Autor : MARIA LUÍZA COELHO CAVALCANTI

Modalidade : AT 08 - Tecnologias e inovações sociais no Semiárido

Sala : SALA 05 - AT 08/ AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 12/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:Em um país com grande carência de geoinformações adequadas para a tomada de decisões sobre problemas rurais e ambientais, o geoprocessamento é uma ótima ferramenta para órgãos privados e públicos planejarem suas ações. Esse artigo apresenta uma abordagem no município de Paudalho – PE sobre o Cadastro Ambiental Rural (CAR) e a importância de um mapeamento de qualidade quando se busca a regularização ambiental rural, tendo como ferramenta aliada o geoprocessamento e suas tecnologias.

Autor : ELIZIANA VIEIRA SARAIVA

Modalidade : AT 08 - Tecnologias e inovações sociais no Semiárido

Sala : SALA 05 - AT 08/ AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 12/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:Ainda hoje é comum à ideia do semiárido veiculado a um lugar seco onde a fome e a falta d’água são características preponderantes, mas, o conhecimento geográfico nos mostra que não é assim. Ao invés de ver no clima semiárido um mal a se combater na busca da sobrevivência, trata-se de aliar os conhecimentos para construir alternativas para uma convivência harmoniosa com o nosso clima, como as técnicas e tecnologias desenvolvidas no assentamento Santo Antônio localizado em Cajazeiras- PB e no Assentamento Acauã, localizado em Aparecida-PB, nossas áreas de estudo. Nesse contexto, a seca não é a grande vilã, e a agricultura familiar inserida no contexto do semiárido, tem um papel protagonista de ajudar a construir alternativas sustentáveis para a região. Consonante a isto, este trabalho intitulado: “A falência da lógica do combate a seca e a emergência da lógica da convivência com o semiárido” é resultado de um estudo de campo realizado nos Assentamentos citados acima, proporcionado à turma de graduandos em Geografia pela Universidade Federal de Campina Grande, Campus Cajazeiras PB, através do incentivo do Professor Josias Galvão da disciplina de Geografia Agrária. Buscamos trazer à discussão os estereótipos dados ao Semiárido Nordestino, assim como o debate “Sobrevivência versus Convivência” e o papel da educação e da Geografia nesse processo. Têm-se como objetivos: Romper com a lógica do combate a seca e reconhecer a emergência da lógica da convivência com semiárido através do estudo das técnicas e tecnologias desenvolvidas nos Assentamentos; identificar quais e como funcionam as tecnologias utilizadas pelos produtores; e Aproximar-se da realidade dos sujeitos do nosso objeto de estudo da Geografia e do Agrário. Foram utilizadas fontes bibliográficas que tratam do Agrário, das reformas, dos assentamentos, de sistemas produtivos e materiais como câmera fotográfica e caderno de anotações. Os resultados apontam para uma mudança positiva de concepção, ampliação da visão de mundo, construção de um conhecimento crítico e reconhecimento da importância das tecnologias usadas pelos produtores assentados. Ao fim, espera-se que este estudo sirva de base teórica para outros trabalhos que seguirem ou se aproximarem dessa linha de pesquisa.

Autor : GEDÁLIA DE SOUSA RAMOS

Modalidade : AT 08 - Tecnologias e inovações sociais no Semiárido

Sala : SALA 05 - AT 08/ AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 12/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:O presente artigo é resultante de um estudo acerca dos territórios de reforma agrária no Nordeste do Brasil, desenvolvido a partir de discussões em sala de aula e levantamento de dados, com a culminância na observação em campo das relações sociais e organização do espaço em dois assentamentos de reforma agrária da região intermediária Sousa-Cajazeiras, no estado da Paraíba. Os objetivos que fundamentam o trabalho partem da premissa de comprovação de relatos dos quais podem-se enfatizar: conhecer a história da luta pela terra narrada pelos moradores e através da materialidade do espaço ocupado; analisar as condições de vida que lhe são imputadas pelas autoridades governamentais locais de acordo com a presença ou ausência de serviços básicos; identificar técnicas e, tecnologias empregadas pelos assentados para o manejo do solo e os tipos de culturas desenvolvidas; avaliar os sistemas de captação, distribuição e usos da água; e estimar as atuais expectativas dos assentados acerca de urgentes políticas de reforma agrária no Brasil. Para a realização do trabalho, desde as aulas iniciais, fizemos o uso de abordagem indutiva, análise dialética e levantamento bibliográfico, o que possibilitou, doravante, a aproximação com os sujeitos em campo. Buscou-se assim, escutar as inquietações, a constatação das nuances que perfazem a vida dos assentados, as inúmeras lutas travadas desde o momento em que nasce um filho de um trabalhador sem-terra e, desde então, a guerra que precisam travar para sobreviver, conquistar uma propriedade e produzir em um pedaço de chão seco e árido. Para obtenção dos relatos de um maior número de assentados, no último assentamento visitado, foram divididos grupos dentre os estudantes e envolvidos presentes para a visita a domicílio das famílias locais. As visitas às famílias tiveram o intuito de coletar informações sobre os desdobramentos de suas trajetórias na luta camponesa e a forma como organizam suas atividades econômicas. Utilizamos como fonte bibliográfica autores que discursam sobre o agrário, o rural e o agrícola. O estudo proporcionou-nos examinar as estratégias de convivência com o semiárido, desenvolvidas pelas famílias assentadas, e aponta o sucesso das tecnologias usadas tanto na produção agrícola e de derivados, com ênfase para a produção orgânica, quanto no manejo e cuidado com o solo e a administração e distribuição do recurso que lhes é mais caro, a água. Diante da experiência, constatamos que o arranjo de cada um dos assentamentos, a tecnologia implantada para a convivência com o clima, a maneira como os assentados produzem, suas relações com a natureza e o compromisso de cuidar da terra mostram o quão valioso é o lugar, palco de lutas e conquistas. Suas histórias de vida remetem ao significado inteiro da palavra resistência e lhes conferem o título de heroicidade frente à conservação do meio ambiente.

Autor : RUAN OTAVIO TEIXEIRA

Modalidade : AT 08 - Tecnologias e inovações sociais no Semiárido

Sala : SALA 05 - AT 08/ AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 12/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:Nas últimas décadas as fontes energéticas provenientes de combustíveis fósseis dominaram o mercado sem que outras tecnologias alternativas de energias renováveis disputassem por mais espaço nesse mercado tão dominado pelas energias não renováveis. A partir de 1970, o mundo enfrentou problemas relacionados a questões energéticas, provocadas pela crise do petróleo e algumas tecnologias, neste cenário novas fontes de energia passam a ser utilizadas, como a energia solar produzida através de células fotovoltaicas, até então utilizadas em aplicações espaciais, passaram a ser viabilizadas economicamente para outras aplicações. Diante do contexto, o artigo tem como objetivo avaliar as áreas potenciais para instalação de placas fotovoltaicas através do dimensionamento do sistema de geração de energia solar capaz de atender a demanda do Campus, com cálculo do tempo de retorno do investimento para o sistema dimensionado no Campus I da Universidade Federal de Campina Grande – UFCG. Em função dos objetivos a metodologia da pesquisa foi traçada em etapas, compreendendo o estudo de consumo médio de energia no período de 12 meses, cálculo de índice de solaridade, eficiência do projeto, cálculo de número de placas e paybacak do investimento. Os dados técnicos demonstram que Campina Grande, PB possui irradiação solar média anual de 5,41 kWh/m².dia. O consumo de médio anual do campus central da UFCG corresponde a 412.300 KWh implicando em uma despesa de R$ 2.762412,00. Para o sistema dimensionado será necessário um total de 9.275 placas fotovoltaicas com 330 Watts distribuídas pelo campus. O custo de implantação do sistema varia no mercado de R$ 9.658.943,00 a R$ 11.590.731,60 e os gastos observados de despesa anual de energia do campus corresponde a R$ 2.762.412,00. Considerando esses valores o que o payback do sistema com placas fotovoltaicas será em 4,19 anos. Diante disso, os resultados demonstraram que o custo de implantação é caro, entretanto, os gastos anuais de consumo de energia da UFCG campus central também são bastante elevados. Pôde-se avaliar por meio do payback que o retorno do investimento ocorrerá em período curto prazo, entrono de 4,19 anos, quando comparado com a vida útil do sistema de aproximadamente 25 anos. Assim, diante dos fatos, pode-se afirmar que a tecnologia limpa, energia solar, vem ganhando espaço, principalmente, nas instituições de ensino que são responsáveis pela difusão de novas tecnologias com viés sustentável, como forma de exemplo para a sociedade. Além do mais, o estudo demonstra a viabilidade de projetos, considerando impactos diretos e indiretos, com a perspectiva de estar consumindo menos energia elétrica proveniente de termelétrica que contribui para emissão de gases de efeito estudo etc. ou hidrelétrica que são construções enormes que causam impactos negativos como inundação de diversas áreas, principalmente, ocupadas por comunidades ribeirinhas e/ou indígenas entre outras, como também da perda de biodiversidade.

Autor : GILBERTO THIAGO PEREIRA TAVARES

Modalidade : AT 08 - Tecnologias e inovações sociais no Semiárido

Sala : SALA 05 - AT 08/ AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 12/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:Busca-se na escolas públicas estaduais uma forma didática de trazer um ensino mais eficaz, nosso trabalho foi realizado na escola prefeito Iarandir de Aguiar onde se localiza o município de Monte Alegre no Estado do Rio Grande do Norte. Tendo em vista que a cidade está entre as 147 cidades presente ao semiárido potiguar. Venho por meio desse projeto trazer uma proposta pedagógica e tecnológica mais eficaz no ensino de ciências biológicas. Onde muito dos alunos não tem uma realidade financeira de estar conectado nas redes sociais para desenvolver trabalhos com o uso das tecnologias. Com isso utilizamos uma ferramenta prática e inovadora para melhor entendimento do período cretáceo e as suas eras onde trabalhamos uma pratica de ensino em que os alunos da cidade poderão ter uma experiencia com os recursos tecnológicos dos óculos 3D e a realidade virtual proporcionando uma aula dinâmica e interativa. Buscando com essa prática desenvolver métodos mais eficazes para o aprendizado e mostrando para todos os alunos quão importantes é o uso da tecnologia na escola, onde em muitos casos os alunos não conseguem ter uma pratica laboratorial com os professores, pois há uma dificuldade dos alunos no manuseio dos equipamentos para conseguir. E assim possibilitando uma abordagem mais completa do assunto e melhorando a compreensão da importância do estudo da paleontologia e zoologia.

Autor : TEREZA AMELIA LOPES CIZENANDO GUEDES ROCHA

Modalidade : AT 08 - Tecnologias e inovações sociais no Semiárido

Sala : SALA 05 - AT 08/ AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 12/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:A gestão dos resíduos sólidos orgânicos provenientes da agropecuária através da prática da compostagem tem sido apontada como fonte de benefícios socioeconômicos e ambientais, visto que esta é uma prática que atende a legislação brasileira nº 12.305/2010. Para aplicar essa lei com excelência, são necessárias ações que possibilitem o aproveitamento energético, principalmente na atividade agropecuária, que é geradora de uma parcela significativa dos resíduos orgânicos, e, ao mesmo tempo, é consumidora deste insumo, principalmente em áreas que praticam a agroecologia ou estão em transição agroecológica. Tendo em vista esses preceitos, o presente artigo teve como objetivo analisar a literatura, preferencialmente nacional, acerca do tema compostagem de resíduos orgânicos vegetais e animais no semiárido brasileiro, publicadas durante o período de 2010 a 2016, a fim de observar as lacunas e desafios com o intuito de trazer contribuições de pesquisa e aplicabilidade, nas esferas local e global. Justifica-se essa pesquisa devido a necessidade de atender a Política Nacional dos Resíduos Sólidos (PNRS), a grande quantidade de resíduos orgânicos produzidos pela agropecuária, a crescente demanda por uma agricultura de base ecológica e produtos livre de agroquímicos, a minimização do empirismo em observância as peculiaridades do semiárido brasileiro, a fim de buscar alternativas para o Desenvolvimento Sustentável (DS). A pesquisa se baseou em fundamentação da legislação brasileira no que tange os resíduos sólidos (Leis, ABNT NBR, Instrução Normativa), em verificação da técnica da compostagem em livros reconhecidos, e, principalmente, em buscas em revistas eletrônicas voltadas para questões ambientais e agropecuária, dissertações e teses de pesquisas com compostagem no semiárido brasileiro que utilizaram algum tipo de esterco junto a algum resíduo vegetal em diferentes proporções, e, em alguns casos, sua aplicação em alguma cultura ou em solo. Foram encontradas 12 pesquisas, em estados como Bahia, Ceará, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte, onde a aplicação do composto ocorreu em culturas de ciclo anual, bem como culturas de ciclo perene, citando-se: milho, feijão, sorgo, mangueira, melão, tomate, capim elefante, tomate cereja e alface, além da aplicação em solos do tipo argissolo amarelo e cambissolo para análise das características de desenvolvimento vegetal ou das propriedades físicas, químicas e biológicas dos solos. Observou-se a deficiência de pesquisas no semiárido do Brasil com relação a gestão de resíduos sólidos orgânicos da agropecuária, tais como, folhas de mangueira, aparas de grama, estercos ovinos, estercos bovinos e cama de frango, bem como sua aplicação para o desempenho produtivo de culturas ou recuperação de solos. Pode-se constatar que, considerando as peculiaridades do semiárido, são necessárias mais pesquisas no que diz respeito a prática da compostagem e necessidades de aplicações como forma de práticas mitigadoras de problemas ambientais e maximização dos benefícios as culturas e recuperação de áreas degradadas oriundos da utilização do composto orgânico.

Autor : ELAINE FERREIRA DA SILVA

Modalidade : AT 08 - Tecnologias e inovações sociais no Semiárido

Sala : SALA 05 - AT 08/ AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 12/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:O sistema do bioágua familiar (SBF) é uma tecnologia social desenvolvida com intuito de melhorar a convivência das famílias agricultoras do semiárido brasileiro que sofrem com longos períodos de estiagem. A tecnologia possibilita o reuso da água utilizada na lavagem de roupa, louça e no banho chamada de água cinza ou água já consumida que é despejada nos quintais das casas favorecendo o surgimento de agentes patogênicos vetores de doença, poluição dos corpos hídricos, degradação do solo, mal cheiro e proliferação de mosquito. Com uma abordagem agroecológica e sustentável, a ciclagem da água cinza torna-se uma alternativa para o desenvolvimento rural descontaminando os quintais e os tornando produtivos. A partir desse conhecimento o presente trabalho tem como objetivo conhecer melhor a realidade das famílias agricultoras beneficiadas com a tecnologia do bioágua, conhecer quais as culturas alimentares produzidas de maneira agroecológica, o que consomem do que produzem e o que comercializam na Agrofeira (Feira territorial da Agroecologia e Agricultura Familiar ), realizada em Garanhuns, PE. Desta forma foi feita uma análise qualitativa e quantitativa na percepção do agricultor e dos consumidores antes e depois da implantação do sistema bioágiua familiar (SBF). Para isso como instrumento de coleta de dados utilizamos da entrevista semi estruturada com abordagem qualitativa e quantitativa de natureza básica a fim de que as análises se complementem buscando mensurar quantitativamente os dados obtidos dos produtos ofertados pelos agricultores e respeitando as experiências pessoais narradas pelos mesmos no qual participam do projeto Jucati Sustentável contemplados com a tecnologia social, e que comercializam seus produtos na Agrofeira. A partir das entrevistas e dados colhidos obtivemos resultados satisfatórios com relação a diversidade de cultivares produzidos para consumo e comercialização. Os agricultores relataram ainda aumento no desenvolvimento socioeconômico. A tecnologia do bioágua proporcionou que seus quintais se tronassem produtivos e com a garantia de produtos saudáveis e agroecológicos. Nota-se também que nos períodos de estiagem a produção era menor e consequentemente a redução na comercialização, porém a partir do bioágua os produtores perceberam que mesmo em período de escassez continua a produção satisfatória já que a água consumida ao invés de despejada ao ar livre é reciclada e disponibilizada por irrigação para as hortas podendo assim produzir o ano todo. Percebeu-se que inclusive, mesmo na estiagem se garantiu a continuidade da produção semanal para a Agrofeira onde ocorre a comercialização dos produtos. A água reciclada possui ainda altos teores de nutrientes fazendo-se desnecessário o uso de insumos externos para as cultivares. Diante dos resultados obtidos podemos concluir que o bioágua trouxe consideráveis benefícios aos pequenos agricultores da região árida e semiárida pernambucana que sofrem com a escassez de água e longos períodos de estiagem. Mostrou-se uma alternativa que contribui para a produção rural familiar de base ecológica e também no desenvolvimento rural em uma perspectiva social, econômica e ambiental. Referências: SANTIAGO, F. dos S. JALFIM, F. T.; DOMBROSKI, S. A. G.; GOMES-SILVA, N. C.; BLACKBURN, R. M.; SILVA, J. K. M da; NETO, L. M.; VALENÇA, J. R. de F.; NANES, M. B.; RIBEIRO, G. A. Bioágua Familiar Reuso de água cinza para a produção de alimentos no Semiárido. Recife, PE, Projeto Dom Helder Camara 2012, 20 p.

Autor : MAYELLE DOS SANTOS LIMA DE CARVALHO

Modalidade : AT 08 - Tecnologias e inovações sociais no Semiárido

Sala : SALA 05 - AT 08/ AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 12/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:Caracterizada sobretudo pelo número baixo de precipitações anuais, o semiárido brasileiro, é uma região que possui biodiversidade rica e diferenciada, entretanto suas características naturais dificultam as condições de trabalho e subsistência das famílias. Apesar das limitações, a região é amplamente explorada, segundo os dados do Censo Agropecuário do IBGE (2017) cerca de 46,37% deste território é usado para práticas agropecuárias, por pequenos e grandes produtores. São esses aspectos que despertam a necessidade de maiores contribuições de políticas e atores sociais, ações e a aplicação de projetos que possibilitem melhorias às condições da região. Como contribuição foi pensado no uso da tecnologia da informação para melhorar a difusão de informações sobre as tecnologias e políticas sociais aplicadas ao semiárido. Desse modo, o objetivo deste trabalho é projetar uma plataforma web, denominada Integra Sertão, para divulgação de projetos de tecnologias sociais e soluções ambientais aplicáveis ao semiárido brasileiro, permitindo uma interação entre os atores sociais, compartilhamento de tecnologias e integração de projetos. O Integra Sertão trás uma nova proposta, pois além da difusão de informações como outras plataformas existentes já fazem, tem-se a pretensão de potencializar as participações dos atores sociais, fornecendo um ambiente de armazenamento de dados, para cadastros e gerenciamento de projetos e eventos técnicos e acadêmicos voltados para a região, fornecer espaço para interação entre organizadores e autores de projetos e ações com os possíveis viabilizadores, bem como o cadastro das organizações que estiverem à frente de coordenação de grupos ou comunidades, podendo utilizar a plataforma como meio de validação para os associados, a possibilidade de opinar e curtir os projetos cadastrados como incentivo e forma de destaque aos mesmos, além de oportunizar o cadastro de ideias que visam parcerias. A plataforma funcionará de forma gratuita, através do acesso a internet, uma vez que o projeto não possui fins lucrativos, sendo que os custos para a viabilidade deste projeto serão apenas o serviço de hospedagem da aplicação. A propagação de informação sobre a plataforma pode se dar com apoio das organizações que se beneficiarão, a exemplo, as ONGs e cooperativas de pequenos produtores do Semiárido. Poderá ser acessada nos idiomas português, espanhol, e inglês para abranger o maior público possível. Para a construção do software será empregado um processo nas etapas de comunicação, planejamento, modelagem, construção e emprego (entrega), conforme Pressman (2011), com caráter iterativo e cíclico. Nesse contexto o desenvolvimento deste projeto se dá por meio da execução das etapas citadas acima direcionado à aplicações web, modelado com Linguagem UML para elaborar diagramas de caso de uso e classe. A arquitetura escolhida é baseada no modelo do framework Django, o MTV (Model, Template e View), possibilitando implementações de telas responsivas, projetadas usando a linguagem HTML e CSS, para se adaptar a qualquer resolução de tela dos dispositivos que carregam a página. Conforme as plataformas de divulgação de projetos e ações ambientais já existentes tem-se observado a efetividade no papel dessas plataformas como mediadoras de soluções ambientais e sociais para uma melhor convivência com o semiárido, no entanto ainda se percebe o desconhecimento de atores e projetos socioambientais que já ocorrem na região, sendo assim o Integra Sertão representará uma ponte de ligação com o interesse de melhores condições para o ambiente, expondo soluções e permitindo a viabilidade da execução dos projetos, beneficiando principalmente pequenos produtores e famílias que se mantém de subsistência com recursos naturais, a comunidade acadêmica através da disponibilização deste ambiente para participação e divulgação de informação, benefício para ONGs, Cooperativas, e outras instituições que poderão ter um apoio digital para criar e acompanhar projetos de ações sociais e ambientais.

Autor : MARCELO RODRIGUES DO NASCIMENTO

Modalidade : AT 08 - Tecnologias e inovações sociais no Semiárido

Sala : SALA 05 - AT 08/ AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 12/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:A problemática abordada nesse trabalho está inserida na exploração sustentável dos recursos minerais do Estado da Paraíba e, do ponto de vista, técnico-ambiental, demonstrar a importância de se investir na extração de ouro, oriundo de minérios encontrados no Município de Princesa Isabel e entorno. A forma arcaica e ultrapassada utilizada por garimpeiros para extrair o ouro, atualmente naquela área, coloca em risco a saúde de todos da região e promove grandes impactos ambientais, haja vista que o uso de substâncias tóxicas e cancerígenas, como chumbo e cianeto são realizados por pessoas despreparadas. O ouro paraibano, localizado nos municípios de Princesa Isabel, São José de Princesa e Manaíra (num único veio) está contido primeiramente nos interstícios dos cristais de pirita e depois, recristalizado nos espaços vazios intercristais, nas fraturas do quartzo e da própria pirita e em cavidades [1]. Os processos industriais de recuperação de ouro, em sua quase totalidade, utilizam a reação de cianetação no tratamento de minérios de baixos teores, concentrados ou calcinados. Esta rota apresenta, entretanto, alguns inconvenientes que justificam pesquisas, em várias partes do mundo, de processos alternativos para lixiviação de metais nobres e, uma delas tem despertado um grande interesse por parte por parte dos pesquisadores: a lixiviação com tiouréia [(NH₂)₂CS], que consegue complexar o ouro com uma velocidade em torno de 10 vezes maior do que com cianeto [2] .Nesse sentido, o trabalho tem como objetivo principal aplicar a lixiviação aos resíduos auríferos paraibanos da região de Princesa Isabel, visando a obtenção de um licor que contenha o máximo teor de íons Au+1 ou Au+3, pronto para ser recuperado eletroliticamente, isento de metais concorrentes e/ou de contaminantes (metais pesados, etc.). As condições para os ensaios de lixiviação utilizados nesse trabalho foram: i) preparação da amostra mineral, com etapas de moagem, peneiramento, classificação e quarteamento. O tamanho máximo de partícula escolhido foi de #200. Variou-se a porcentagem de sólidos da polpa (30, 35 e 40%); ii) o reagente usado como lixiviante é tiouréia P.A. da marca DINÂMICA 99%, 2% m/m, com o pH da solução em torno de 2,0 (lixiviação ácida); iii) foi utilizado como reagente oxidante do ouro o sulfato férrico amoniacal dodecaidratado, [Fe(NH4)(SO4)2∙12H2O] da marca DINÂMICA 99%. A concentração, de íons Fe+3, foi de 5g/L; iv) a agitação do lixiviante da amostra triturada é efetuada em agitador rotacional do tipo end-over-end e v) o período total do ensaio é de 12 horas e, alíquotas foram coletadas nos intervalos de 2,5; 5,0; 7,5; 10,0; e 12,0 horas, passando por filtração, realizada com fibra de vidro a base de boro silicato 0,6 a 0,8 μm (ABNT NBR 10.005, 2004) e centrifugação. Nos ensaios de lixiviação Os ensaios foram realizados à temperatura ambiente e pressão autógena. Os teores dos rejeitos auríferos dessa região apesar de aparentemente baixos, com média de 2,0 g/ton, estão ainda situados em uma faixa de valores ao nível de algumas minas atualmente produtivas no Brasil, portanto, interessantes para a recuperação. Os resultados preliminares, via Espectroscopia de Absorção Atômica (AAS), indicam que, quanto maior a concentração de sólidos, a porcentagem de ouro extraído diminui, com o mesmo tempo de lixiviação. Quando se compara diferentes tempos de lixiviação com % sólidos iguais, verifica-se o alcance de maiores extrações. Conclui-se que os resultados de extração de Au+n, onde n = 1 ou 3, sinalizam que foi possível atingir, no máximo, 73% do ouro contido na amostra, consumindo-se tiouréia na ordem de 2% da massa do minério. A lixiviação não-cianídica, portanto, se mostrou promissora, do ponto de vista da extração do ouro.

Autor : TEREZA RAQUEL FRANÇA FERREIRA

Modalidade : AT 08 - Tecnologias e inovações sociais no Semiárido

Sala : SALA 05 - AT 08/ AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 12/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:Atualmente governantes de vários países se engajam na tendência de tornar suas cidades inteligentes, abusando da utilização de TIC's (Tecnologias da Informação e Comunicação) e se atentando cada vez mais a cultura de seus moradores para tentar proporcionar bem-estar para além de fazer a cidade inteligente mais humana também. Artifício que pode chegar a ajudar cidades interioranas do Brasil se utilizam de poucos métodos científicos e tecnológicos em suas gestões. Analisando-se essa realidade, o Programa Smart Cities propõe soluções para os problemas encontrados e desenvolve ações que incentivem o uso da tecnologia nas cidades do Alto Oeste Potiguar. Sendo assim, o presente estudo analisa os fatores que contribuem para a dificuldade de implementação de cidades inteligentes e humanas no interior do semiárido nordestino, a partir da análise das ações desenvolvidas pelo Programa Smart Cities como o "Difundindo Saberes" e o "Arraiá Digital (Scratch Day)", discutindo também a tentativa de implementação do Cadastro Territorial Multifinalitário em Pau dos Ferros/RN. Desta forma, fez-se necessário acompanhar os planejamentos e participar de todas as ações pensadas e desenvolvidas pelo Programa, presenciar as pesquisas desenvolvidas e assistir o andamento da implementação do CTM nas áreas que os compete. Os resultados foram balizados através da observância aos cursos de tecnologia presentes no município e da análise da disponibilidade de recursos naturais, humanos e sociais existentes na região semiárida para o desenvolvimento do programa, caracterizando este trabalho como um estudo de caso de caráter exploratório. Assim, observou-se carência no ensino tecnológico durante a ação “Arraiá Digital (Scratch Day)”, pois boa parte das escolas da cidade não utilizavam os laboratórios de informática na aprendizagem dos seus alunos. No ensino superior se constatou uma considerável evasão de discentes nos cursos de tecnologia, refletindo a educação de base fragilizada no ensino de matemática e suas tecnologias, as poucas vagas de emprego na região também contribuem para tal fato e na ação “Difundindo Saberes”, notou-se a dificuldade na iniciação científica. Com relação ao Cadastro Territorial Multifinalitário, ele está sendo realizado através de uma parceria entre a Prefeitura Municipal de Pau dos Ferros/RN e o Programa Smart Cities. O CTM servirá para o armazenamento dos dados econômico-físico-jurídicos da parcela como também para os dados ambientais e sociais dos habitantes. Contudo, dificuldades no desenvolvimento do sistema de armazenamento, adesão da população e apoio da governança são encontradas. Portanto, percebe-se que para a implantação de smart cities no semiárido ainda é nítida a necessidade de se investir em educação tanto tecnológica quanto social e ambiental, principalmente no ensino básico, mas talvez com os cursos de tecnologias, engenharias, arquitetura e urbanismo e geografia, da UFERSA e UERN, essa realidade do Alto Oeste Potiguar venha a mudar um pouco mais no que diz respeito a ter adultos críticos quanto a gestão de governança e políticas públicas aplicadas a seu meio urbano.

Autor : LIDIA PALOMA DA SILVA NOGUEIRA

Modalidade : AT 08 - Tecnologias e inovações sociais no Semiárido

Sala : SALA 05 - AT 08/ AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 12/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:O estágio supervisionado obrigatório pode ser visto como a possibilidade de aproximação do aluno com a realidade vivenciada dentro do mercado de trabalho, onde o estudante pratica as teorias estudadas ao longo da graduação. Esse relato de experiência de estágio curricular foi realizado em uma indústria de alimentos produtora principalmente de gelados comestíveis. A empresa localiza-se na cidade de Parnamirim - RN e o estágio foi realizado no período de outubro a dezembro de 2017, totalizando 180 horas de trabalho. No estágio foram realizadas as seguintes atividades: coleta das amostras das produções, análises físico-químicas e microbiológicas. O estágio foi executado com o intuito de aprimorar, na prática, os conhecimentos adquiridos dentro da universidade, como também de conhecer o dia a dia das produções, controle de qualidade dos produtos e desenvolvimento de novos produtos alimentícios de uma indústria de alimentos de grande porte. Desta forma a experiência vivenciada durante esses meses influenciou positivamente nos ensinamentos adquiridos em sala de aula, além disso a partir do estágio procedeu-se a contratação como funcionária efetiva de indústria.

Autor : LUAN RIBEIRO DE MACEDO

Modalidade : AT 08 - Tecnologias e inovações sociais no Semiárido

Sala : SALA 05 - AT 08/ AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 12/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:Introdução: Os óleos vegetais são utilizados nos processos de frituras na área de alimentos e estes produzem elevados níveis de resíduos em função da sua utilização. Estes apresentam riscos à saúde e ao meio ambiente, bem como geram problemas nas estações de tratamento de água com aumento nos custos operacionais. Com o objetivo de conhecer a quantidade de resíduos de fritura de óleo de algodão proveniente de restaurantes de comida japonesa nos principais municípios do Estado do Rio Grande do Norte foi efetuado um levantamento do número destes nas cidades de Apodi, Caicó, Currais Novos, Natal, Mossoró, Parnamirim, Santa Cruz, Nova Cruz, Goianinha, Touros, São Miguel do Gostoso e Tibau do Sul. O óleo de algodão é uma mistura de ácidos carboxílicos e quando é submetido ao processo de fritura sofre reações químicas que modificam sua composição, aumentando a quantidade de ácidos graxos livres. Este trabalho objetiva verificar a obtenção de um coletor a partir do resíduo de óleo de fritura de algodão, tendo em vista sua aplicação na separação mineral. Os ácidos carboxílicos, em particular o ácido oleico é utilizado como coletor no processo de flotação que é amplamente usado pela indústria mineral. Metodologia, Resultados e Discussão: Nos municípios estudados foram identificados 75 restaurantes, nos quais se observo que o resíduo médio gerado é da ordem de 6,075 m3 por mês. Parcelas destes resíduos são destinadas à produção de sabão e a maior parte é destinada de forma inadequada na rede de esgoto ou depósitos de lixo. O resíduo de óleo foi coletado em um restaurante japonês em Natal-RN, o qual foi submetido à temperatura de 200 oC por 24 horas. Este foi saponificado com NaOH e água destilada. Um produto solúvel em água foi obtido, tendo em vista ensaios de flotabilidade em tubo de Hallimond com os minerais barita (Jucurutu/RN) e calcita (Currais Novos/RN). Foram identificados o melhor pH e concentração do coletor para a flotação da barita e calcita, usando 1 g na fração entre 0,15-0,18 mm em tubo de Hallimond. Os tempos de condicionamento e flotação foram de um minuto. Apos os ensaios de flotação o produto flotado foi secado em estufa até peso constante em 105 oC. Os melhores resultados de pH para a flotação da barita e calcita foram, respectivamente 10 e 8. Com o pH otimizado a melhor concentração do coletor foi 2,5 x 10-4 g/l para a barita e para a calcita 1,0 x 10-3 g/l. Os resultados obtidos mostram que os reagentes obtidos com os resíduos de óleo de fritura de algodão apresentam resultados animadores para a sua aplicação e separação mineral. Considerações finais: A flotabilidade dos minerais estudados apresentaram resultados superiores a noventa e oito por cento, assim a utilização de sais de ácidos graxos, obtidos através da hidrolise alcalina do óleo residual de fritura de algodão pode ser uma alternativa para a utilização do resíduo de óleo de fritura como reagente potencial para utilização na indústria mineral. Referências: Disponível em: Acesso em: 21.out. 2018. Disponível em: Acesso em: 21.out.2018. LEITE, J Y P. Notas de aula de flotação. IFRN. 2007. pp. 1-40. CURI, Rui et al. Entendendo a Gordura - Os Acidos Graxicos. Barueri: Editora Monele Ltda., 2002. Tratamentos de minérios – 5ª Edição/Ed. Adão Benvindo da Luz, João Alves Sampaio Silvia Cristina Alvez França – Rio de Janeiro: CETEM/MCT, 2010. QUEIROZ, R.D.S., OLIVEIRA, J.E.J.C., COSTA, D.S. Óleo Residual de Fritura como reagente coletor na flotação de minério fosfático. XXVI Encontro Nacional de Tratamento de Minérios e Metalurgia Extrativa Poços de Caldas-MG, 2015. SILVA, L.P.G., SILVA, E.E.P. D, BRITO, V.V., DUDU, R.E.S SOUZA, J.M.A Caracterização físico-química dos óleos de mamona e algodão na flotabilidade da dolomita como agentes coletores. Congresso Brasileiro de Química, Porto Alegre/RS, 2009. Palavras-chave: Flotação, Barita, Calcita, Óleo de Algodão, Resíduo de Fritura.

Autor : JOSÉ VINÍCIUS LOPES DA SILVA

Modalidade : AT 08 - Tecnologias e inovações sociais no Semiárido

Sala : SALA 05 - AT 08/ AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 12/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:A salinização de solos e os longos períodos de estresse hídrico são as principais problemáticas ambientais do manejo agrícola do semiárido brasileiro. Embora um fator restringente historicamente reconhecido, a salinidade ainda é uma importante limitação que desafia às estratégias de uso e manejo da região. Desse modo, há uma grande necessidade de otimização de recursos e potencialização dos resultados de produção nessas regiões, logo, se faz necessário a utilização de técnicas inovadoras para tal demanda. Nos últimos anos, sistemas embarcados têm sido cada vez mais atuantes na vida do produtor rural, sendo importantes problemas do processo de exploração agrícola do solo reconhecidos, e mesmo solucionados, com o uso e gerenciamento de sistemas informatizados, embora bastante restrito à grandes empreendimentos agrícolas. Assim, considerando a importância de criar soluções e alternativas para investigação, e gerenciamento das áreas sob essas importantes demandas, esse estudo tem como objetivo propor um sistema de identificação, controle e monitoramento em áreas sob riscos de salinização dos solos do semiárido brasileiro. A proposta, visa principalmente, construir um sistema de monitoramento de caráter preventivo ao processo de salinização e acessível financeiramente para pequenos produtores. A plataforma terá como estratégia inicial a identificação dos potenciais riscos do processo de salinização, associando variáveis climatológicas e pedológicas, destacando os níveis de sais do solo e umidade. Além disso, buscar-se-á reconhecer os principais processos produtivos aplicados nestas áreas, elencar os benefícios esperados de um sensor de monitoramento dos níveis de salinidade e, elaborar estratégias que identificam e qualificam a disponibilidade do sensor para maior alcance do público final. De acordo com as possíveis consequências geradas pelos níveis de salinidade e umidade do solo para produtores da região semiárida, será estabelecida uma solução envolvendo especialmente o uso de placas de arduino combinados com sensores de umidade do solo, de modo a reduzir os danos consequentes dessas condições. O funcionamento ocorrerá pelos sensores e arduinos, onde os detectores serão capazes de medir os níveis de umidade do solo nesta região, enquanto o arduino terá a responsabilidade de receber esses dados comunicando-se com os sensores por meio de conexões via cabeamento em portas analógicas e digitais das placas de arduino, processá-los, armazenando e disponibilizando-os aos produtores. Para o funcionamento do sistema ocorrer de forma otimizada, a placa de arduino ficará fixa em na propriedade do agricultor, de modo que se conecte à diversos detectores dispersos pelo terreno, sendo eles: sensores de umidade e temperatura, que poderão ser distribuídos quantos forem necessários diretamente no solo, e sensores de salinidade que ficarão fixos também próximos a central de processamento desses dados (arduino). Espera-se que o produtor especialmente na verificação dos níveis de sal no solo, recolha amostras do campo referenciado, já que estas serão levadas ao sensor, no qual, o mesmo realizará a mensuração. Já o monitoramento de umidade e temperatura, será completamente automático, onde serão capturadas todas as informações obtidas em campo e enviará à placa, sem a necessidade de manuseio humano. Diante disso, o arduino será capaz de enviar todos os dados a uma plataforma, para a tomada de decisão do produtor. A implantação deste sistema provoca um marco importante na evolução da tecnologia aplicada a região do semiárido brasileiro, principalmente pela compreensão e aplicabilidade de soluções às demandas específicas dessa região. Além disso, a importância do software apresentado é principalmente a melhoria do processo produtivo do semiárido que naturalmente já enfrentam diversos problemas como os longos períodos de estiagem, assim como a prevenção de processos de degradação pela salinização e exaustão química desses solos.

Autor : ELAINE FERREIRA DA SILVA

Modalidade : AT 08 - Tecnologias e inovações sociais no Semiárido

Sala : SALA 05 - AT 08/ AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 12/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:Historicamente as fontes de energia utilizadas durante o processo de desenvolvimento e expansão socioeconômica eram de origem não renováveis, do setor primário, por exemplo, o petróleo, gás natural, carvão mineral, entre outras, as quais causaram e continuam causando grandes alterações no meio ambiente, responsáveis pelas mudanças significativas em todo o planeta Terra (BEN, 2006). Por esta razão, longo dos anos tem se intensificado os estudos em formas alternativas de se produzir energia eficiente para ouso do homem investindo em pesquisas e trabalhos que desenvolvam tecnologias de baixas aquisição e de alto valor potencial solucionando problemas ambientais econômicos e socias. Tendo em vista que a energia solar é uma das maiores fontes energéticas direta ou indiretamente utilizadas pelo homem, existem equipamentos que fazem uso da radiação solar para produzir calor, na qual pode promove o aquecimento da água, secagem ou cocção de alimentos. Desta forma o presente trabalho teve como principal objetivo compartilhar conhecimentos e promover a capacitação de moradores da comunidade quilombola Imbé da cidade de Capoeiras – PE, de clima temperado, tendo bastante insolação ao decorrer do ano, condições ideias para instalação dos equipamentos que necessita da radiação solar para seu bom desempenho. Oferecendo aos moradores ferramentas para minimizar custos na renda familiar a partir de tecnologias com baixo custo aquisitivo como o forno solar, aquecedor de água e desidratador de alimento. Melhorando a qualidade de vida e contribuindo ainda com o meio ambiente, para isto foram feitas visitas técnicas a comunidade para ofertar capacitações, em seguida foram distribuídos folders explicativos para confecção dos dispositivos contendo material necessário. Deste modo foi realizada inicialmente uma pesquisa de abordagem qualitativa de objetivo exploratório afim de detectar as principais demandas na comunidade no que se refere a alternativas econômica e energéticas. A partir das entrevistas feitas com alguns moradores e frequentadores da associação da comunidade na qual realizamos as capacitações, foi apresentado alguns exemplares de equipamentos tecnológicos sustentáveis. Vale salientar que tendo visto as necessidades da comunidade todos os equipamentos foram feitos com matérias recicláveis e de baixo valor aquisitivo, podendo ser utilizados garrafas pets, isopor, cola, fita, tinta etc. Foram realizadas as confecções dos equipamentos com a participação dos ouvintes e em seguidas testamos a eficiência dos mesmos. Durante o trabalho ficou evidente a dificuldade dos participantes em realizar a montagem dos equipamentos por meio de instruções técnicas apresentadas fazendo-se necessário a criação de moldes para o auxílio da confecção de seus equipamentos individuais. Diante do convívio com a comunidade e as dificuldades apresentadas foi possível perceber o qual importante é a aproximação de instituições como a universidade para a promoção da qualidade de vida por meio de novas tecnologias sociais.

Autor : ALEX BORBA LIRA DANTAS

Modalidade : AT 08 - Tecnologias e inovações sociais no Semiárido

Sala : SALA 05 - AT 08/ AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 12/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:O crescimento da população, o aumento do número de construções e a mudança das paisagens naturais marcam o avanço da urbanização em todo o mundo nas últimas décadas. Há uma crescente atuação da indústria da Construção Civil no Brasil, seja em novas construções ou reformas, causando diversos impactos ao meio ambiente, como a impermeabilização do solo natural, que influencia o escoamento superficial da água pluvial. O estudo possui como objetivo principal avaliar a aplicabilidade e o conhecimento da lei estadual 10.047 de 2013, perante diversos profissionais da Construção Civil, sobre a instalação de telhados verdes no estado da Paraíba. Em segundo plano, incentivar a utilização de telhados verdes nas edificações (de usos residencial, comercial, misto ou institucional) como alternativa viável no combate à diversos problemas urbanos, como as inundações. A pesquisa foi iniciada com uma busca ativa de informações na literatura formal por meio de monografias, revistas e artigos, cujo banco de dados encontra-se na internet, além de legislações vigentes (leis estaduais e municipais) e informações adquiridas nos censos do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Foi realizada a entrevista com 53 profissionais da Construção Civil, sendo estudantes de Engenharia Civil, engenheiros civis, professores e empresários do setor, residentes no estado da Paraíba (PB), através tanto de formulário online quanto entrevista em forma escrita, nos meses de setembro e outubro de 2018. Em relação à lei estadual de nº 10.047/2013, a qual trata da instalação de telhados verdes em edificações, que é o objetivo da pesquisa, apenas 7,6% dos entrevistados já acompanhou, projetou ou executou uma edificação que possuiria uma cobertura vegetal. A lei estadual regulamenta que o telhado verde deve ser composto por camadas de impermeabilização, proteção contra raízes, drenagem, filtragem, substrato e vegetação. 81,1% dos entrevistados aprovaram a eficiência do sistema regulamentado na legislação. Em relação ao custo de implantação do ecotelhado, 43,3% dos entrevistados acham que a execução da cobertura vegetal em edificações possui um custo alto. A implantação de telhado verde é uma das medidas sustentáveis, extremamente eficiente e geradora de vários benefícios para a construção e para a sociedade. A adoção de telhados verdes melhora a qualidade do ar, que influencia na diminuição de problemas respiratórios das pessoas. Sabe-se do custo alto quando comparado com as coberturas convencionais, porém é justificável a longo prazo, além de proporcionar benefícios ambientais e sociais. É extremamente importante a implantação da cobertura vegetal nas grandes cidades paraibanas, quanto nos pequenos municípios do estado da Paraíba.

Autor : IVAN LISBOA ARAÚJO

Modalidade : AT 08 - Tecnologias e inovações sociais no Semiárido

Sala : SALA 05 - AT 08/ AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 12/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo: Segundo o BRASIL (1998) apenas 3,4% do esgoto sanitário coletado nos domicílios brasileiros recebe tratamento e só uma pequena parcela tem destinação final sanitariamente adequada no meio ambiente. Na zona rural, o problema da disposição inadequada do esgoto doméstico é ainda mais grave, pois estas localidades não dispõem de qualquer infraestrutura para tratamento. A fossa séptica biodigestora é um sistema desenvolvido pela Embrapa Instrumentação Agropecuária, que promove o tratamento anaeróbico de fezes e urina através de duas câmaras de fermentação compostas por caixas de 1000 L interligadas por sistema de sifão e uma caixa coletora de efluentes (FAUSTINO et al., 2007). O objetivo desse trabalho é avaliar a eficiência do uso da fossa séptica biodigestora no tratamento do esgoto doméstico das propriedades rurais, bem como a qualidade sanitária do efluente para aplicação na agricultura como fonte de adubo. Esse trabalho constitui-se de uma revisão de literatura, no qual foram realizadas consultas em artigos científicos e dissertação de doutorado, para avaliar a qualidade do efluente tratado pela fossa séptica biodigestora através dos parâmetros de Demanda Bioquímica de Oxigênio (DBO), turbidez, pH do biofertilizante e do solo e análise bacteriológica. Na literatura são encontrados resultados semelhantes quanto a eficiência do uso da fossa biodigestora no tratamento do esgoto doméstico, entretanto, Peres et al. (2009), avaliando a Demanda Bioquímica de Oxigênio (DBO), turbidez e pH, encontraram resultados insatisfatórios quanto aos níveis esperados para essas variáveis. No entanto, Novaes et al. (2002) verificaram através de análise bacteriológica do efluente para a concentração de coliforme fecais de apenas 3/100 mL, estando dentro dos padrões estabelecidos pela Resolução Nº 20, de 18 de junho de 1986 do CONAMA. Pereira et al. (2012) avaliaram a produção e a qualidade sanitária da alface adubado com o biofertilizante, e verificaram que não houve contaminação tanto no solo quanto na alface por coliformes fecais. Faustino et al. (2007) verificaram que a aplicação do biofertilizante proporcionou um aumento no pH, bem como um incremento de nutrientes superior ao adubo formulado NPK, além de não provocar efeito de salinização no solo. O sistema de fossa séptica biodigestora mostra-se como uma alternativa viável para fazer o tratamento de esgoto doméstico das propriedades rurais, principalmente no controle de doenças, verminoses e endemias (como a cólera) e, além disso, o agricultor pode utilizar o efluente para adubação das lavouras, reduzindo assim, os custos da produção.

Autor : JOYCE CAROLINE DA SILVA

Modalidade : AT 08 - Tecnologias e inovações sociais no Semiárido

Sala : SALA 05 - AT 08/ AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 12/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:Introdução: A indústria mineral representa em torno de 4 % do PIB brasileiro. Entre os processos aplicados na mineração, os hidrometalúrgicos apresentam grande importância. As atividades industriais e agroindustriais geram contaminantes no meio ambiente decorrentes das suas atividades, as quais precisam ser extraídas para não comprometer o meio ambiente. A descontaminação de efluentes é um problema que deve ser solucionado através da recuperação e/ou extração dos metais do meio ambiente com vistas sua recuperação. Uma rota tecnológica para o tratamento eficiente e de baixo custo é a biossorção, que utiliza matéria orgânica como adsorvente. As atividades industriais e agroindustriais geram contaminantes no meio ambiente decorrentes das suas atividades, as quais precisam ser extraídas para não comprometer o meio ambiente. A sociedade atual exige que o meio ambiente esteja preservado, assim são necessários crias as condições para minimizar os impactos dos efluentes gerados por estas indústrias. A biossorção que é definida como sendo um processo em que se utiliza biomassa vegetal ou microrganismos, na retenção, remoção ou recuperação de metais pesados de um ambiente líquido, pode ser uma solução técnica e economicamente viável para a remoção desses contaminantes (VOLESKY, 2001). . A cultura da banana tem destacada importância econômica e social no Brasil, sendo em 2015 gerados 7,27 milhões de toneladas de frutos numa área de 491,5 mil ha. Desse total, estima-se que menos de 5% foi exportado, sendo o restante consumido no País. A região Nordeste produziu o equivalente a 39,4%, o Sudeste 28,7%, o Norte 16,8%, o Sul 10,9% e o Centro-Oeste 4,2% (IBGE, 2015). Este trabalho tem como objetivo analisar o comportamento da fibra do caule da banana Pacovan Ken. Metodologia, Resultados e Discussão: Os ensaios de biossorção foram realizados com amostras do caule da banana pacovan Ken fornecidos pelo Centro de Pesquisa da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (EMPARN), localizado no município de Parnamirim/RN. O material coletado foi pesado, reduzido e secado, seguido de homogeneizado para geração de alíquotas para os ensaios de biosssorção. A fibra do caule da banana pacovan ken apresentou extração da ordem de 53% de cobre de solução de concentração de cobre de 1 g.l-1 para um tempo de contato de 70 minutos com capacidade de carga na adsorção de 25,56 mg.g-1 de cobre. Considerações finais: O trabalho apresenta resultados relevante para o uso da fibra da bananeira pacovan ken como bioadsorvente para a extração de cobre de águas residuárias, tendo em vista a extração de 53% de cobre de solução de concentração de cobre de 1 g.l-1 para um tempo de contato de 70 minutos. A capacidade de adsorção de cobre foi da ordem 25,56 mg.g-1 de fibra da banana pacovan ken. Referências: Barros J. M. B et al. Estudo Termogravimétrico do Processo de Sorção de Metais Pesados por Resíduos Sólidos Orgânicos. Engenharia Sanitária Ambiental, 2006 (2): p.184-190; Gaballah I, Kilbertus, G., Recovery of heavy metal ions through decontamination of synthetic solutions and industrial effluents using modified barks. Journal of Geochemical Exploration. 1998; (62 Pt 1): p.241-286; Volesky, B., Detoxification of metal-bearing effluents: biosorption for the century. Hydrometallurgy, (3), 2001, p.203-216; Pallu, A. P. S., Biossorção de Cádmio por linhagens Aspergillus sp. [Dissertação de mestrado]. Universidade de São Paulo, 2006; Hoffmann, R., IBGE. Levantamento sistemático da produção agrícola. jan. 2015. Disponível em: ftp://ftp.ibge.gov.br/Producao_Agricola/Levantamento_Sistematico_da_Producao_Agricola_[mensal]/ Fasciculo/2015/lspa_201501.pdf. Acesso em: 11 maio 2018

Autor : JOSÉ GABRIEL MENDES DOS SANTOS

Modalidade : AT17 - Interdisciplinaridade e Semiárido

Sala : SALA 05 - AT 08/ AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 12/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:A disseminação do tratamento de esgotos domésticos se constitui como uma peça fundamental na busca da melhoria da qualidade de vida nos centros urbanos, além de garantir os direitos guardados nos artigos 196 e 225 da Constituição Federal de 1988. A partir de tal problemática, principalmente em regiões com clima semiárido, as quais possuem uma maior tendência de intensificação de tais problemas, verifica-se a necessidade de se determinar tecnologias de tratamento economicamente viáveis capazes de atender aos requisitos mínimos de qualidade do efluente determinados em normativas e leis, tornando possível assim inserir pequenas cidades cearenses no contexto do desenvolvimento sustentável.Assim, o seguinte trabalho tem como objetivos demonstrar a viabilidade do uso de reator UASB como ferramenta para a disseminação do tratamento de efluentes a partir de cidades de pequeno porte do Ceará, visto que a tecnologia apresenta-se bastante atrativa para regiões com clima semiárido, além de estimar a eficiência da tecnologia no tratamento de efluentes, os custos da implantação, a demanda por área para implantação e a geração de energia elétrica a partir do biogás produzido, de forma a verificar a possibilidade de atendimento às legislações e normas ambientais vigentes da área de estudo. A metodologia consiste em uma pesquisa aplicada e descritiva com caráter teórico e uma abordagem quantitativa. Os procedimentos adotados serão baseados em levantamento bibliográfico e documental, tais como artigos, livros, legislações e normativas acerca do tema. Além disso, será feito o tratamento de dados, com auxílio da plataforma Excel 2013, para a realização da estimativa de parâmetros como: eficiência de remoção da matéria orgânica, área demandada e custos de implantação do sistema anaeróbio, produção de biogás e energia elétrica. As faixas de valores adotados foram extraídas de estudos realizados por Polido (2013). Serão adotados os valores medianos para fins de cálculos de estimativa. Verificou–se que, para a aplicação do reator UASB no tratamento de efluentes de uma população de 50 mil habitantes, necessita-se de 3.250 m² e um custo de instalação de cerca de R$2.000.000,00, enquanto que, para a implantação de uma lagoa facultativa, seria necessário um custo de até R$ 3.000.000,00 (POLIDO, 2013). O efluente final terá uma concentração de matéria orgânica estimada de 90 mg/L, ou seja, a tecnologia garante a remoção de cerca de 70% da concentração inicial. Sendo assim, o sistema UASB atende à Resolução CONAMA n°430, de 13 de maio de 2011 e a Resolução n°02 do COEMA, de 02 de fevereiro de 2017. Além disso, a tecnologia anaeróbia ainda terá capacidade de produzir cerca de 650 m³/dia biogás, os quais irão gerar em torno de 435 kWh de energia elétrica diariamente. Assim, diante das análises realizadas no que tange à implantação do reator UASB e sua eficiência de tratamento perante as legislações pertinentes, conclui-se que a tecnologia é ideal para auxiliar a disseminação do tratamento de esgotos domésticos em pequenas cidades do Ceará e de regiões de clima semiárido, tendo em vista que a eficiência do tratamento de águas residuárias em reatores UASB tende a se intensificar se aplicado em ambientes com temperatura elevada, devido à utilização de microbiota anaeróbia para o tratamento.

Autor : VIVIANE MARIA COSTA HALULE MIRANDA

Modalidade : AT17 - Interdisciplinaridade e Semiárido

Sala : SALA 05 - AT 08/ AT 17     Localização : SALÃO CEDRO - PRAIAMAR

Dia : 12/12/2018     Hora inicio : 18:00:00     Hora Fim : 21:00:00

Resumo:No final de 2014 os agravos à saúde causados pelo mosquito Aedes Aegypti chamaram atenção pelo aumento do número de casos e, especialmente, pelo aparecimento do Zika Virus, da febre Chikungunya e da associação entre o Zika Vírus e a Microcefalia. As políticas de enfrentamento, incluindo a decretação de emergência nacional, seguindo um protocolo internacional, têm sido objeto de várias críticas. A principal delas defende a tese de que tais políticas se mantiveram no reforço do padrão histórico brasileiro, ocupando-se mais das consequências, do que das causas dos problemas. Buscaremos, analisar as ações e políticas de saúde relacionadas ao combate ao mosquito Aedes Aegypti, no contexto da tríplice epidemia (dengue, zika e chikungunya). Especificamente, pretendemos, identificar as ações e políticas implementadas e/ou executadas nos municípios paraibanos de Pocinhos, Juazeirinho e Soledade; analisar a natureza de tais políticas, tomando como parâmetros o Direito a Saúde, nos termos da Constituição Federal, o conceito de injustiças socioambientais, do campo da ecologia política, e o conceito de equidade de Amartya Sen. A pergunta que tentaremos responder é se o conjunto das ações e políticas, contribuiu para reduzir os agravos e, sobretudo, enfrentar, estruturalmente, os fatores que, em nosso ver, são determinantes para a produção das arboviroses dengue, Zika e Chikungunya. Para a identificação e análise das ações e políticas de saúde relacionadas à tríplice epidemia foram adotados seguintes procedimentos: consulta ao banco de dados do Projeto Zika UEPB, relatos de escutatórias (rodas de conversas) com profissionais e gestores da saúde e da educação dos três municípios (setembro de 2016 a setembro de 2018); participação em seminários e processos formativos no âmbito do projeto; contatos e diálogos dirigidos (por e-mail, whatsapp, telefone celular) com gestores para obtenção de informações e/ou encaminhamento de pedido de informação; levantamento documental nas Secretarias do Estado e dos municípios, sites e portais das prefeituras, boletins epidemiológicos, relatórios técnicos, além de sites como Trata Brasil, SNIS, IBGE, DATA SUS, dentre outros. A consulta a essas fontes contribuiu para a construção de uma leitura crítica da natureza, sobretudo das políticas, e para a conformação de um quadro das chamadas injustiças socioambientais (para nós, os determinantes estruturais do adoecimento). Quanto à equidade, além do material já coletado, foram realizadas entrevistas semi-estruturadas com sequelados pela microcefalia e com gestores. Até o momento, o estudo já obteve resultados relativos a algumas ações adotadas pelos municípios investigados. No entanto, quanto ao que ao foi experienciado no território, observou-se dificuldades de interação entre saúde e educação, através de uma gestão setorizada e não integrada; estratégias de promoção à saúde fragmentadas; ausência total de planejamento (políticas do imediato); subnotificações (principalmente para Dengue, Zika e Chikungunya); ausência de registros confiáveis; ações focadas em métrica e não nos resultados qualitativos; excesso de eventos, dias D's, e fragilidades nos processos formativos; transferência de responsabilidade para a comunidade e, o que nos pareceu mais grave, repasse de conteúdos desatualizados nas escolas sobre o mosquito e as doenças Dengue, Zika e Chikungunya. Do ponto de vista da construção de uma reflexão sobre os fatores que contribuem para a proliferação de focos do mosquito e as doenças Dengue, Zika e Chikungunya, particularmente no território do Consórcio São Saruê, reconhecemos a complexidade de apontar esse ou aquele fator como preponderante. Alimentamos, contudo, a hipótese original do projeto: a proliferação de doenças como a Zika, Dengue e Chikungunya diz respeito ao modo como certo padrão de desenvolvimento não está atento para garantir condições básicas de saneamento, acesso à água potável e seu adequado armazenamento. Significa afirmar que a saúde pública está diretamente relacionada a um projeto de desenvolvimento.

I CONGRESSO NACIONAL DA DIVERSIDADE DO SEMIÁRIDO

Semiárido brasileiro: diversidade, tendências, tensões e perspectivas