Autor : LÍDIA GABRIELA RODRIGUES DE SOUZA

Modalidade : AT 15 - Ambientes Costeiros no Semiárido Brasileiro

Sala : PO - AT 15     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 14/12/2018     Hora inicio : 15:00:00     Hora Fim : 17:00:00

Resumo:O município de Macau/RN está localizado na Mesorregião Central Potiguar e no Polo Costa Branca, pertencente ao litoral setentrional do Rio Grande do Norte (RN) e está inserido no bioma caatinga. Possui uma área territorial de 788 km², está localizada a 180 km da capital do estado, Natal/RN e é um dos maiores produtores de sal do Brasil (Prefeitura de Macau, 2018). Seu clima é caracterizado como quente e semiárido, com precipitação pluviométrica anual média de aproximadamente 471,61 mm, tendo o período chuvoso entre março e maio, possuindo temperaturas médias anuais de 27°C, máxima de 32°C e mínima de 23°C, conforme tratamento de dados (2006 a 2018) do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET). As chuvas do RN estão submetidas principalmente ao deslocamento da Zona de Convergência Intertropical (ZCIT), dada a localização de Macau está muito próxima a faixa equatorial, que possui características de alto aquecimento e intensa radiação solar, e ser receptor de ventos alísios de sudeste e nordeste, pela própria convergência do cavado equatorial, porém a ascensão desses ventos provoca resfriamento em níveis mais altos, condensando nuvens e gerando precipitação. Neste sentido, o objetivo deste trabalho foi avaliar as características de temperatura e precipitação no município de Macau com os dados da estação automática do INMET (Latitude: -5.151035º, Longitude: -36.573142º e Altitude: 17 metros), para o período de 2006 a 2018 inicialmente, uma vez que ao longo do trabalho será delimitado outros recortes temporais de séries históricas mais longas, para inferir resultados com maior confiabilidade e menor variabilidade. Estes resultados é parte preliminar de um projeto de Iniciação Científica, que se propõe a avaliar as projeções de precipitação e outras componentes do balanço hídrico sobre o RN no experimento RCP 6.0 do AR5/IPCC. Inicialmente os dados foram tratados, afim de observar a sazonalidade e dispersão da precipitação para o período já apontado, confirmando que suas médias mais elevadas estão entre março e maio, variando entre 81mm a 123mm nesse período, com precipitação mínima 0mm e máxima de 123,91mm em valores médio, para esse conjunto de dados, já os dados de temperatura nota-se que as máximas e mínimas não possui alto grau de variação, sendo as mínimas em torno de 22ºC e as máximas de 33ºC, o que nos leva a mais uma característica de semiárido que possui dias quentes e noites mais frias. Ainda reforçando sobre ser um dos maiores produtores de sal do Brasil, dada a sua temperatura ser constante, com baixa variabilidade e índice pluviométrico típico de semiárido, ainda apresenta elevada evaporação e umidade relativa baixa, com intensa radiação solar. Com solos mais impermeabilizados gerando ainda mais condições ideais para o processo de cristalização e produção do sal. Assim, busca-se entender os recursos ambientais do semiárido e ajudar na compreensão do seu uso, favorecendo uma convivência mais harmoniosa com a região do semiárido e a caatinga, visualizando as potencialidades e limitações, favorecendo o desenvolvimento regional.

I CONGRESSO NACIONAL DA DIVERSIDADE DO SEMIÁRIDO

Semiárido brasileiro: diversidade, tendências, tensões e perspectivas