo com os avanços legais é preciso criar mecanismos que garantam o cumprimento das prerrogativas de inclusão social, por meio da garantia de cobertura de Seguridade Social, ambiente de trabalho com mitigação dos riscos ocupacionais e dignidade traduzida em salário e reconhecimento social. Somente um investimento público forte e a valorização destes trabalhadores frente a opinião pública, tendo como norteador a educação ambiental, garantirá o cumprimento pleno das prerrogativas legais e, consequentemente, a qualidade de vida destes trabalhadores.

Autor : GERBESON CARLOS BATISTA DANTAS

Modalidade : AT17 - Interdisciplinaridade e Semiárido

Sala : SALA 06 - AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:Os catadores de materiais recicláveis são um dos principais atores sociais envolvidos na gestão dos resíduos sólidos urbanos, especialmente, a partir da promulgação da Lei Federal 12305/2010. Estes trabalhadores estão submetidos a inúmeras adversidades no decorrer do seu exercício laboral, dentre as quais pode ser materializada pela exposição ao risco físico calor. A exposição ao calor, além de reduzir a produtividade, é agente promotor de diversas doenças, como: hipertermia, doença de pele, desidratação, falta de ar, catarata e etc. Entretanto, esta problemática tem sido negligenciada pelos governos, em dissonância das prerrogativas legais da Lei Federal 12305/2010. Nesse contexto desafiador, este trabalho tem como objetivo realizar medições de IBUTG na execução da atividade laboral de catadores de materiais recicláveis, confrontando os resultados com os limites de tolerância estabelecidos pela NR 15. Além disso, objetiva estimar a magnitude do risco físico e propor medidas mitigadoras de atenuação dos danos. A unidade de pesquisa foi uma associação de catadores localizada na microrregião Seridó/RN. A pesquisa ocorreu em quatro etapas: observação da execução da atividade laboral; medições das temperaturas globais, bulbo seco e bulbo úmido; determinação dos níveis de exposição, deficiência, probabilidade, severidade, risco e controle; proposição de medidas mitigadoras. O período de investigação ocorreu entre os meses de abril a junho de 2018. As medições ocorreram impreterivelmente nos turnos da manhã às 7:30 e 9:30h (trabalho externo) e tarde às 14 e 16h (trabalho interno), durante os dias 09 a 13 de maio de 2018. Como artifícios metodológicos, foram utilizadas as seguintes técnicas: Observação Sistemática, o procedimento normativo do Anexo III da NR 15 para determinação dos limites de tolerância e Árvore Lógica para determinação da magnitude do risco. O trabalho dos catadores consiste em quatro etapas: recolher porta a porta materiais com potencial para ser comercializado (PET, papelão, alumínio e/ou cobre); triagem dos materiais de interesse pelos catadores; armazenamento dos materiais separado num espaço delimitado pelo catador, dividido em um dos quatro tipos de materiais; comercialização destes materiais junto aos intermediários. Os resultados das medições relevaram que o trabalho está sendo executado em condições insalubres, haja vista que o IBUTG calculado foi superior ao IBUTG limite, especialmente, no trabalho interno, aproximando-se do limite máximo permitido pela NR 15. Os resultados da magnitude do risco foram preocupantes, uma vez que o Nível de Risco atingiu a magnitude de 4200, sugerindo uma intervenção imediata ou isolamento do perigo até serem adotadas medidas de controle permanente. Portanto, esta pesquisa constatou, embasado nas várias medições realizadas, que o trabalho destes catadores ocorre de maneira insalubre, uma vez que o IBUTG, tanto do trabalho interno, como do externo, atingiu ultrapassou o IBUTG limite. Para tanto, algumas medidas foram propostas, tais como: redução do tempo de exposição, preparação de uma sala de descanso arejada, reorganização do local de trabalho, vestimenta de cor clara, hidratação constante e aumento da ventilação seja pela abertura de janelas ou instalação de exaustores. Portanto, somente com tais medidas é possível salubrizar o ambiente de trabalho destes trabalhadores, garantindo que sua integridade física seja preservada.

Autor : JOÃO VICTOR DA CUNHA OLIVEIRA

Modalidade : AT17 - Interdisciplinaridade e Semiárido

Sala : SALA 06 - AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:O estágio curricular atua como instrumento preponderante na habilitação técnica de profissionais de nível médio, favorecendo o contato com o ambiente onde a prática predomina nas mais variadas ênfases que a construção civil abarca. O estímulo propiciado ao estudante a partir da prática que envolve o dinamismo que a construção civil detém faz ampliar o leque de conhecimentos (HINNING & ROLIM, 2017), que está atrelado a cada tipo de atividade desenvolvida no âmbito do setor de escritório e acompanhamento de obras. Como objetivo desse trabalho, busca-se explanar a respeito da experiência profissional e técnica, através do instrumento do estágio para a obtenção de título de técnico com habilitação em edificações pelo IF Sertão Pernambucano Campus Salgueiro, em escritório de arquitetura situado na cidade de Salgueiro-PE, no semiárido pernambucano. Os serviços realizados durante o estágio supervisionado, envolveram a escrita de cadernos de especificação e desenhos em 2D, utilizando o software AutoCAD®, das plantas de situação, locação, coberta, baixa, elevações (cortes), fachadas, detalhamentos de forro, bem como o efetivo acompanhamento na etapa de execução de obras em reforma e/ou construção. O processo de escolha dos materiais também foi incorporado no estágio, como também os levantamentos arquitetônicos para reforma e dimensionamento de móveis. Dentre as variadas obras onde houveram a participação do estudante, de forma direta ou indireta, as mesmas contribuíram para que o estagiário detivesse maior propriedade técnica no tocante a execução de desenhos dentro dos parâmetros da ABNT, como também o contato com novos materiais que proporcionam melhora no conforto das edificações, até então não vistos na região semiárida, e a efetiva adoção de técnicas construtivas para solucionar determinados problemas que emergiram durante as etapas que envolvem a esfera construtiva em questão. A profissional supervisora do escritório instruiu o estagiário durante todas as visitas realizadas, principalmente durante a escolha dos revestimentos da obra, louças para banheiro e lavabo, torneiras, o tipo do telhado, e luminárias. Nas lojas de decoração, a mesma sempre ressaltou como que constrói-se um espaço residencial harmonizado e tipos de objetos de decoração para cada ambiente. Sempre nessas visitas, a arquiteta explanava com relação aos tipos de cores e onde usa-las, móveis, estilos de decoração, texturas, luminárias, pastilhas, mármores, vidros, e nas lojas de materiais de construção, apresentava os catálogos e enfatizava como era o modo de fabricação, indicando onde usar e onde não usar cada tipo de material, sempre com ressalvas em relação as suas vantagens e/ou desvantagens no ato de sua aplicação. Por fim, as contribuições advindas da empresa conveniada com o IF-Sertão para promover a capacitação do aluno promoveram a devida habilitação através da execução de atividades que até então o estudante não detinha conhecimento, como o levantamento arquitetônico em obras para reforma e dimensionamento de móveis, tipos de escolha de materiais, o modo como se acompanha obras de caráter residencial e comercial, e desenho de plantas dentro das premissas adotadas pelo plano diretor da cidade de Salgueiro-PE, bem como a realização de atividades que o mesmo já conhecia, como o desenho de projetos dentro dos parâmetros da ABNT.

Autor : THAYNÁ KELLY FORMIGA DE MEDEIROS

Modalidade : AT17 - Interdisciplinaridade e Semiárido

Sala : SALA 06 - AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:O estudo objetivou analisar a percepção dos alunos sobre os resíduos sólidos e Educação Ambiental em escola de ensino médio no município de Santa Luzia, Paraíba. A coleta de dados aconteceu por meio da aplicação de um questionário com 10 questões subjetivas, aplicadas para 32 alunos, abordando temas como resíduos sólidos e Educação Ambiental. A análise das respostas foi realizada de forma quanti e qualitativa. A maioria dos alunos 87,5% (n = 28) afirmou que os resíduos sólidos são materiais resultantes das atividades diárias, que são descartados quando utilizados. 81,2% (n = 26) afirmaram que é possível reaproveitar resíduos por meio da reciclagem (75,0%, n = 24). Os alunos mencionaram como principais problemas gerados pela disposição inadequada e resíduos sólidos na natureza, o desmatamento (68,7%, n = 22), poluição (15,6%, n = 5), doenças (6,2%, n = 2) e diminuição da biodiversidade (9,3%, n = 3). Os estudantes participantes da pesquisa sabem que o consumo excessivo e o descarte incorreto dos resíduos sólidos provocam diversos problemas ambientais. Eles, afirmam que a Educação Ambiental possui papel fundamental para sensibilizar as pessoas em relação aos impactos provocados ao meio ambiente. Dessa maneira, é necessário que o tema seja debatido entre os professores e alunos, tendo a escola como o espaço propício para desenvolver ações por meio da Educação Ambiental, buscando reduzir e melhorar o aproveitamento de resíduos produzidos no planeta.

Autor : AUCEMARA MAURÍCIO DOS ANJOS

Modalidade : AT17 - Interdisciplinaridade e Semiárido

Sala : SALA 06 - AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:Os impactos causados pelo consumismo, falta de sensibilização ambiental e de políticas públicas voltadas para este fim têm levado a reflexões e estudos sobre métodos e alternativas para minimizá-los, com o intuito de um dia eliminá-los. Mediante este contexto, este estudo tem como objetivo diagnosticar os aspectos ambientais do lixão da cidade de São Tomé/RN, tendo em vista que cidades pequenas também sofrem com o consumismo e com a destinação incorreta, seja por falta de orientação ou por falta de opção. Assim, esta pesquisa justifica-se por sua relevância para as políticas públicas, estratégias de gestão de resíduos sólidos a serem adotadas, redução dos impactos socioambientais e econômicos do município, assim como para que outras pesquisas tenham informações que contribuam e enriqueçam o tema. Este estudo caracteriza-se como descritivo e exploratório, tendo como procedimento metodológico o estudo de caso. A coleta de dados foi feita através inicialmente com embasamento teórico, com levantamento bibliográfico, e após pesquisa de campo com utilização de ferramentas de registro fotográficos e entrevistas com alguns moradores e catadores para avaliar a percepção deles em relação a coleta seletiva e com o secretário de obras da Prefeitura Municipal de São Tomé/RN. Como resultados, esta pesquisa identifica problemas relacionados à geração, destinação e ao armazenamento dos resíduos sólidos urbanos do município.

Autor : ROBERTO MARINHO ALVES DA SILVA

Modalidade : AT17 - Interdisciplinaridade e Semiárido

Sala : SALA 06 - AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:Entre 2012 e 2017 o Semiárido brasileiro vivenciou uma estiagem prolongada, sendo considerada uma das mais longas da história das secas naquela porção do território nacional. As informações disponíveis permitem constatar os elementos de continuidade e de mudanças nas ocorrências das secas na região. De modo geral, a vulnerabilidade da produção agrícola na região é estrutural e se intensifica durante as longas estiagens com prejuízos nas atividades agrícolas e pecuárias, com a desestruturação de sistemas produtivos em pequenas propriedades rurais, agravando a situação de pobreza na região. Da mesma forma, permanecem os fatores da fragilidade ambiental, com a contínua perda de biodiversidade decorrente do manejo inadequado do solo, do desmatamento da vegetação de caatinga, além da exploração excessiva dos mananciais hídricos, com desaparecimento de correntes fluviais, aprofundamento do lençol freático e a poluição de nascentes e olhos d'água (Tomasella et al, 2018). Apesar da severidade desses anos seguidos de estiagem na região, diversos estudos constatam mudanças nos impactos sociais da secas neste último período (Araújo, 2014; Carvalho, 2014; Perez-Marin et al; Mattos, 2017). Pode-se então questionar se ocorreu um aumento da capacidade de resistência da população sertaneja no Semiárido? Considerando essa questão realizou-se uma pesquisa documental e bibliográfica de caráter exploratório e explicativo com o objetivo de identificar e analisar os fatores que fortalecem as capacidades de resistência da população sertaneja às estiagens prolongadas, tendo por referência o período entre 2012 e 2017. Tomou-se como ponto de partida a análise dos resultados da Pesquisa de Informações Básicas Municipais para o ano de 2017, realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE, 2018) que incluiu um conjunto de questões sobre a ocorrência de seca, seus impactos e ações realizadas no município para evitar ou minimizar os danos causados pela seca. Com base nessas constatações iniciais, avançou-se nos estudos documentais e bibliográficos para avançar na compreensão da trajetória histórica da região com a identificação de fatores sociais, políticos, econômicos e ambientais que contribuem para fortalecer ou para fragilizar as capacidades de resistência sertaneja. Verifica-se, por exemplo, os limites das políticas de combate às secas e aos seus efeitos que reproduziram, por mais de um século, as bases estruturais do velho complexo sertanejo, mas não alteraram as condições de vida da maioria da população local (Silva, 2008). Da mesma forma, durante as décadas de 1960 a 1980, o processo de modernização econômica adquiriu uma feição conservadora no Semiárido, viabilizando novas formas de acumulação de capital, mas preservando as antigas estruturas socioeconômicas e políticas regionais. Os estudos mostram que ocorreram mudanças nos padrões das políticas públicas para o Semiárido nas últimas décadas quando ocorreram alguns avanços qualitativos em direção ao fortalecimento das capacidades de resistência dos povos do Semiárido com a implantação de milhares de iniciativas descentralizadas de captação e armazenamento de água de chuva, de melhorias tecnológicas com o fortalecimento de sistemas produtivos ecologicamente apropriados para agricultura familiar e camponesa, combinadas com a expansão de uma rede de proteção social. É exatamente esse somatório de estratégias de convivência com Semiárido articulado à expansão das políticas de seguridade social que explica o fortalecimento das capacidades de resistência da população local, contribuindo para reduzir as duras expressões da calamidade social nesse último período de estiagem prolongada. Mesmo assim, permanecem grandes desafios para avançar em direção à convivência com o Semiárido, tendo em consideração que não ocorreram mudanças estruturais significativas capazes de reverter algumas das heranças regionais de reprodução da pobreza e das desigualdades sociais.

Autor : SÍLVIA MARIA GALVÃO DE ARAÚJO

Modalidade : AT17 - Interdisciplinaridade e Semiárido

Sala : SALA 06 - AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 13/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:Os recursos hídricos de superfícies brasileiras correspondem a uma vazão média de 169.000 m3/s, ou quase 12% do total mundial, ressalta Pereira Junior (2004). Porém, a situação atual está pautada na crise hídrica e em descontentes estimativas. Atualmente a principal região afetada é o Nordeste. Á vista disso, as sociedades começaram a praticar inconscientemente ações que pautam princípios da educação ambiental baseados na falta desse recurso. A exemplo disso, pode-se citar o reuso da água de condensação dos ar-condicionado para atividades de limpeza, gerando conscientização ambiental, benefícios ao meio ambiental e ao financeiro. Assim, o aprimoramento de projetos que visem a reutilização e o armazenamento correto é um ponto estratégico para a continuidade de estudos nessa área, formando uma articulação ligando-se as estratégias da educação ambiental a fim da diminuição significava do desperdício na Universidade Federal de Campina Grande – UFCG, Campus Pombal, além de garantir a qualidade recomendada. O presente trabalho foi realizado nas instalações locais do campus, com foco nas Centrais de Aula I e II (CA), na qual apresentam um total de 14 salas em cada prédio, totalizando em 57 aparelhos de ar-condicionado de 36.000 BTU. Nesse seguimento para verificação da qualidade da água oriunda do processo de condensação dos aparelhos de ares-condicionados foi realizado uma coleta em um ponto de cada central com auxílio de baldes virgens, a fim de evitar contaminação das amostras. Posteriormente foi realizado, no laboratório de águas do próprio campus, as análises dos parâmetros (condutividade, cor, pH, temperatura e turbidez) físico-químicos da água amostrada, sendo utilizados para tal, beckers e equipamentos apropriados. Além disso, surgiu a necessidade de calcular a demanda utilizada na limpeza das CA (corredores e banheiros), com isso realizou-se entrevistas com os funcionários designados para tal função. A partir das análises realizadas a fim da determinação dos parâmetros relacionados à qualidade da água e considerando os padrões de potabilidade definidos no Anexo XX da Portaria 2914/2011 do Ministério da Saúde, os valores encontrados não apresentaram importantes variações, significando que água gerada por esses aparelhos pode ser utilizada para serviços gerais de limpeza, desde que seja coletada e armazenada de maneira correta. A partir de cálculos matemáticos extraídos por entrevistas com os terceirizados do campus, verificou-se a necessidade de uma demanda estimada em 3.040 litros mensais. Por outro lado, a quantificação do volume de água gerado pela condensação dos aparelhos gera um desperdício de 10.488 litros por mês. Sendo assim, a porcentagem do volume de água gerado pelo funcionamento dos aparelhos em relação à utilização para a limpeza é de 343%, ou seja, a oferta de água atende mais do triplo da demanda de água para limpeza. Diante do exposto e considerando a atual crise hídrica que afeta não somente a região nordeste, mas todo o país, é essencial à aplicação e elaboração de técnicas que visam o reaproveitamento da água. Assim sendo, fica a sugestão para que esse estudo seja expandido e que se realizem novas análises para determinar quais outras utilidades possam ser atribuídas à água produzida por esses aparelhos, bem como, a criação de projetos que viabilizem o reuso, visto que, os desperdícios gerados na universidade são de bastante relevância. Referências BRASIL. PORTARIA 2.914. (2011). Ministério do Estado da Saúde-MS. Norma de qualidade da água para consumo humano. Portaria n° 2.914, D.O.U. de 14/12/11, República Federativa do Brasil, 2011. PEREIRA JÚNIOR, José de Sena. Recursos hídricos: conceituação, disponibilidade e usos. 2004.

I CONGRESSO NACIONAL DA DIVERSIDADE DO SEMIÁRIDO

Semiárido brasileiro: diversidade, tendências, tensões e perspectivas