Autor : RAFAELA TARGINO DA SILVA

Modalidade : AT 13 - Avaliação de Impacto Ambiental no Semiárido

Sala : PO - AT 13     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 14/12/2018     Hora inicio : 15:00:00     Hora Fim : 17:00:00

Resumo:As águas oriundas de poços de petróleo têm uma grande quantidade de contaminantes, apresentando alto volume de rejeito e uma composição complexa: enxofre, metais, sólidos, gases e o próprio petróleo residual dos trabalhos de exploração (Medeiros, 2008). Uma parte deste efluente contaminado é reutilizado em injeção nos poços e, outra, descartada, a 5km da costa, ao mar, após processo simples de decantação em tanques (Fernandes, 2002). Nesse sentido, faz-se necessário estudos sobre a complexidade destas efluentes e possíveis soluções para minimização destes contaminantes, reduzindo os impactos ambientais, como estabelecido pelo CONAMA 357/430, bem como para aumentar as possibilidades de reuso destes efluentes, após tratamentos que retirem o máximo possível de contaminantes. O presente trabalho tem objetivo de comparar três tipos de adsorventes (casca de coco, carvão pulverizado e areia de praia) utilizados para remoção do petróleo contaminante, sob as mesmas condições operacionais de bancada. A turbidez inicial da amostra bruta era 42 NTU e, em teor de óleos e graxas, 80ppm. O volume de amostra bruta utilizado para cada teste foi de 500mL e as massas de adsorventes variaram entre:30g, 60g e 90g; testes realizados em duplicata e separadamente. Anteriormente ao uso dos adsorventes, os testes foram realizados fazendo-se um “branco” onde o suporte utilizado para os adsorventes foi o papel de filtro, assim, passando-se a amostra sem adsorvente, esta demonstrou que o papel foi inerte ao petróleo contaminante. A amostra bruta e as amostras pós tratamento passaram por análises físico – químicas (pH, densidade por picnometria, turbidez em turbidímetro HANNA e tog em aparelho INFRACAL). Neste contexto, este trabalho foi desenvolvido com amostras reais industriais cedidas pela PETROBRAS, em parceria com a UFRN, que cedeu o equipamento TOGINFRACAL para leitura do teor de óleo e graxa presente nas amostras. Os demais testes e análises foram realizadas no IFRN CNAT/DIAREN.A melhor eficiência de remoção com a casca de coco foi aproximadamente 32,7%; utilizando o carvão pulverizado, a melhor remoção foi 99,2% e a areia de praia com melhor eficiência de 95,9%. Concluiu-se, dentro do range estudado, que o carvão ativo pulverizado, por ter uma alta área superficial e composição química com afinidade ao do petróleo, resultou no melhor resultado de remoção do contaminante da água contaminada. A areia de praia também obteve ótimos resultados, provavelmente devido à porosidade entre os grãos compatível com o armazenamento origem do petróleo que é a rocha arenítica. Os resultados menos expressivos foram demonstrados pela casca do coco in natura, cuja maior porcentagem é a lignina e é mais eficiente na produção do álcool. Ressalta-se que é importante avaliar o custo do adsorvente, já que a areia de praia tem um custo mais baixo que o carvão ativo, ficando mais oneroso. Assim, industrialmente, comparando-se em porcentagem o carvão pulverizado tem maior remoção, mas já que a areia apresenta 95,9% de remoção, industrialmente seria o adsorvente mais indicado para grandes volumes de tratamento da água contaminada.

Autor : ANA CAROLINA VIEIRA DA SILVA

Modalidade : AT 13 - Avaliação de Impacto Ambiental no Semiárido

Sala : PO - AT 13     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 14/12/2018     Hora inicio : 15:00:00     Hora Fim : 17:00:00

Resumo:A busca por um ambiente equilibrado constitui por vezes uma tarefa árdua e complexa. Já que a construção de um modelo de desenvolvimento que contemple tais condições compõe um processo de mudança e aperfeiçoamento constante. De acordo com o Ministério do Meio Ambiente podemos contar com alguns parâmetros de monitoramento, dentre eles estão os indicadores que irão servir para apontar a situação em que se encontra o desenvolvimento ambiental por meio das decisões que foram tomadas. Destacamos dois tipos de instrumentos que são analisados, sendo estes: instrumentos econômicos e/ou instrumentos de planejamento. O trabalho nestas circunstancias tem como principal objetivo analisar os indicadores e os instrumentos e desta forma entender as condições e as mudanças que podem acontecer em um ambiente. A utilização de indicadores tem por finalidade então reunir e quantificar informações de um modo que sua importância se destaque, simplificando informações sobre fenômenos complexos tentando melhorar com isso o processo de comunicação. Dessa forma, o presente trabalho é desenvolvido sobre uma metodologia qualitativa de caráter a expor a relevância da gestão sustentável buscando avaliar a importância da consideração de indicadores no provimento de informações e desenvolvimento de forma sustentável e com isso levando em consideração para estudo sobre uma paisagem por meio de indicadores ambientais, realizado sobre uma análise de outros fatores como: solo, relevo e enchentes, bem como, lugares com incidência a ter inundações, e então considerar a paisagem de forma amplamente para que seja considerado todos os fatores. Sabe-se que a humanidade nessa última década vem buscando analisar as necessidades acerca de questões ambientais, para que se possa obter um resultado exitoso no que se refere um ambiente equilibrado e é nesse sentido que à analise investigativa sobre o planejamento urbano ambiental surge como uma ferramenta muito importante capaz de prover informações e desenvolvimento de forma sustentável. E sobre esses efeitos também devem ser encarados como sendo ferramentas importantes que possibilitam o fornecimento de informações confiáveis de forma concisa e simplificada já que estes indicadores são estatísticas seletas que imprimem ou sintetizam alguns aspectos do estado do meio ambiente, dos recursos naturais e de atividades humanas relacionadas. Uma outra perspectiva que deve ser analisada em circunstancias semelhantes é o histórico ambiental do meio para que com isso possa ser feita uma análise antrópica. E dessa maneira possibilitando o melhor entendimento sobre os impactos sofridos por este. Com isso o presente trabalho demostra uma reflexão a respeito da importância de planejar sobre a ação de indicadores e instrumentos econômicos e de planejamento, sendo estes extremamente eficientes na formulação de políticas públicas capazes de melhor orientar de forma mais transparente a priorização de recursos e ações de políticas ambientais, fundamentalmente tão importantes para o meio ambiente e sociedade em geral.

Autor : LOURDES RAYLA NASCIMENTO ANDRADE

Modalidade : AT 13 - Avaliação de Impacto Ambiental no Semiárido

Sala : PO - AT 13     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 14/12/2018     Hora inicio : 15:00:00     Hora Fim : 17:00:00

Resumo:1. Introdução A Indústria do petróleo apresenta vários fatores podem agredir o meio ambiente, no que se diz respeito à produção, o fator mais relevante é a água de produção juntamente com o petróleo, devido o seu grande volume na produção. A água de produção contém geralmente alta salinidade, minerais, óleos, sólidos e gases dissolvidos e dispersos, produtos químicos e alguns metais pesados que possivelmente estão associados aos sulfetos. A resolução CONAMA 357 (Conselho Nacional de Meio- Ambiente) Nº 357, de 17 de março de 2005, estabelece os limites das concentrações de águas contaminadas para descarte; no caso dos sulfetos, essa concentração não deve ultrapassar 0,3 ppm. 2. Objetivos Analisar a utilização de três diferentes aminas comerciais para remoção do enxofre da água de produção, e também as quantidades mais apropriadas para evitar a contaminação que pode ser causada pelo enxofre respeitando o limite estabelecido pela CONAMA 357 das águas dos poços do pólo petroquímico GUAMARÉ. 3. Metodologia As aminas foram solubilizadas em querosene de aviação (QAV), e misturadas às amostras de a água produzida (AP). A primeira etapa foi medir a concentração de entrada na amostra bruta de sulfeto da AP em espectrofotômetro. A razão de QAV para AP utilizada foi 1/3, sendo 62,5mL de QAV e 187,5mL de AP, totalizando 250mL. As concentrações de cada uma das três aminas comerciais utilizadas (Duomeen O, Arcuad 2c-75 e Duomeen T), variou em 25%; 50%; 75%; 100% e 125% em relação ao volume de QAV na solução. A quantidade de QAV foi medida em proveta de 100mL, a AP medida em proveta de 250mL e a porcentagem de amina foi medida com pipeta e inserida no volume de QAV. O QAV e a amina foram homogeneizados em agitador magnético. Posteriormente, a AP foi misturada com o solvente em funil de separação de 500mL, levemente agitado para evitar perda de sulfeto. 4. Resultados e Discussões Inicialmente foram medidos todos os parâmetros físico químicos da água bruta em bancada, na primeira analise percebeu-se uma alta salinidade, indicada pela alta condutividade e pela densidade da AP, e a alta turbidez indicou a presença de sólidos na AP, interferindo na sua transparência. Posteriormente à etapa de contato de cada amina com a água de produção, as mesmas medidas realizadas na água bruta foram realizadas na água de saída para comparação. Os resultados demonstraram que a amina Duomeen O removeu 81,68% do sulfeto e a turbidez apresentada foi de 38,5 NTU, já a amina Duomeen C removeu 26,21% com valor de turbidez de 294 NTU. Além disso, a Amina Arcuad 2C-75 causou remoção de 71% na amostra de concentração 0,25 (Arcuad/QAV), para as demais quantidades, a solução precipitou e não foi possível a obtenção de resultados. 5. Considerações Finais As pesquisas foram satisfatórias como também os resultados obtidos já que a equipe conseguiu unir ao máximo as informações necessárias para a análise comparativa dos resultados com as normas do CONAMA e sobre a contaminação das águas de produção por enxofre. Outra contribuição da pesquisa foi o aprendizado das técnicas de segurança laboratoriais, manuseio e função de cada vidraria e equipamento utilizados nos métodos laboratoriais para as análises do Ph e da densidade. Ao comparar com as especificações da legislação vigente, a equipe adquiriu conhecimento técnico e àquele pertinente à sua função como cidadão, unindo contribuição social e tecnológica.

Autor : GIULLIANA KARINE GABRIEL CUNHA

Modalidade : AT 13 - Avaliação de Impacto Ambiental no Semiárido

Sala : PO - AT 13     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 14/12/2018     Hora inicio : 15:00:00     Hora Fim : 17:00:00

Resumo:1. Introdução Atividade mineradora altera a paisagem natural, provoca mudanças no ambiente contribuindo para a degradação ambiental. A disposição irregular das pilhas de rejeito causa impactos negativos ao ambiente funcionado como fonte de contaminação por metais pesados. A contaminação do solo a partir dessa atividade não se limita apenas a área da mineração, pode ser particionada e transportada a outros componentes da bacia hidrográfica e áreas circunvizinhas (PETTA et al., 2014). Tornando a problemática mais agravante, a região semiárida apresenta características singulares que a torna suscetível a degradação, intensificando os processos erosivos (OLIVEIRA et al., 2009). 2. Objetivos Objetivo deste estudo é analisar os teores disponíveis de Níquel e Cádmio no solo de uma mina de extração de Scheelita no semiárido potiguar. 3. Metodologia Para a realização deste estudo foram realizadas coletas de solo em diferentes áreas mineradas numa mina de scheelita, localizada no município de Currais Novos, no estado do Rio Grande do Norte. As amostras foram armazenadas e transportadas para as análises laboratoriais. Os teores disponíveis de Níquel e Cádmio foram extraídos do solo utilizando-se o extrator Mehlich-1 (EMBRAPA, 1999) e a leitura foi realizada em absorção atômica de chamas. As amostras de cada área foram submetidas a análise estatística descritiva. Na avaliação de contaminação do solo foi utilizada para o Rio Grande do Norte os Valores de Referência de Qualidade (VRQs) proposto por Preston et al. (2014), a Resolução CONAMA nº 420/2009 para os Valores de Prevenção (VPs) para classificação da qualidade do solo (BRASIL, 2009), e uma área sob mata nativa como referência de qualidade da área. 4. Resultados A pilha de rejeito formado por material ferroso, proveniente da etapa de ustulação durante beneficiamento da scheelita, obteve os maiores valores de Níquel e Cádmio disponível. Nas áreas de rejeito com revegetação e mata nativa, o teor disponível de Cádmio foi abaixo do limite de detecção, e o Níquel apresentou valores baixos. Na pilha de material ferroso, Cádmio ultrapassou o VRQ, enquanto o Níquel ultrapassou também o VP (BRASIL, 2009). Esses metais têm a capacidade de biacumulação ao longo da cadeia trófica, sendo maléfico aos seres vivos (ACOSTA et al., 2011). Apesar do teor total dos metais pesados não ter sido analisado, o teor disponível na pilha de ferro foi acima do VRQ, indicando contaminação do solo, visto que a fração disponível faz parte da fração total. 5. Considerações finais A disposição irregular da pilha de rejeito provoca alteração da qualidade do solo e acréscimo dos teores disponíveis de Níquel e Cádmio, ultrapassando os Valores de Referência de Qualidade do solo do estado do Rio Grande do Norte, o que pode resultar um risco a saúde pública. Dessa forma, é necessário um plano de gestão e recuperação de áreas degradadas para contenção e disposição final da pilha de rejeito evitando sua dispersão para áreas vizinhas.

Autor : ISABELLA BRITO MOITAS

Modalidade : AT 13 - Avaliação de Impacto Ambiental no Semiárido

Sala : PO - AT 13     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 14/12/2018     Hora inicio : 15:00:00     Hora Fim : 17:00:00

Resumo:De acordo com RESOLUÇÃO CONAMA nº 358 de 2005, em seu artigo 1°, enquadram-se nos parâmetros estabelecidos para Resíduos Sólidos de Serviços de Saúde (RSSS), todos aqueles referentes a atividades relacionadas com o atendimento à saúde humana ou animal. Neste artigo, é apresentado o estudo de caso a respeito do controle ambiental de resíduos sólidos de serviços de saúde em uma maternidade pública “X”, localizada na cidade de Natal, no bairro de Tirol, no Rio Grande do Norte. O presente trabalho expõe e analisa o gerenciamento dos resíduos hospitalares no estabelecimento escolhido, desde sua geração, bem como seu acondicionamento, transporte interno e coleta, além do comportamento dos funcionários locais acerca de questões ambientais e seu conhecimento legal a respeito do tema. As análises foram feitas com base em informações colhidas durante visitas técnicas realizadas ao local estudado, por meio de entrevistas locais e registros visuais, e comparando-os aos parâmetros legais utilizados como base para o artigo, bem como sua classificação para RSSS e o descarte adequado do tipo específico de resíduo em questão, em face dos riscos toxicológicos e patológicos que este representa em razão de seu gerenciamento inadequado. A análise crítica e ambiental da maternidade em relação ao gerenciamento dos Resíduos Sólidos de Serviços de Saúde, com entrevistas direcionadas aos pacientes, teve finalidade de fazer um comparativo com a legislação e implicou o recolhimento de informações necessárias para a elaboração do diagnóstico socioambiental, incluindo uma vistoria às instalações da maternidade, com a finalidade de qualificar os acondicionadores, o transporte interno e a destinação parcial dentro do local avaliado. Com base nos dados adquiridos mediante as etapas realizadas para a construção da pesquisa, foram obtidos resultados significativos e de caráter favorável na maioria dos aspectos levados em conta para o referido estudo de caso da maternidade. No entanto, os dados obtidos por meio de uma entrevista aplicada a certa parcela de pacientes abordados in loco, evidenciaram algumas respostas negativas, principalmente à maneira como ocorre o descarte, referentes à opiniões de 27% dos entrevistados no grupo participante; assim como uma resposta inadequada à importância e ao conhecimento legal da disposição dos resíduos sólidos por parte destes, que integram o grupo, sendo constituído por funcionários em 50% das respostas. Assim, concluiu-se que os resultados foram satisfatórios em parte, todavia, alguns resultados apontam para correção moderada de conduta no local e a elaboração de planejamento quanto ao controle interno dos resíduos gerados por meio da criação do Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos (PGRS), pois os perigos relacionados ao cenário descrito potencializam-se para recém nascidos e mulheres gestantes ou cirurgiadas, em virtude de maior vulnerabilidade e suscetibilidade à contração de infecções hospitalares e doenças causadas por microorganismos presentes nos resíduos infecciosos (FORMAGGIA, 1995).

Autor : INGREDY NATALY FERNANDES ARAUJO

Modalidade : AT 13 - Avaliação de Impacto Ambiental no Semiárido

Sala : PO - AT 13     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 14/12/2018     Hora inicio : 15:00:00     Hora Fim : 17:00:00

Resumo:1. Introdução A substituição da vegetação nativa por atividades antrópicas como urbanização, pecuária e agricultura modifica a paisagem e altera a qualidade do solo (ISLAM; WEIL, 2000; BÜNEMANN et al., 2018). A ocupação de zonas ripárias de mananciais, instituídas Áreas de Preservação Permanente (BRASIL, 2012), prática comum no semiárido brasileiro, contribui também para a diminuição da qualidade dos recursos hídricos (NGUYEN et al., 2017). No semiárido, essa problemática é intensificada por ser naturalmente vulnerável (CREPANI et al., 2001). O geoprocessamento é uma importante ferramenta para análise dos padrões e mudanças no uso e ocupação do solo (SCHARSICH et al., 2017). 2. Objetivo O objetivo deste trabalho é analisar o uso e ocupação do solo existente da zona ripária do reservatório Armando Ribeiro Gonçalves, avaliando os possíveis efeitos desses usos sobre a qualidade ambiental da região e a necessidade de um planejamento territorial sustentável. 3. Metodologia A área em estudo é a zona ripária do reservatório Armando Ribeiro Gonçalves, pertencente à bacia hidrográfica do rio Piancó-Piranhas-Açu, no Rio Grande do Norte, Brasil. A zona ripária foi adotada como uma faixa de 100 metros no entorno do manancial (BRASIL, 2012). Inserida no semiárido nordestino, a área é classificada como susceptível a desertificação (MMA, 2007). O tipo climático da região é o BSh (KOTTEK et al., 2006) e bioma predominante é caatinga. Foi realizado reconhecimento de campo na área de estudo para auxiliar na identificação das classes de uso e ocupação do solo existentes. Foi feita uma classificação supervisionada de imagens do satélite Landsat 8, capturadas em julho de 2018, disponibilizadas pelo United States Geological Survey. Para o processo de classificação foi utilizado o complemento Semi-Automatic Classification Plugin, no software QGIS, obtendo-se o mapa temático de uso e ocupação solo e as respectivas áreas ocupadas. 4. Resultados O mapa gerado permitiu a identificação espacial das principais classes de uso e ocupação do solo existentes na zona ripária do reservatório: caatinga, solo exposto, gramínea e urbanização. Essa área abrange aproximadamente 153 km2, ocupados predominantemente por caatinga, cerca de 70% da área, sendo a maior parte espécies arbustivas ou espaçadas. Isso promove uma baixa cobertura do solo, possibilitando a utilização dessas áreas por pecuária, prática observada em campo e em estudos realizados no semiárido potiguar (FERREIRA, 2015; MEDEIROS, 2016; OLIVEIRA, 2012). O solo exposto, onde se desenvolve a pecuária extensiva, ocorre em 15% da área, apresenta alta susceptibilidade à erosão (MELO et al., 2008). Aproximadamente 14% do território apresenta gramíneas, em algumas áreas correspondentes à cultivos agrícolas, em outras ocorre naturalmente. Também foi identificado a presença de ocupação residencial na zona ripária, ocupando uma área inferir à 1% do total, entretanto com alto potencial de degradação (ZHU et al., 2012). 5. Considerações finais Este estudo permitiu identificar que o uso e ocupação do solo na zona ripária do reservatório Armando Ribeiro Gonçalves provocou alterações na paisagem, possibilitando o aumento dos processos de degradação ambiental existentes. Apesar da maior parte da zona ripária ser ocupada por vegetação nativa, essa área está sofrendo os efeitos das atividades antrópicas realizadas na região, fazendo com que o solo seja uma fonte potencial de poluição difusa para o reservatório. Logo, é necessário que haja um planejamento sustentável e uma gestão eficiente relacionada às questões ambientais.

Autor : JÉSSICA RAYANE CAVALCANTE DO NASCIMENTO

Modalidade : AT 13 - Avaliação de Impacto Ambiental no Semiárido

Sala : PO - AT 13     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 14/12/2018     Hora inicio : 15:00:00     Hora Fim : 17:00:00

Resumo:O crescimento do setor têxtil nos dias atuais pode ocasionar impactos negativos ao meio ambiente (Revista EXAME, 2017). Esses impactos são acarretados desde o plantio do algodão, pelo do uso de fertilizantes e pesticidas, até a fabricação dos produtos, mediante ao mau uso e a má destinação dos efluentes e dos resíduos sólidos (Toniollo et al, 2015). O presente artigo traz um estudo e análise das atitudes ambientais de uma empresa têxtil, situada em Macaíba/RN, cujos resíduos, comparando-se às normas vigentes da NBR 10.004/2004, são categorizados na classe II A (não inertes, inflamáveis, biodegradáveis ou solúveis em água) sendo, assim, potenciais para reutilização. Nesse sentido, uma pesquisa bibliográfica introdutória foi feita (GIL, 2008), tanto através de artigos, quanto por revistas, teses e dissertações. Após essa etapa, houve contínuas visitas de campo à empresa para registros do funcionamento e resíduos gerados, além da entrevista ao gestor da indústria têxtil. Na entrevista, o foco foi: o funcionamento da indústria, principais reagentes e materiais utilizados, o processo e tipos de resíduos produzidos. Por fim, foram feitas as avaliações pertinentes quanto ao processo e aos resíduos gerados desta, relacionando os impactos ambientais, sociais e a importância das miniempresas para população da região. Ao longo do processo produtivo da indústria, foi constatada a geração de resíduos sólidos em quantidades moderadas, dentre os quais, as sobras de fios, caixas de papelão, fardos plásticos e filmes plásticos termoencolhíveis ocorrem em maior volume. A quantidade de resíduos sólidos produzidos tem conexão com a dimensão do consumo de matéria-prima, cerca de 3% do total (aproximadamente 400 quilogramas por ano, em relação á cerca de 13,7 toneladas anuais totais) (Figura 01). Dessa maneira, a etapa com maior potencial de perda está no próprio beneficiamento, onde sobram pedaços de fios e barbantes, que podem ser reutilizados e inseridos na produção, por intermédio do setor de abertura, de acordo com o Guia técnico ambiental da indústria têxtil, realizado pela Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais e, no ano de 2016. É valido ressaltar, que a partir de questionário aplicado ao dono da empresa, é notório o empenho e interesse do gestor pela questão ambiental, o que possibilita a mudança e melhora da produção em comunhão com o meio ambiente. Diante do exposto, a partir dos diagnósticos efetuados, concluiu-se que os resíduos provenientes da empresa não são de difícil manejo, portanto, não constituem uma complexidade química que impeça a reutilização e a reciclagem. A grande questão a ser solucionada no estudo é a organização voltada para os resíduos gerados. Sendo assim, é fundamental o investimento na educação ambiental, bem como a elaboração de um plano gestor desses resíduos sólidos, desde a chegada da matéria prima, até o destino final dos produtos ao consumidor. Assim, o estudo foi satisfatório, atendendo aos objetivos iniciais planejados, obtendo-se resultados pertinentes e concluindo-se que se houver contínua educação ambiental, em diferentes esferas, pode-se obter menores impactos ambientais.

Autor : LÍLIAN KAREN LOPES DE PAIVA

Modalidade : AT 13 - Avaliação de Impacto Ambiental no Semiárido

Sala : PO - AT 13     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 14/12/2018     Hora inicio : 15:00:00     Hora Fim : 17:00:00

Resumo:A sociedade moderna fez nascer um novo estilo de vida, que acabou por gerar uma sociedade hiperconsumista, principalmente com a globalização, pois quanto maior e mais integrada a sociedade, mais produtos ela consome (Ruscheinsky,2010). A implementação desse estilo de vida, voltada para o consumo, direciona a satisfação pessoal apenas para a compra de bens, gerando uma “espécie de felicidade inalcançável” (Karnal, 2016), onde o ato de consumir está intrinsecamente ligado a “felicidade”, e quanto mais se consome maior a necessidade de consumir para alcançar a almejada “felicidade”. Este trabalho foi pautado sob a perspectiva de retratar as relações entre consumismo e meio ambiente. Levando em conta que desde a Revolução Industrial do século de XVIII a produção de bens e a possibilidade de adquirir produtos cresce, buscou-se identificar como o consumismo afeta o meio ambiente e a sociedade como um todo e como isso é visto diante do Direito Ambiental. O trabalho foi realizado através de pesquisas bibliográficas em sites e livros sobre o assunto, esta busca foi exploratória e descritiva, direcionada a adultos e aos jovens (faixa etária entre 18 e 30 anos), a partir de questionários online, para avaliação do tipo de consumo e seu impacto urbano: ambiental, social, econômico. Em seguida, os questionários tiveram suas respostas avaliadas, e, a partir destes, foram confeccionados gráficos em pizza, barras e colunas para melhor visualização das respostas que forneceram uma amostragem representativa sobre o objeto de estudo. Destes, apesar de aproximadamente 37% dos voluntários afirmar consumir apenas o necessário, quase 38% responderam que se tivessem maior poder de compra assim o fariam, entretanto em questões como o descarte final correto e processo de produção menos da metade dos entrevistados se preocupa ou sabe como isto acontece; 66,3% responderam apenas consumir sem se preocupar com os impactos ambientais gerados e 50,5% não sabem responder quais são estes impactos. A partir desse estudo, pôde-se obter as percepções de algumas pessoas sobre consumismo e meio ambiente, e, apesar de, a maioria não se considerar consumista necessariamente, menos da metade dos entrevistados adotou posições favoráveis a preservação de recursos naturais quanto ao consumo e descarte de bens, mesmo antes de adquiridos. O estudo foi bastante satisfatório do ponto de vista acadêmico, social, ambiental e estatístico, constatando-se que mesmo com uma maior preocupação ambiental da geração atual, sua conservação, por vezes, não age corretamente diante do consumismo desenfreado da sociedade na qual se vive. Concluiu-se ainda que este consumismo e seus impactos ambientais estão altamente ligados pelo incentivo cada vez maior de um consumo pela globalização, avanço das tecnologias eletrônicas e a necessidade de um aumento da conscientização e sensibilização através de campanhas, palestras e esclarecimento constante sobre excesso de consumismo, impactos ambientais e necessidade de ações que favoreçam à sustentabilidade à sociedade.

Autor : INGREDY NATALY FERNANDES ARAUJO

Modalidade : AT 13 - Avaliação de Impacto Ambiental no Semiárido

Sala : PO - AT 13     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 14/12/2018     Hora inicio : 15:00:00     Hora Fim : 17:00:00

Resumo:1. Introdução A degradação do solo é um problema de importância global (FOLEY et al., 2005; HIGGINBOTTOM; SYMEONAKIS, 2014), principalmente em regiões susceptíveis à desertificação, como é o semiárido brasileiro (MMA, 2007), onde predomina a caatinga. A cobertura vegetal é responsável pela manutenção dos recursos naturais, participa do ciclo da água e protege o solo. Sua distribuição e densidade definem o estado de conservação do ambiente (MELO; SALES; OLIVEIRA, 2011). Assim, a utilização de imagens de satélite para análise da cobertura vegetal permite o monitoramento dos impactos causados por atividades antrópicas, subsidiando tomadas de decisões socioambientais (RODRIGUES et al., 2009; WENG, 2010). 2. Objetivo O objetivo deste estudo é analisar a influência da cobertura vegetal sobre o risco de erosão que contribui para o processo de degradação ambiental do Médio Piranhas Potiguar. Visto que o conhecimento sobre as características ambientais da região é imprescindível no processo de planejamento e gestão sustentável do uso e ocupação do solo e na possível elaboração de projetos de recuperação de áreas degradadas. 3. Metodologia A área de estudo é a Unidade de Planejamento Hidrológico Médio Piranhas Potiguar, pertencente a bacia hidrográfica do rio Piancó-Piranhas-Açú, localizada no Rio Grande do Norte, Brasil. Inserida no semiárido, o tipo climático é o BSh (KOTTEK et al., 2006). A estimativa da cobertura vegetal foi realizada no software Qgis, utilizando-se o índice de vegetação ajustado ao solo (SAVI), que considera os efeitos do solo exposto nas imagens analisadas, por isso é o mais utilizado na identificação de vegetação em regiões semiáridas e desertos (SILVA et al., 2015). Foram utilizadas imagens do satélite Landsat 8, capturadas em julho de 2018, disponibilizadas pelo United States Geological Survey. Foi realizada conversão geométrica e radiométrica das imagens. O SAVI foi obtido a partir das bandas do infravermelho próximo e do vermelho e o fator de ajuste do solo (L), para o qual foi atribuído o valor 0,5 (HUETE, 1988; OLIVEIRA et al., 2015). 4. Resultados O mapa do índice de vegetação ajustado ao solo possibilitou identificar espacialmente a classificação da fisionomia da cobertura vegetal do Médio Piranhas Potiguar. A maior parte do território apresenta solo exposto e baixa cobertura vegetal, com valores de SAVI que a classificam como vegetação com muito baixa atividade fotossintética (CERQUEIRA; SANTOS, 2017). A vegetação protege o solo contra o impacto das gotas de chuva, aumenta a porosidade e a permeabilidade do solo e reduz o escoamento superficial, diminuindo o risco de erosão (ALBUQUERQUE et al., 2002; KARLEN et al., 1997). Entretanto, na área de estudo, além da vegetação nativa ser escassa e rala, os solos existentes são jovens, rasos, com baixa atuação dos processos pedogenéticos, fazendo com que sejam susceptíveis à erosão (PEREIRA; DANTAS NETO, 2014). Dessa forma, é necessário um controle do uso e ocupação do solo nessas áreas que são naturalmente frágeis, evitando que a problemática seja agravada. 5. Considerações finais A baixa cobertura vegetal promovida pela Caatinga, aliada às demais características naturais da região, aumenta o risco de erosão no Médio Piranhas Potiguar, sendo necessário o monitoramento das atividades desenvolvidas na região e a implementação de políticas ambientais que preservem esse recurso, evitando que o processo de degradação ambiental existente seja intensificado.

Autor : LEONARDO DE FRANÇA ALMEIDA

Modalidade : AT 13 - Avaliação de Impacto Ambiental no Semiárido

Sala : PO - AT 13     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 14/12/2018     Hora inicio : 15:00:00     Hora Fim : 17:00:00

Resumo:Segundo o Código Florestal, em seu artigo 30, define-se como áreas protegidas, qualquer local, podendo ou não ser cobertas por mata nativa, que tem como função a preservação dos recursos hídricos, da paisagem, da estabilidade geológica e da biodiversidade, facilitando assim o fluxo gênico de fauna e flora, protegendo o solo e assegurando o bem-estar da população humana presente no local. O presente trabalho tem como objetivo mapear as áreas de preservação permanente (APP) que sofreram ocupação irregular por causa do crescimento urbanístico no município de Angicos, interior do Rio Grande do Norte, que ao longo dos tempos tem avançado com a ocupação desordenada e uso das mesmas. Para a realização do estudo, foi necessário o desenvolvimento de um mapeamento das áreas de preservação permanentes da região, para isso foram analisados os dados referentes à vegetação nativa do local e os recursos hídricos presentes no município, com o auxílio do software gratuito de sistema sig Qgis 2.18, onde no mesmo foi inserida uma poligonal georreferenciada dos limites do município obtidas com base no banco de dados do google Earth, em que sobre elas foram adicionados os dados referentes à vegetação e hidrologia da região, que posteriormente foram recortados com base nos limites municipais. Após este passo foram demarcadas as áreas de preservação permanente da cidade no mapa gerado e foram realizadas observações em loco para analisar com o intuito de observar as áreas ocupadas indevidamente na região. Então, a partir do cruzamento dos dados gerados e das observações feitas nos locais onde deveriam estar situada as áreas de preservação permanente foi possível observar um aumento significativo do número de ocupações realizadas nas mesmas, ocupações estas que foram ocorridas sem o mínimo planejamento prévio, e por esse motivo consideradas ameaças aos recursos ambientais ali presentes, causando destruição dessas áreas naturais, como: assoreamento, erosão do solo e contaminação do lençol freático, e consequentemente o desencadeamento de graves danos a fauna e flora, bem como a população local ali presente, em que seus ocupantes sofrem muitas vezes com a insalubridade do local, assim como os demais habitantes que são afetados diretamente e indiretamente pelos possíveis desastres naturais ocasionados ao longo dos tempos pelas mesmas. A maioria dessas ocupações são atingidas por problemas socioambientais, especifico da irregularidade como condições de salubridade e de habitabilidade impostas aos moradores que acabam por não ter opção a não ser ocupar áreas indevidas. Enfim, de acordo com os resultados obtidos é possível afirmar que a cidade de Angicos-RN possui um alto nível de ocupações irregular das áreas de preservação permanente, em que essa ação pode ocasionar danos as mesmas ou até mesmo a extinção, pois o crescimento urbanístico sobre essas áreas age em conjunto com a poluição e assoreamento do meio ambiente ali presente, prejudicando ambos os lados, natureza/população.

Autor : JÚLIA PIMENTA DOS SANTOS

Modalidade : AT 13 - Avaliação de Impacto Ambiental no Semiárido

Sala : PO - AT 13     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 14/12/2018     Hora inicio : 15:00:00     Hora Fim : 17:00:00

Resumo:Em plena evolução e modernização presente no decorrer das décadas do século vinte e com a chegada de uma urbanização em maior evidência em várias localidades no Brasil, o nível de atividade no âmbito da construção civil e, consequentemente, a geração de resíduos em sua diversidade a partir dela, vem crescendo a cada mudança e avanço do empreendedorismo nacional com o passar do tempo. Diante desta situação exposta, este artigo tem como meta objetivo a análise do papel de empresas norte-rio-grandense de descarte de resíduos sob a ótica legislativa brasileira. Porquanto, o estado do Rio Grande do Norte apresenta evidente diversidade de recursos minerais importantes para a construção civil, é mister que essas empresas atuem adequada e eticamente diante da proposta aqui assinalada e relativa ao controle ambiental correto dos resíduos da supracitada indústria. Para o embasamento teórico acerca do tema tratado, levar-se-á em consideração os trabalhos de estudiosos a exemplo de Petrucci (1998), Pfaltzgraff (2012) e Hagemann (2011), entre outros nomes.

Autor : ALICE DE SOUZA TOFFOLO

Modalidade : AT 13 - Avaliação de Impacto Ambiental no Semiárido

Sala : PO - AT 13     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 14/12/2018     Hora inicio : 15:00:00     Hora Fim : 17:00:00

Resumo:A produção da Cal é muito disseminada pelo mundo inteiro devido ao baixo custo de fabricação e as simples etapas do seu processo. Esta atividade possui um forte grau de poluição, uma vez que durante o processo químico que dará origem a Cal, há emissão de dióxido de carbono (CO2). Além das emissões de CO2, no processo químico da cal, a fase inicial envolve a lavra clandestina do minério e sua cominuição primária, para alimentação dos fornos. Paralelo a esses problemas, o desmatamento também ocorre nessas áreas devido a utilização de lenha como fonte energética. O objetivo principal do processamento de imagens é de caracterizar, em função das propriedades dos objetos ou padrões que compõem a imagem. Portanto, extrair informações de imagens envolve o reconhecimento de objetos ou padrões. A maior parte dessa atividade requer grande capacidade de cognição por parte do intérprete. De forma geral, o trabalho teve como objetivo realizar uma delimitação de uma área no município de Jandaíra-RN, e em seguida fazer uma quantificação do impacto ambiental na zona delimitada. Por meio do software ArcMap 10.5 foi utilizado o método de Processamento Digital de Imagens (PDI. Entende-se manipulação de uma imagem por computador de modo que a entrada e a saída do processo sejam imagens. O objetivo de se usar processamento digital de imagens é melhorar o aspecto visual de certas feições estruturais para o analista humano e fornecer outros subsídios para a sua interpretação, inclusive gerando produtos que possam ser posteriormente submetidos a outros processamentos (SPRING, 1996). As formas utilizadas durante as etapas foram; Retificação e Restauração de imagens, operações realizadas para minimizar as distorções de uma imagem. Realçamento de Imagens, procedimentos aplicados aos dados de uma imagem a fim de melhorar a qualidade. Classificação e Combinação de Dados estas duas últimas opções tem a finalidade de substituir a análise visual dos dados por técnicas quantitativas de analise automática, visando a identificação das regiões presentes na cena. A atividade das caieiras resulta em impactos por uma vasta área, não só para o meio biológico e físico. Essas consequências se tornam mais fortes devido ao manuseio arcaico que as empresas e trabalhadores utilizam para o beneficiamento da Cal, ocasionado pela falta de recursos financeiros ou humanos que acabam refletindo no meio ambiente, A partir de um mapeamento e delimitação da maior área impactada, com base no software ArcMap 10.5, e utilizando as composições das bandas coloridas RGB (4,3,2) e infravermelho (8,4,3) do satélite Sentinel-2, foi possível descriminar tal área no oeste do município de Jandaíra-RN, que sofrem impactos ambientais causados pelo trabalho das caieiras que apesar de inativas, deixam registrado na paisagem sua extensão de influência por meio de manchas brancas . Os resultados dessa pesquisa mostram que os problemas acerca do trabalho das caieiras no município de Jandaíra-RN, estão causando danos irreversíveis à natureza, desde o desmatamento para conseguir a lenha que alimenta os fornos das caieiras até a dispersão do material particulado pela vegetação. Infelizmente por essa atividade ser uma das principais fontes de renda de boa parte dos moradores desse município, e pela falta de conhecimento deles sobre esse problema, é perceptível que é necessário a intervenção nesse tipo de atividade.

Autor : JÉSSICA FREIRE GONÇALVES DE MELO

Modalidade : AT 13 - Avaliação de Impacto Ambiental no Semiárido

Sala : PO - AT 13     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 14/12/2018     Hora inicio : 15:00:00     Hora Fim : 17:00:00

Resumo:1. Introdução O uso antrópico do solo tem acelerado a erosão em todo o mundo (VALLE JUNIOR et al., 2014). A degradação do solo causada pela erosão não restringe ao solo, podendo atingir os demais componentes da bacia hidrográfica. De fato, vários estudos indicam que a erosão tem causado a diminuição da qualidade e disponibilidade hídrica (GUO et al., 2015). No semiárido, os impactos são maiores uma vez que a vulnerabilidade desses solos a erosão é elevada (CAMMERAAT et al., 2010). Assim, a investigação da qualidade do solo em bacias hidrográficas, principalmente, semiáridas é essencial para implementação de medidas de manejo sustentável. 2. Objetivos O presente estudo visa fazer um levantamento da produção científica sobre a influência do uso e ocupação do solo na degradação ambiental em bacias hidrográficas em regiões semiáridas por serem mais vulneráveis aos processos de degradação do solo causada por usos antrópicos. 3. Metodologia Para a realização dessa revisão utilizou-se como fonte de dados artigos científicos publicados entre 2008 a 2018, totalizando 1114 artigos analisado. Optou-se por busca de artigos no Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). A pesquisa foi feita utilizando os descritores: land use, quality e riparian. Destes artigos, foram selecionados 60 que estudaram o uso e ocupação do solo em bacias hidrográficas. Foi realizada outra seleção a fim de identificar quais desses estudos foram realizados em regiões semiáridas. 4. Resultados Ao analisar os resultados obtidos percebe-se que a temática do uso e ocupação do solo em bacias hidrográficas teve um crescente aumento nos últimos 10 anos. Destaque maior para os anos de 2016, 2017 e 2018. No ano de 2018, até o momento consta 13 publicações, o que representa 21,7% do total analisado, apresentando o maior número dentre os anos estudados. O uso do solo influencia as propriedades físico-químicas e de transmissão de água do solo (JHA; MOHAPATRA; DUBEY, 2010). Sendo essas propriedades necessárias para o estudo da influência do uso e ocupação do solo na qualidade ambiental das bacias hidrográficas. Porém, dos 60 artigos encontrados sobre a temática, apenas 16 analisaram a influência das atividades antrópicas nas propriedades do solo. A lacuna encontrada nesses estudos é maior em regiões naturalmente vulneráveis aos processos de degradação do solo, dentre desses 16 estudos, apenas 01 apresentou essa análise em região semiárida. 5. Considerações Finais É notório o crescente interesse da comunidade científica nos efeitos do uso e ocupação do solo na qualidade da água. Porém, ainda existem lacunas a serem preenchidas, no sentido de estudos que analisem a qualidade do solo sob os diferentes usos em bacias hidrográficas. É amplamente discutido a erosão para caracterizar o transporte de sedimentos e nutrientes aos corpos hídricos, porém o impacto do uso do solo nas suas propriedades não tem sido bem documentado (JHA; MOHAPATRA; DUBEY, 2010). Em regiões semiáridas encontra-se uma maior lacuna, sendo necessário o incentivo de estudos a fim de garantir manejo mais sustentável.

Autor : JÉSSICA FREIRE GONÇALVES DE MELO

Modalidade : AT 13 - Avaliação de Impacto Ambiental no Semiárido

Sala : PO - AT 13     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 14/12/2018     Hora inicio : 15:00:00     Hora Fim : 17:00:00

Resumo:1. Introdução O uso e ocupação do solo por atividades antrópicas ocorre mediante a supressão vegetal alterando as características naturais do solo (SCHARSICH et al., 2017). Em zonas ripárias semiáridas de reservatórios de abastecimento esse cenário é mais preocupante, uma vez que os solos são naturalmente vulneráveis a erosão. Nas zonas ripárias, a erosão contribui para o aporte de sedimentos e nutrientes nos reservatórios, implicando em perdas de qualidade da água. Nesse sentido, estudos que caracterizem o uso e ocupação do solo de forma espacial e temporal dessas regiões são indispensáveis para o desenvolvimento de políticas públicas sustentáveis (NERY et al., 2011). 2. Objetivos O objetivo desse estudo foi caracterizar o uso e ocupação do solo de forma espacial e temporal na zona ripária semiárida do reservatório de abastecimento Itans, através de ferramentas de geoprocessamento, a fim de identificar as características do uso e ocupação nas duas estações típicas de regiões semiáridas, período chuvoso e seco, proporcionando a elaboração de um planejamento sustentável para recuperação e preservação dessas áreas. 3. Metodologia O reservatório de abastecimento Itans está localizado no município de Caicó na região semiárida do estado do Rio Grande do Norte. Essa área apresenta clima BSh, caracterizado por um clima quente e árido (KOTTEK et al., 2006). A caatinga é o bioma presente nessa região. A delimitação de zona ripária nesse estudo foi de 100 metros no entorno do reservatório, faixa máxima de Área de Preservação Permanente (APP) para reservatórios artificiais de abastecimento (BRASIL, 2012). A delimitação dessa área foi feita com o auxílio do software Google Earth Pro. A classificação do uso e ocupação do solo foi feita no ARCGIS através da ferramenta de classificação supervisionada. As imagens utilizadas foram do LANDSAT 8, cedidas pela USGS (United Stades Geological Survey), capturadas nos anos de 2013 e 2018. A interpretação e identificação das feições foi auxiliada pelo uso do programa Google Earth Pro. 4. Resultados A elaboração do mapa temático permitiu a identificação das classes de ocupação na zona ripária e a mudança temporal em períodos de seca e cheia. A zona ripária apresentou uma área de 9,7 km². Nos períodos analisados, seca e cheia, a maior parte do uso e ocupação do solo foi por solo exposto. A área ocupada pelo reservatório diminuiu 22,8% entre os anos de 2013 a 2018. A vegetação apresentou um acréscimo de 13,3% e a ocupação urbana reduziu 2,3%. A caatinga apresentou a menor ocupação na zona ripária e praticamente não variou sua área entre os anos. A pecuária está englobada na classe de solo exposto, devido ser típico dessas regiões a pecuária extensiva e as áreas de agricultura estão englobadas na área de vegetação, implicando em grandes áreas com potencial de contribuição por poluição difusa, devido ao potencial de degradação dessas atividades (MEDEIROS, 2016; FERREIRA, 2015). 5. Considerações Finais • As atividades antrópicas desrespeitam as áreas de APP no entorno do reservatório de Itans. • A predominância de solos expostos na zona ripária aumenta a sua vulnerabilidade a erosão e o escoamento superficial, potencializando as atividades antrópicas das zonas ripárias, principalmente, agricultura e pecuária, de contribuírem com poluentes antropogênicos para os corpos hídricos. • A utilização de mapas para a análise de classes de uso do solo é primordial para o conhecimento da área estudada, além de ser essencial na elaboração de medidas de recuperação e preservação dessas áreas.

Autor : SUELTON RICHARD BARBOSA PAULO

Modalidade : AT 13 - Avaliação de Impacto Ambiental no Semiárido

Sala : PO - AT 13     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 14/12/2018     Hora inicio : 15:00:00     Hora Fim : 17:00:00

Resumo:1. Introdução Estudos preliminares realizados por pesquisadores da Universidade Federal do Rio Grande do Norte no Departamento de Engenharia Química, (Santana e Paulo, 2007) observaram a capacidade de complexação de alguns metais em efluentes de descarte a partir de componentes do óleo de coco. A utilização dos ácidos carboxílicos (com maior porcentagem de ácido láurico), de forma isolada, permite uma redução no volume da fase orgânica usada na extração e na separação realizada em novo equipamento de separação líquido-líquido denominado Misturador-Decantador à Inversão de Fases (MDIF) (CHIAVENATO, 1999). 2. Objetivos Objetivo do trabalho é a remoção de metais pesados da água produzida da indústria do petróleo, a partir de um equipamento semi-industrial Misturador Decantador à Inversão de Fases (MDIF). 3. Metodologia A água com concentração metálica é armazenada no tanque do aquoso e mantida sob agitação constante para manter total homogeneização. O ponto de coleta da amostra da água para análise situa-se na saída da água para a bomba do aquoso, em fluxo. O QAV, junto com uma porcentagem do ácido extraído é bombeado do vaso separador para a câmara de mistura através da bomba do orgânico. Observa-se que as fases são admitidas na câmara de mistura em co-corrente. Promove-se a agitação no sistema através do agitador com a finalidade de transferir os contaminantes da fase aquosa para o solvente Extratante+QAV. Ao chegar à base do MDIF, a água de saída não deve conter metal, que deve ter sido complexado e solubilizado na fase orgânica. Na câmara de separação, a gota transportadora atinge a interface orgânico/aquoso, onde coalesce. 4. Resultados Ao tratamento da água realizado pelo equipamento MDIF ( Variando –se quantidade de extratante, relação orgânico aquoso e vazões), amostras de 500mL eram coletadas na saída do equipamento para realização das mesmas análises da água bruta para avaliação da remoção de petróleo, metais pesados e mudanças nos parâmetros pH, condutividade elétrica, turbidez, Teor de óleos e graxas (TOG) e análise de concentração de metais em equipamento ICP-OES. As condições operacionais para os testes 1, 28 e 18, 27 e 31 apresentaram os melhores resultados de eficiência de separação simultânea. Nesses testes, foram observados que houve uma agitação de média a alta (700 – 1100rpm), concentração de extratante alta (0,7 em sua maioria), vazões de média a alta (57 – 71L/h) e as relações O/A (1/3, na sua maioria). 5. Considerações Finais As melhores porcentagens de eficiência de extração obtidas foram 96,9 % para Cd, 82,2% para Pb, 56,4% para Ni para uma rotação de 700rpm. Na melhor condição de separação, os metais apresentaram na saída: Cd 0,0077ppm; Pb 0,0285ppm; Ni 0,0105ppm de concentração. Todas as concentrações estão dentro dos limites estabelecidos pelo CONAMA (Resolução n. 357) e o fato das concentrações iniciais dos metais estarem dentro destes limites pode ser a sazonalidade para as águas residuais de Guamaré, que variam muito e, em determinados períodos, mostram concentrações bem acima dos limites estabelecidos.

I CONGRESSO NACIONAL DA DIVERSIDADE DO SEMIÁRIDO

Semiárido brasileiro: diversidade, tendências, tensões e perspectivas