Autor : JOÃO GOMES DA COSTA

Modalidade : AT 02 - Riquezas naturais no semiárido: degradação e uso sustentável

Sala : PO - AT 02     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 14/12/2018     Hora inicio : 15:00:00     Hora Fim : 17:00:00

Resumo:Introdução: O uso da irrigação é uma prática essencial em várias regiões, entretanto a mesma deve ser realizada com critério técnico, evitando-se, no futuro, sérios problemas ao agricultor, com destaque para a salinização do solo (RESENDE et al. 2014; FREIRE et al. 2014; DE ARAÚJO NETO et al. 2016). Devido à grande expectativa criada com a construção do Canal do Sertão Alagoano e a ausência de assistência técnica, os agricultores, que margeiam a área adjacente ao longo do Canal, vêm usando a irrigação e explorando culturas sem nenhum critério para que a mesma seja eficiente. Dados extraídos do Zoneamento Agroecológico do Estado de Alagoas mostram que, a área já servida pelo Canal do Sertão (municípios de Delmiro Gouveia, Água Branca e Pariconha), excetuando-se as áreas urbanas e os espelhos d’água, conta com 1.287,8 km2. A maioria dessa área é formada por solos que apresentam algum tipo de restrição para uso da irrigação como drenagem restrita, profundidade efetiva limitada, pedregosidade e, ou rochosidade, sodicidade e salinidade além da suscetibilidade à erosão. Objetivo: Dessa forma, este trabalho teve como objetivo avaliar o impacto da irrigação nos solos adjacentes ao canal ao longo dos primeiros 90 km de construção. Metodologia: Foram coletadas amostras de solo em 29 locais envolvendo cultivos nos municípios de Pariconha, Água Branca e Delmiro Gouveia, nas camadas de 0 – 20 cm e 20 – 40 cm. As amostras de solos foram coletadas em áreas com cultivo de milho, capim elefante, feijão, melancia e milho, além de três coletas em áreas de caatinga em locais distintos. Foram considerados os seguintes atributos: Condutividade Elétrica do estrato de saturação (CE), pH, PST (percentual de sódio trocável), RAS (razão de adsorção do sódio) e os íons solúveis Ca2+, Mg2+, Na+, K+, Cl-. Visando identificar diferença entre os diferentes pontos de coleta em relação a todas as variáveis estudadas, realizou-se uma análise de agrupamento pelo método otimização de Tocher, utilizando-se a matriz de distância Euclidiana média e com os dados padronizados como medida de dissimilaridade. Resultados: Os resultados obtidos a partir dos 29 locais foram agrupados em quatro grupos distintos com relação a camada de 0 – 20 cm e três grupos em relação a camada 20 – 40 cm. A variável que mais contribuiu para discriminar as amostras foi PST com 42,1% e 48% respectivamente para as camadas 0 – 20 e 20 – 40 cm. Verificou-se que 24,13% das áreas apresentaram condutividade elétrica maior que 4.000 µScm-1, que é considerado como solos de caráter salino pelo Sistema Brasileiro de Classificação de Solos. Constatou-se, ainda, que 37,93% e 62,07% das amostras de solos apresentaram concentrações de Cl- e Na+ acima de 3 mmolc L-1 podendo causar danos as culturas, reduzindo a produtividade. Considerações Finais: Diante dos resultados obtidos recomenda-se que haja um monitoramento das áreas exploradas e que os órgãos competentes apresentem medidas de prevenção a uma possível salinização das áreas adjacentes ao Canal do Sertão alagoano.

Autor : MARIA DOS NAVEGANTES PEREIRA DA SILVA

Modalidade : AT 02 - Riquezas naturais no semiárido: degradação e uso sustentável

Sala : PO - AT 02     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 14/12/2018     Hora inicio : 15:00:00     Hora Fim : 17:00:00

Resumo:Resumo: Introdução: A falta de recursos hídricos adequados ou de boa qualidade, tem levado muitos agricultores a utilizarem, água com qualidade inferior (concentração de sais relativamente alta) para a irrigação das culturas, sendo necessário, portanto, à avaliação da qualidade e o manejo rigoroso para sua utilização (GOMES et al., 2015).A região semiárida possui elevada evapotranspiração e baixos índices pluviométricos, os solos são férteis, Contudo há acúmulo de íons, que quando precipitam, originam solos com acúmulo de sais, muitas vezes de reação alcalina, limitando sua fertilidade e a produtividade das culturas (SANTOS, CAVALCANTE; VIDAL, 2010). O monitoramento dos sais no solo ao ser irrigado com água salina é fundamental para se observar os danos que poderão ocorrer com a planta, além de avaliar se o método de irrigação está ou não contribuindo para a aceleração da degradação do solo através da aplicação de água salina. O objetivo deste trabalho foi de avaliar a evolução dos sais através da condutividade elétrica do extrato de saturação num solo cultivado com sorgo e irrigado com diferentes de níveis de salinidade da água e com aplicação de biofertilizante com o intuito de minorar os efeitos deletérios da salinidade. Metodologia: O experimento foi realizado em casa de vegetação, localizada na escola Agrícola de Jundiaí – Unidade Acadêmica especializada em Ciências Agrárias, pertencente a Universidade Federal do Rio Grande do Norte, no município de Macaíba – RN. Foram avaliadas 4 doses do biofertilizante comercial (75,150,225 e 300 L ha-1), e as plantas de sorgo cv. BRS ponta Negra irrigadas com quatro níveis de salinidade da água (0,2; 2,0; 4,0; 6,0 dS m-1) foi utilizado aproximadamente 10 Kg de solo arenoso colocado em tubos de PVC. O preparo das soluções salinas, foram utilizados os sais de NaCl, CaCl2H2O, MgCl2.6H2O dissolvidos em água de açude, o biofertilizante foi diluído em água não salina 0.75, 1.5, 2.25 e 0.0 mL/vaso/vez. A condutividade elétrica (CE 1:2.5) conforme metodologia proposta pela EMBRAPA (2009). Os resultados das variáveis foram submetidos à análise de variância e as médias comparadas pelo teste de Tukey o programa ASSISTAT 7.6 Beta. Resultados e Discussão: Para todas as doses de biofertilizante aplicadas o nível de condutividade elétrica do extrato de saturação aumentou com o incremento da salinidade da água de irrigação, em relação ao nível inicial da salinidade do solo. Sendo o menor nível de CEes (dSm-1) encontrado na dose de 150 L ha-1 de biofertilizante com exceção das demais doses de biofertilizante aplicadas, à aplicação do biofertilizante na dose de 150 L ha-1 não apresentou diferenças estatísticas de condutividade elétrica do extrato de saturação entre os tratamentos. Silva et al. (2011) avaliando a interação entre a salinidade e o biofertilizante bovino na cultura do feião- de corda, verificou que o aumento da salinidade da água associado à aplicação de biofertilizante ocasionou o aumento da salinidade do solo, afetando o crescimento inicial das plantas sendo em menor intensidade no solo com biofertilizante. Considerações finais: O aumento do nível de salinidade da água ocasionou um crescimento nos níveis de salinidade do solo. A aplicação das doses de biofertilizante não evitou o aumento da salinidade do solo.

Autor : MAIRLIS ALMEIDA DE MENEZES

Modalidade : AT 02 - Riquezas naturais no semiárido: degradação e uso sustentável

Sala : PO - AT 02     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 14/12/2018     Hora inicio : 15:00:00     Hora Fim : 17:00:00

Resumo:Dentro das paisagens antropogênicas, o homem foi destruindo habitat a taxas sem precedentes na história evolutiva da Terra (DIDHAM et al., 2005). A destruição do habitat gera fragmentos na paisagem e o grau de isolamento afeta a qualidade do ambiente, ocasiona a vida de comunidades (ARNÓBIO, 2012). Quanto maior o grau de fragmentação, mais altos são os riscos de extinção de espécies, (SOCORRO, 2014). O isolamento dos fragmentos resulta na diminuição da diversidade biológica, das taxas de imigração ou recolonização. A partir do isolamento, essas “ilhas” ficam exposta à insolação e modificação do regime de ventos. O presente trabalho visa realizar uma análise espaço-temporal da cobertura vegetal no Instituto Federal do Ceará (IFCE) – Campus Quixadá e nas áreas de seu entorno, identificando o surgimento de fragmentos florestais, bem como as alterações sofridas ao longo do tempo..Foram produzidos mapas, utilizando imagens nos anos de 2008, 2013 e 2016, delimitando um raio de 500 metros envolto à alameda do Cedro, onde se localiza o Instituto, de forma a quantificar mais especificamente a área amostral. Foram, também, utilizados os softwares Google Earth Pro. Para georreferenciamento e aquisição de imagens, e ArcGIS, para produção dos mapas, com fim de realizar comparações temporais.Com isso, a análise temporal da cobertura vegetal mostra que houve uma redução de habitats naturais entre 2008 e 2016. As áreas de vegetação em estágio intermediário de regeneração diminuíram o correspondente 66,54%. Áreas em estágio inicial de recuperação surgiram nos últimos anos, no entanto, também é possível observar uma redução de 47,21% de 2013 para 2016, valor considerável para um período de tempo relativamente curto. As áreas de vegetação nativa diminuíram de tamanho, houve um aumento de 8,63% das áreas de cultivo e de pousio (112, 87 ha em 2008 para 123,52 ha em 2016) e de 258% de áreas edificadas entre 2008 e 2016, período esse marcado pela implantação do IFCE e Universidade Federal do Ceará (UFC).A diminuição da área resulta em impactos causados ao longo da escala temporal tendo como principal agente o efeito da redução da vegetação e o isolamento dos fragmentos. A redução dos fragmentos é de 3,34% para vegetação em estágio intermediário de regeneração e 5,009% de redução da vegetação em estágio intermediário de regeneração, sendo dificultado o processo de troca de espécies entre os fragmentos, ocasionando uma possível estagnação no desenvolvimento das manchas. Por fim, deve-se considerar políticas locais para o correto manejo da área supracitada, principalmente no que tange a manutenção e preservação do espaço florestal, visto que a área além de importante a biogeografia, hipoteticamente possui influências no controle de temperaturas locais.A ocupação residencial e o uso agrícola é a principal causa da degradação e fragmentação da área de florestamento e nos últimos anos houve um aumento significativo no número de loteamentos na área de estudo, o que acreditamos ter triplicado em tempos atuais. Os órgãos UFC e IFCE possuem políticas de preservação dos fragmentos mais próximos a eles, permitindo que esses fragmentos se regenerem.

Autor : JOÃO GOMES DA COSTA

Modalidade : AT 02 - Riquezas naturais no semiárido: degradação e uso sustentável

Sala : PO - AT 02     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 14/12/2018     Hora inicio : 15:00:00     Hora Fim : 17:00:00

Resumo:Introdução: A água disponibilizada por intermédio do Canal do Sertão alagoano está exposta a reações físico‑químicas e contaminações da água, em função da alta temperatura e incidência solar durante todo o ano. Assim, a mesma está sujeita: aquecimento por alta incidência solar; alta evaporação da água em razão das elevadas temperaturas; transferência dos íons do concreto para a água; produção de algas; crescimento de animais aquáticos, entre outros, contaminação por fezes de pássaros e pela morte de animais pequenos (GUNKEL et al. 2015). A água é fundamental para a qualidade de vida dos seres humanos, já que o mesmo faz uso principalmente para ingestão direta, preparo de alimentos, higiene pessoal e de utensílios. Com isso, é imprescindível que a água usada para abastecimento doméstico apresente características toxicológicas adequadas, livres de microrganismos patogênicos e substâncias nocivas à saúde. Esse conhecimento de alterações na qualidade físico-química e microbiológica da água do canal do sertão é do interesse não apenas da comunidade científica e da sociedade, mas também do governo, para que ações gerenciais possam ser planejadas. Objetivo: Tendo em vista o exposto, o presente trabalho objetivou avaliar a qualidade microbiológica e físico-química da água do canal de Sertão no Estado de Alagoas, através dos parâmetros de qualidade da água os quais foram analisados nos laboratórios do CESMAC. Metodologia: Após visita de reconhecimento da área, foram definidos 9 pontos de coleta, abrangendo a área de captação e os 90 km iniciais do canal. As amostras coletadas foram analisadas nos laboratórios do CESMAC através dos parâmetros de qualidade da água. Os parâmetros de qualidade da água cor, cloretos, nitrato, amônia, DBO e coliformes termotolerantes, foram analisados nos laboratórios do CESMAC, conforme métodos especificados em Standard Methods for the Examination of Waterand Waste Water, editado pela American Public Health Association APHA et al. (2012). Visando identificar diferença entre os diferentes pontos de coleta em relação a todas as variáveis estudadas, realizou-se uma análise de agrupamento pelo método otimização de Tocher, utilizando-se a matriz de distância Euclidiana média e com os dados padronizados como medida de dissimilaridade. Resultados: Os resultados obtidos mostraram que alguns parâmetros avaliados não estiveram enquadrados, conforme diretrizes da legislação brasileira. Sendo o Rio São Francisco que abrange o canal do sertão considerado como um rio de CLASSE III, no parâmetro cor, houve uma superação dos limites recomendados para o enquadramento; valores de sódio encontrados restringem o uso de água para o consumo humano e valores de magnésio obtidos na pesquisa estiveram abaixo do permitido para consumo humano e irrigação. Os demais parâmetros avaliados não apresentam restrição de uso nem para irrigação nem para consumo humano. A análise de agrupamento resultou em quatro grupos distintos sendo um composto por quatro pontos, dois grupos formados por dois pontos e um composto por apenas um ponto de coleta. Dentre dezessete variáveis estudadas quatro foram responsáveis por 69,4% da diferenciação entre os quatro grupos formados, que foram coliformes totais (19,4%), coliformes termotolerantes (16,7%), alcalinidade total (19,4%) e turbidez (13,9%). Considerações Finais: A partir dos resultados obtidos recomenda-se que seja feita avaliações da qualidade da água do canal do sertão, antes de recomendá-la, para consumo humano ou irrigação. Palavras-chave: Qualidade da água, Semiárido alagoano, microbiologia.

Autor : TERESA RAQUEL DA ROCHA CARDOSO

Modalidade : AT 02 - Riquezas naturais no semiárido: degradação e uso sustentável

Sala : PO - AT 02     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 14/12/2018     Hora inicio : 15:00:00     Hora Fim : 17:00:00

Resumo:A quitosana, uma substância produzida pela desacetilação da quitina, vem sendo bastante estudada por se tratar de um produto natural bastante promissor, onde possui uma grande importância econômica e ambiental, visto que apresenta inúmeras aplicações em diversos campos tais como liberação de fármacos, biotecnologia, alimentos, cosméticos e engenharia. Esse biopolímero vem ganhando destaque devido a sua biocompatibilidade, biodegradabilidade, ausência de toxidade e baixo custo. Porém, suas aplicações são limitadas devido ao seu elevado peso molecular em que possibilita uma fraca solubilidade em soluções aquosas de pH neutro e alta viscosidade da sua solução. Recentemente, tem se proposto alguns métodos para despolimerização da quitosana sem alterar sua estrutura química, tais como métodos enzimáticos e químicos. Entretanto esses procedimentos proporcionam algumas desvantagens como, por exemplo, os métodos enzimáticos possuem baixa produtividade e os métodos químicos apresentam inconvenientes inerentes que são inadequados para produtos em relação a absorção humana. A utilização do plasma para redução do peso molecular desse polímero tem se mostrado bastante atrativo, por apresentar uma gama de vantagens como operação à pressão atmosférica sem a presença de substâncias tóxicas, controle da poluição e da esterilização, como também são sistemas econômicos e simples. O plasma pode ser gerado através de uma diferença de potencial, ocasionado pela aplicação de energia a um gás com o intuito de reorganizar a estrutura eletrônica das espécies (átomos ou moléculas). Desse modo, o presente trabalho visa a despolimerização da solução de quitosana por plasma frio submetida em diferentes tempos de exposição (60, 120 e 180 min). Inicialmente, preparou-se uma solução de quitosana onde determinou o grau de desacetilação por meio de titulação condutimétrica. Posteriormente, a solução de quitosana foi submetida ao plasma em distintos tempos de exposição. A eficiência da despolimerização da quitosana foi demonstrada pela determinação do peso molecular, através do método viscosimétrico. Em seguida, foi feita análise de sua estrutura química por meio da caracterização por difração de raio - X e de sua estabilidade através do espectro UV. Os resultados obtidos com o procedimento indicaram que a quitosana pode ser eficientemente degradada pelo plasma a pressão atmosférica sem alterar significativamente sua estrutura química. Permitindo assim, a modificação do seu peso molecular, em que aumentando o tempo de exposição ao plasma ocasiona uma redução no mesmo. Isso ocorre devido a presença de radicais livres gerados durante o tratamento. Com análise da difração de raio - X foi possível atentar que com a redução do peso molecular levou a destruição da estrutura cristalina, onde originou uma característica amorfa. A análise do espectro UV constatou a formação do grupo carbonila a partir da exposição ao plasma. Diante disso, a utilização do plasma para modificação da quitosana é um método bastante eficaz para redução do peso molecular.

Autor : ÉBERTE VALTER DA SILVA FREITAS

Modalidade : AT 02 - Riquezas naturais no semiárido: degradação e uso sustentável

Sala : PO - AT 02     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 14/12/2018     Hora inicio : 15:00:00     Hora Fim : 17:00:00

Resumo:Introdução: A crescente demanda mundial por eletricidade estimula o uso da energia solar, porém a intensidade variável da radiação torna imperativo um levantamento histórico para garantir maior eficiência de um sistema de aproveitamento ao longo do ano. A simulação do equipamento em operação é uma das técnicas mais precisas de dimensionamento, permitindo identificar o potencial de produção máximo e mínimo, a viabilidade e os benefícios daquela proposição. Apesar das radiações médias anuais serem elevadas, há pouca disponibilidade dos níveis médios mensais e mesmos diários do Alto Oeste Potiguar, o que torna essa região uma provável matriz energética solar esquecida. Objetivos: O objetivo principal é estabelecer a viabilidade da inserção de geração distribuída de energia solar fotovoltaica no Alto Oeste Potiguar. Para tanto, foi necessário obter os valores médios de radiação, umidade relativa do ar e temperatura para o Alto Oeste potiguar; determinar os valores de radiação média inclinada e radiação global, nos seus melhores e piores valores, na região em estudo; e, realizar comparativo entre os valores de radiação obtidos e os dos líderes mundiais na exploração fotovoltaica. Metodologia: Para obtenção dos dados de radiação global, umidade relativa do ar, temperaturas máxima, mínima e média, o presente estudo utilizou dados da estação automática do INMET da cidade de Apodi-RN, localizada no Alto Oeste Potiguar. Adaptações foram realizadas nos dados visando tornarem-se compatíveis com o método empregado pelo software Radiasol2, o qual possibilita a sintetização de sequencias de radiação diária tendo como dados de entrada a série de 12 valores médios mensais de radiação, umidade relativa do ar, temperatura máxima, mínima e média. O trabalho utiliza a revisão de literatura como base de pesquisa buscando analisar exemplos de práticas bem-sucedidas de exploração da energia solar fotovoltaica, cujas condições físicas do ambiente de implementação contrastem em relação ao cenário de implementação dessa tecnologia no Alto Oeste Potiguar por serem menos favoráveis, e ainda assim figurem na dianteira da exploração dessa fonte energética. Resultados: De acordo com os resultados, a cidade de Apodi alcança em seu mês de menor média global de irradiação, o valor de 2,1 kWh/m²/dia que é um nível bem maior que a média europeia – líder mundial no setor - cujos valores estão compreendidos entre 1,3kWh/m²/dia e 1,9 kWh/m²/dia, e constata-se ainda, uma baixa variação ao longo dos meses. Demonstra-se assim o grande potencial para a inserção de geração distribuída por fonte solar na região do alto oeste potiguar. Considerações finais: O levantamento do potencial de radiação solar local é útil para o planejamento inicial de uma futura planta de geração de energia elétrica. Com essas informações é possível aumentar a eficiência de um sistema de geração distribuída para determinada região e perfil de carga. As principais dificuldades na exploração são o baixo investimento em inovação tecnológica no país, a baixa difusão dos conceitos desta tecnologia nas três vertentes (econômica, ambiental e social) entre a população, e as poucas opções de financiamentos de projetos locais.

Autor : VALDENILDO PEDRO DA SILVA

Modalidade : AT 02 - Riquezas naturais no semiárido: degradação e uso sustentável

Sala : PO - AT 02     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 14/12/2018     Hora inicio : 15:00:00     Hora Fim : 17:00:00

Resumo:O setor industrial da indústria de cerâmica vermelha é dividida em empresas de pequeno, médio e grande portes. As empresas pequenas têm apresentado problemas quanto à identificação de desperdícios e de geração de resíduos. Por ocasião da revisão de literatura para a construção da problemática dessa pesquisa, constatou-se que os diagnósticos ambientais entorno da geração dos resíduos sólidos e os desperdícios na produção da cerâmica vermelha eram inexistentes ou exíguos. Por isso, a pesquisa viso a diagnosticar as condições ambientais e de processo da empresa Vilar Produtos Cerâmicos de Tangará-RN, situada no Semiárido do Rio Grande do Norte, visando a proposição de técnicas de produção mais limpa. Classificou-se a pesquisa como exploratória, descritiva e de estudo de caso. Em suma, constatou-se que os desperdícios ocorrem em todas as fases da produção e a maior geração de resíduos predominou nos cortes, na secagem e na queima dos produtos cerâmicos.

Autor : ADRIANA LEMOS PORTO

Modalidade : AT 02 - Riquezas naturais no semiárido: degradação e uso sustentável

Sala : PO - AT 02     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 14/12/2018     Hora inicio : 15:00:00     Hora Fim : 17:00:00

Resumo:Uma técnica inovadora atualmente em desenvolvimento é a construção de modelos digitais a partir de um conjunto de imagens de tomografia de raios-X de alta resolução adquiridas em amostras de rocha. A tomografia computadorizada de alta resolução é uma técnica não destrutiva que permite a visualização da estrutura interna dos objetos ou rochas, e é determinada principalmente por variações de densidade na rocha. Essa técnica permite definir a geometria 3D do espaço poroso e dos grãos minerais, bem como o reconhecimento dos minerais presentes na rocha. O objetivo deste trabalho é estimar a distribuição granulométrica de arenitos a partir de imagens de microtomografia de raios-X. Neste trabalho são analisadas três amostras de arenito (A4, A7e A9), rochas sedimentares que formam reservatórios de petróleo e gás extraídos de testemunhos de poços coletados na Bacia Rio do Peixe. A distribuição granulométrica é realizada no software Avizo® Fire através de um fluxograma de ferramentas. Inicialmente as imagens dos tomogramas bidimensionais da amostra são carregadas e, em seguida, se extrai uma região de interesse, pela aplicação da ferramenta Extract Subvolume, no qual será feita a análise granulométrica. Durante a aplicação das ferramentas necessárias para se obter a distribuição granulométrica, pode-se adicionar a ferramenta Ortho Slice a cada passo, essa ferramenta permite a visualização dos resultados de todas as ferramentas usadas durante a estimação. Sobre a região de interesse selecionada se aplica a ferramenta I_threshold, a qual separa os grãos dos poros. Neste caso foi utilizado o tom de cinza máximo igual a 55, na escala de 0 a 255, para a separação poro-grão aplicando processo de segmentação. Finalmente a ferramenta I_analyze tem como resultado do seu processamento uma tabela que apresenta, entre outras variáveis, os diâmetros equivalentes (EqDiameter) de todos os grãos minerais que compõe a região de interesse. A Distribuição granulométrica das amostras foi classificada de acordo com a classificação de Wentworth (1922) que propôs uma escala de classificação granulométrica da granulação mais fina, para a de maior tamanho para sedimentos clásticos e é muito utilizada até os dias atuais. As três amostras possuem diâmetro equivalente até a classe areia grossa, a amostra A4 possui a seguinte distribuição: 17% corresponde ao tamanho de grão de areia média, 25% à classe areia muito fina e 46% restante à classe areia fina. Já a amostra A7 possui 15% dos grãos com diâmetro de tamanho de grão de areia muito fina, 21% de tamanho areia fina e 41% equivalente à classe silte fino. Na amostra A9, 19% dos grãos são de tamanho areia grossa, 24% areia média e 37% da classe silte fino. A simulação numérica da distribuição granulométrica nos modelos digitais resultou em valores de tamanho de grão compatíveis com os esperados para os tipos de rochas analisados.

Autor : FELIPE TAVARES LIMA

Modalidade : AT 02 - Riquezas naturais no semiárido: degradação e uso sustentável

Sala : PO - AT 02     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 14/12/2018     Hora inicio : 15:00:00     Hora Fim : 17:00:00

Resumo:Alguns cogumelos possuem teores de proteína superiores a 40% do seu volume seco, além de conterem fibras alimentares, minerais, vitaminas, metabólitos medicinais e baixo teor de lipídeos. No Brasil, no entanto, o consumo e produção destes é pouco difundido e abaixo da média internacional. No semiárido, onde há grande carência econômica e nutricional, a introdução de fungos na dieta se mostra especialmente estimulável. Um desafio ao cultivo nesse ambiente é a necessidade de elevado investimento em equipamentos, pois as espécies mais comercializadas, provenientes da Ásia e da Europa, demandam baixas temperaturas e elevada umidade. Espécies e variedades nativas, que são evolutivamente aclimatadas, teriam potencial para reduzir esses custos. Devido ao comportamento cosmopolita observado em muitos fungos, se torna possível, apesar da falta de informação formal adquirida a partir das populações tradicionais brasileiras, aferir sobre nativos não-endêmicos através de conhecimento provindo de populações consumidoras de outras regiões. Este trabalho objetivou listar os fungos comestíveis que ocorrem naturalmente no semiárido brasileiro evidenciando o potencial da região para posteriores estudos em cultivo e manejo do recurso. Inicialmente diversas publicações foram consultadas, incluindo-se livros, artigos, dissertações de mestrado e teses de doutorado, e uma lista com fungos apontados como presentes na alimentação de diversas populações no planeta foi elaborada. Foi então verificada a ocorrência no semiárido do Brasil das espécies listadas, através de buscas na plataforma INCT Herbário Virtual da Flora e dos Fungos, que reúne o acervo de 203 coleções de fungos, plantas e algas em território nacional, com informação de onde foram coletados. As nomenclaturas citadas foram readequadas às vigentes de acordo com o banco de dados Index Fungorum. Uma lista dos fungos comestíveis que ocorrem no semiárido brasileiro, suas áreas de ocorrência, grupo taxonômico e número de espécimes preservados em herbários brasileiros foi criada. Por fim, foram registradas informações acerca da intensidade e forma de consumo, além da presença de relatos sobre toxicidade das espécies em trabalhos publicados. Ao final encontrou-se um total de 43 espécies comestíveis, das quais 18 pertencem à ordem Agaricales, 15 à Polyporales, três à Auriculariales, duas à Geasterales, duas à Boletales, uma à Phallales e uma à Hymenochaetales. Destas, uma apresentou relatos de toxicidade em trabalho publicado. O número total de espécies encontradas supera em 14, tendo apenas oito em comum, a lista brasileira da publicação mais acessada sobre o tema no mundo. Supera ainda, em número, a lista nacional de outros 75 dos 84 países citados na mesma publicação. A discrepância entre os números publicados anteriormente e os encontrados no presente trabalho evidenciam a falta de conhecimento sobre a diversidade de fungos alimentícios no semiárido brasileiro. O elevado número total de espécies encontradas, em grupos taxonômicos distintos, revela a elevada diversidade e aptidão da região para tornar-se produtora do recurso em questão após estudos em cultivo e manejo, contribuindo para a busca da soberania alimentar e geração de renda da população residente.

Autor : FELIPE TAVARES LIMA

Modalidade : AT 02 - Riquezas naturais no semiárido: degradação e uso sustentável

Sala : PO - AT 02     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 14/12/2018     Hora inicio : 15:00:00     Hora Fim : 17:00:00

Resumo:Assim como as plantas, os fungos produzem uma imensa gama de metabólitos secundários bioativos que podem ser de grande auxilio na melhoria da qualidade de vida das pessoas, principalmente as que vivem em situação de vulnerabilidade econômica e social e dividem o ambiente em que vivem com esses fungos. No entanto, os esforços para o conhecimento desses organismos, especialmente no Brasil, ainda são tímidos. Estima-se a existência de um total de 140.000 espécies de macrofungos no planeta, das quais apenas 10% eram conhecidas pela comunidade científica em 2005. Das espécies desconhecidas, espera-se que pelo menos 7.000 apresentem propriedades benéficas à humanidade. Apesar da falta de informação formal disponível adquirida a partir das populações tradicionais brasileiras sobre a utilização dos fungos que ocorrem no semiárido, principalmente acerca das propriedades medicinais dos fungos endêmicos, é possível aprender sobre essas informações através de conhecimentos provindos de diversas partes do globo, visto que muitos tem ampla distribuição, sendo considerados cosmopolitas. O objetivo do presente trabalho foi listar as espécies macrofungicas de interesse medicinal que ocorrem naturalmente no semiárido brasileiro, afim de aferir a potencialidade da região neste aspecto e de subsidiar futuros aprofundamentos no uso sustentável do recurso. Para tal, diversas publicações foram consultadas incluindo-se livros, artigos, dissertações de mestrado e teses de doutorado, e uma lista com fungos apontados como medicinais no mundo foi elaborada. Foi então verificada a ocorrência das espécies no semiárido do Brasil, das espécies listadas, através de buscas na plataforma INCT Herbário Virtual da Flora e dos Fungos, que reúne o acervo de 203 coleções de fungos, plantas e algas em território nacional, com informação de onde foram coletados. As nomenclaturas citadas foram ajustadas às vigentes de acordo com o banco de dados Index Fungorum. Ao fim, 56 espécies foram listadas junto às suas áreas de ocorrência, grupo taxonômico, número de espécimes coletados e propriedades medicinais observadas. Cinquenta e quatro pertencem ao filo Basidiomycota e duas ao filo Ascomycota. Dentre os Basidiomycota, 20 pertencem à ordem Agaricales, 19 à Polyporales, quatro à Hymenochaetales, quatro à Boletales, três à Geasterales, três à Auriculariales e uma à Phallales. Dentre os Ascomycota, uma pertence à Xylariales e uma à Lecanorales. Algumas das aplicações associadas às espécies foram: cicatrizante, anti-microbiana, anti-viral, anti-carcinogênica, imunoestimulante, diurética e anti-tumoral. A diversidade encontrada é superior à descrita para todo o Brasil na publicação mais acessada do mundo sobre do tema, demonstrando o minúsculo conhecimento acerca da diversidade do semiárido, e confirmando a existência seu potencial medicinal, em se tratando dos macrofungos. Pesquisas individuais e aprofundadas para cada um dos listados devem ser realizadas, confirmando ou não seu potencial medicinal através de extração e quantificação de princípios ativos e ensaios clínicos, visto que a produção de metabólitos secundários é influenciada pelas condições ambientais as quais o organismo está inserido.

Autor : CHERLYSON CUNHA DE MEDEIROS

Modalidade : AT 02 - Riquezas naturais no semiárido: degradação e uso sustentável

Sala : PO - AT 02     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 14/12/2018     Hora inicio : 15:00:00     Hora Fim : 17:00:00

Resumo:Resumo: Introdução: A baixa disponibilidade de recursos hídricos nas regiões áridas e semiáridas envolvem aspectos quantitativos e qualitativos, principalmente a presença de sais nestes mananciais, sejam superficiais ou subterrâneos, causando restrições de uso para o consumo humano, animal e irrigação (MEDEIROS et al., 2003). Como solução para o problema da salinidade recomenda-se a solubilização e a consequente remoção pela água de percolação dos sais no sistema radicular, enquanto a diminuição do teor de sódio trocável envolve o seu deslocamento do complexo de troca pelo cálcio e posteriormente a realização de lixiviação (BARROS et al., 2004).A utilização de gesso agrícola pode ser uma alternativa utilizada para fazer a diminuição da condutividade elétrica do solo quando usamos o esterco bovino para fertilização do sorgo e irriga-se com águas de qualidade duvidosa, condição que muitas vezes é cotidiana para os agricultores do Rio Grande do Norte, devido aos fatores edafoclimáticos reinantes no semiárido Nordestino. Objetivo: Portanto, o objetivo deste trabalho é verificar o desenvolvimento do sorgo irrigado com água salina e com aplicação de gesso agrícola e esterco bovino. Metodologia: O experimento foi conduzido na Escola Agrícola de Jundiaí – Unidade Acadêmica Especializada em Ciências Agrárias, pertencente a Universidade Federal do Rio Grande do Norte, localizada no município de Macaíba – RN, em casa de vegetação. Foram avaliadas quatro doses de esterco bovino, 10, 20, 30 e 40 t ha-1, e quatro doses de gesso, 0, 10, 20 e 30 t ha-1 e as plantas de sorgo cv. BRS Ponta Negra foram irrigadas com água salina com CEa = 7 dS m-1. O delineamento experimental utilizado foi o inteiramente casualizado com quatro repetições no esquema fatorial 4 x 4, totalizando 16 tratamentos. Para a instalação do experimento, foram colocados em tubos de PVC de 100 mm de diâmetro, com altura de 50 cm, aproximadamente 6 kg de solo arenoso, sendo perfurados na face inferior, para facilitar a drenagem. A semeadura foi realizada colocando-se dez sementes de sorgo em cada tubo de PVC. Resultados e discussão: O comportamento expresso, indica crescimento linear no rendimento de massa seca das folhas mediante aumento nas doses de esterco por tratamento utilizado. Observa-se que houve influência significativa a partir das dosagens de esterco bovino utilizadas, o aumento das doses colaborou de forma positiva sobre a matéria seca da parte aérea, sendo observado por uma variação crescente, com os melhores resultados nos tratamentos que receberam a dose de 30 t ha-1. Houve aumento no diâmetro do colmo a medida que há uma elevação nas doses de esterco bovino, tendo um aumento no diâmetro de 39%, no tratamento com maior dose de esterco bovino em comparação ao tratamento sem esterco bovino. Podemos observa uma resposta positiva na altura das plantas, decorrente das doses de esterco bovino, com um acréscimo de 46%, quando comparado o tratamento que não recebeu a dose de esterco e o tratamento que recebeu maior dose. Ao fim do experimento foi observado que a utilização de esterco bovino apresenta efeitos benéficos a cultura do sorgo, pois houve aumento de massa seca tanto no limbo foliar como no colmo mediante as doses de esterco bovino. E observou-se maior altura das plantas com a maior concentração de esterco. Considerações finais: Podemos observar que o sorgo apresentou Respostas positivas a aplicação de gesso e esterco bovino em comparação com o testemunha, sendo que houve aumento no rendimento de matéria seca, indicando possíveis benefícios ao uso de gesso e esterco bovino quando irrigado com água de alta salinidade.

Autor : RAFAEL DA COSTA FERREIRA

Modalidade : AT 02 - Riquezas naturais no semiárido: degradação e uso sustentável

Sala : PO - AT 02     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 14/12/2018     Hora inicio : 15:00:00     Hora Fim : 17:00:00

Resumo:Resumo: A escassez de água pela qual o nordeste brasileiro vem passando nos últimos anos, faz com que todas as formas possíveis para reutilização de esgoto sejam melhor analisadas com a intenção de se realizar seu reaproveitamento. Visando isto, todas as formas diretas ou indiretas de estudos voltados ao reaproveitamento de água que venham a nos fornecer formas alternativas para a reutilização devem ser melhor analisadas e trabalhadas. Frente a essa preocupação, buscou-se analisar diferentes métodos de tratamento de esgotos assim como sua interação com a metodologia empregada no município de Serra Negra do Norte, buscando melhorias em sua eficiência. O trabalho visa principalmente, verificar quais os métodos empregados no tratamento do esgoto do município, e em seguida analisar quais modificações seriam mais relevantes e sobretudo, mais eficazes na remoção da matéria orgânica e na adequação do efluente lançado no corpo aquático receptor. A princípio, foram analisadas todas as características empregadas na estação de tratamento de esgoto do município de Serra Negra do Norte-RN, características estas, no âmbito físicoestrutural, químico e biológico. Após esta verificação, o tipo de tratamento foi nomeado de acordo com as informações encontradas na literatura relacionada, onde em questão, observou-se a presença de 4 lagoas do tipo maturação, levando-se em consideração sua profundidade e ausência de produtos químicos no tratamento, em sequência à esta constatação, e ainda de acordo com a literatura, foram analisadas as condições necessárias para que este tipo de tratamento pudesse proporcionar um melhor desempenho no quesito para que fora empregado, e em seguida, e caso necessário, seriam sugeridas mudanças que viriam a melhorar o seu desempenho. Após analisarmos as características da ETE do município, constatou-se que as necessidades requisitadas pelo o tipo de lagoa empregada, como, período de detenção hídrica, não estavam sendo atendidas, tendo em vista que a vazão de afluente sanitário produzida pelo município é superior a suportada pelas lagoas, em seguidas foram observadas alterações no processo que acarretassem uma melhoria significativa na eficiência de tratamento, tendo como base a manutenção do custo benefício. Constatou-se que as melhores modificações a serem adotadas no sistema seriam a princípio, alteração da lagoa receptora para uma lagoa do tipo de aeração, com a adoção de aeradores na lagoa receptora do efluente, que tem como função inserir artificialmente o oxigênio necessário para as reações químicas e biológicas de tratamento. A segunda mudança necessária seria na 4ª lagoa. Na chegada do efluente na última lagoa do sistema a matéria orgânica dissolvida no meio apresenta porcentagens insignificantes, em alguns casos alcançando porcentagens inferiores a 5%, entretanto, os processos de tratamento anteriores são deficientes no quesito retirada de agentes patogênicos em função da profundidade da lagoa, que reduz a ação dos raios UV no fundo da lagoa. Constatou-se que apesar da excelente iniciativa adotada pela prefeitura municipal, foram encontradas algumas deficiências na estação de tratamento da cidade de Serra Negra do Norte-RN, deficiências estas que podem comprometer a eficiência do processo e consequentemente a qualidade da água despejada no Rio Espinharas. Observou-se que pequenas modificações estruturais poderiam promover melhorias na qualidade da água, quanto a redução na presença de algas, de até 100% dos agentes patogênicos.

Autor : AGEU DA SILVA MONTEIRO FREIRE

Modalidade : AT 02 - Riquezas naturais no semiárido: degradação e uso sustentável

Sala : PO - AT 02     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 14/12/2018     Hora inicio : 15:00:00     Hora Fim : 17:00:00

Resumo:Os taninos vegetais são compostos polifenólicos naturais extraídos de diferentes tecidos vegetais. É relatado que os taninos podem ser benéficos como também prejudiciais, possuindo atividades hepatotóxica, antinutritional, carcinogênica, antimutagênica, anticarcinogênica, antimicrobiana e de imunomodulação. Taninos de espécies florestais da Caatinga têm mostrado resultados satisfatórios contra patógenos em animais, possuindo atividade antimicrobiana, e também um potencial antiviral. Protium heptaphyllum é uma espécie nativa do Brasil e localiza-se nos domínios fitogeográficos Amazônia, Caatinga, Cerrado e Mata Atlântica. Os subprodutos de P. heptaphyllum são empregados na medicina popular, como analgésico, cicatrizante e expectorante, sendo comprovado cientificamente seu potencial farmacológico. Diante disto, o objetivo do estudo foi extrair e quantificar os taninos vegetais presentes na casca e folhas de P. heptaphyllum. A coleta de casca e folhas foi realizada em um fragmento localizado no município de Macaíba, no estado do Rio Grande do Norte. Foram retiradas do P. heptaphyllum cascas do tronco e folhas verdes. Posteriormente, o trabalho foi conduzido no Laboratório de Tecnologia da Madeira da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Os materiais vegetais foram secos em estufa, onde depois foram triturados em moinho do tipo Willey. Posteriormente, os materiais foram separados por faixa granulométrica para análises, e em seguida a porção obtida foi homogeneizada, para determinação do teor de umidade e do teor de taninos contidos em cada amostra. A extração dos taninos ocorreu em água destilada, sendo utilizadas três amostras de 25g que foram inseridas em balões de fundo chato com 250 mL de água destilada, ocorrendo fervura sob refluxo. Posteriormente, para que as partículas de serragem fossem retidas, o material passou por uma peneira e por um tecido de flanela. Depois de obter o extrato, foi feita a homogeneização e filtração em funil de vidro sinterizado de porosidade 2. Depois, em aparelho tipo Soxhlet, o material foi concentrado para 250 mL pela evaporação da água, e em seguida, quatro alíquotas de 50 mL foram retiradas de cada extrato. Foram utilizadas três alícotas para determinar o teor de taninos condensados (TTC) e uma foi evaporada em estufa para a determinação da porcentagem de teor de sólidos totais (TST). O TTC de cada amostra foi determinado pelo método de Stiasny, onde foram colocados 4 mL de formaldeído e 1 mL de HCl concentrado em 50 mL do extrato bruto, e cada mistura foi fervida sob refluxo. Para obter o teor de não taninos, foi realizada a diferença entre o teor de sólidos totais e o teor de taninos condensados obtido de cada amostra. Foram avaliados o teor de sólidos totais (TST), índice de Stiasny e teor de taninos condensados (TTC) das diferentes estruturas da espécie. O maior teor de umidade foi obtido na casca, e o TST, que expressa a quantidade de extrativos totais presentes nas amostras analisadas foi maior nas folhas. As folhas apresentaram maior valor no índice de Stiasny, mostrando maior quantidade de taninos presentes nos extratos. As folhas apresentaram maior teor de taninos condensados do que a casca, e também maior teor de não taninos, mostrando que elas apresentam uma grande quantidade de compostos, sendo os taninos em maior quantidade. Estudos mostram que é mais comum encontrar maior quantidades de taninos na casca, onde este estudo mostrou o contrário para a espécie. Então conclui-se que a espécie apresenta taninos que podem mostrar por meio de estudos futuros seu potencial farmacológico, visto que é um composto utilizado na medicina e na indústria farmacêutica, assim como a espécie, que apresenta potencial farmacológico. A grande quantidade de taninos em folhas mostra maior viabilidade para extração sustentável para obter os taninos, não prejudicando a planta em seu ambiente natural.

Autor : ADRIANA LEMOS PORTO

Modalidade : AT 02 - Riquezas naturais no semiárido: degradação e uso sustentável

Sala : PO - AT 02     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 14/12/2018     Hora inicio : 15:00:00     Hora Fim : 17:00:00

Resumo:Situada na Paraíba, com alto potencial mineralógico, a Província Pegmatítica da Borborema, possui em seu subsolo uma diversidade de minerais, como quartzo, mica, feldspato, caulim, e gemas, a exemplo de berilo, rubilita e turmalina Paraíba, esta última considerada a pedra preciosa mais cara do mundo. O Estado está localizado na segunda principal região produtora de minérios e pedras preciosas do País, pois além das riquezas presente nessa província possuímos a principal mina de minério de titânio, localizada no município de Mataraca, responsável por 75% da produção de concentrados de ilmenita e rutilo no território nacional (SANTOS, 2010). Esse trabalho tem o objetivo de mostrar o retorno econômico da retirada desses bens minerais para seus respectivos municípios através da Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (CFEM). De acordo com o código de mineração compete à União administrar os recursos minerais, a indústria de produção mineral e a distribuição, o comércio e o consumo de produtos minerais através do Departamento Nacional de Produção mineral (DNPM). Todas as mineradoras e garimpeiros que possuem as minas registradas têm a responsabilidade de pagar a CFEM. A quantificação do retorno econômico desses bens minerais foi calculada a partir da CFEM arrecadada pela união, 65% do valor arrecadado pela união é destinado ao município produtor do bem mineral. De acordo com dados de arrecadação do DNPM da Paraíba, desde a descoberta da turmalina Paraíba (1998) até os dias de hoje não se teve arrecadação da CFEM para essa gema, nem para o Município de salgadinho, seu município produtor, mas existe uma investigação por parte do Ministério Público onde eles afirmam que a união deixou de arrecadar cerca 60 milhões de reais de contribuição, logo o Município de Salgadinho deixou de receber cerca de 39 milhões de reais de retorno pela retirada dessa gema, com isso o município deixou de receber esse benefício, que tem como finalidade investimentos na área de educação, saúde e infraestrutura, em contrapartida o município de Mataraca recebeu nesse mesmo período cerca de 18 milhões de reais, esse município é responsável pela maior arrecadação de CFEM do Estado da Paraíba. Em 2017, aproximadamente 12% de toda receita arrecadada pelo município de Mataraca foi oriunda da CFEM. A Organização das Nações Unidas (ONU) avalia o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) através de três critérios (Saúde, Educação e Renda), dados da ONU mostram que no período entre 2000 e 2010, época que as minerações em Salgadinho e Mataraca estavam a todo vapor, o IDH desses municípios cresceram cerca de 43% e 37 % respectivamente. A mineração é primordial para humanidade e quando explorada de maneira sustentável gera benefícios para uma sociedade, e também garante que gerações futuras usufruam também do bem que é direito de todos.

Autor : DANIEL GODOY LIMA

Modalidade : AT 02 - Riquezas naturais no semiárido: degradação e uso sustentável

Sala : PO - AT 02     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 14/12/2018     Hora inicio : 15:00:00     Hora Fim : 17:00:00

Resumo:O Nordeste é a região com maior representação do semiárido brasileiro, ao mesmo tempo que é destaque entre as regiões no agronegócio e agricultura do coco. Diante desse recurso que constituiu a riqueza da diversidade do semiárido e dos 257.462 ha de plantio vê-se a importância da aplicação sustentável do mesmo mediante as necessidades que surgem no meio social e econômico. Com isso, o objetivo desse trabalho foi realizar uma revisão de artigos, trabalhos de conclusão de curso, dissertações, livros que abordassem a utilização do coco e seus resíduos para comunidade cientifica bem como sua aplicabilidade na indústria do petróleo. Tal revisão foi estruturada através da base de dados SciELO, CAPES, Springer Open e ScienceDirect. Com base nos trabalhos analisados é possível concluir que o coco está presente em diversos setores desde tensoativos – óleo de coco saponificado que tem aplicabilidade em em diversos como colchões lavadouros, recuperação avançada e inibidores de corrosão –, fibras de coco para fluidos de perfuração até turfas e medulas de coco para com a finalidade de tratar efluentes, apresentam resultados positivos e satisfatórios. Assim, é possível observar o impacto que a cocoicultura tem na sociedade e na população do semiárido, uma vez que sua cadeia movimenta a economia da região e gera novas aplicação para resíduos que antes não eram utilizados.

I CONGRESSO NACIONAL DA DIVERSIDADE DO SEMIÁRIDO

Semiárido brasileiro: diversidade, tendências, tensões e perspectivas